Destaques

‘Não precisamos ser amigos’, diz Cavani sobre Neymar

Em entrevista ao porta “SFR”, da França, Edinson Cavani foi novamente questionado sobre a relação dele com Neymar. O uruguaio, que protagonizou um atrito com o brasileiro há algumas semanas sobre quem seria o responsável por cobranças de bola parada no PSG, disse que não precisa ser amigo do camisa 10 do time. “Nós temos que encontrar uma solução, temos que trabalhar em equipe. O importante é que tenhamos um time competitivo e não precisamos ser amigos. É preciso ser profissional”, afirmou o centroavante uruguaio. Quando questionado quem era o batedor oficial do Paris Saint-Germain, ele se esquivou ao responder. “O importante é ganhar. Temos que encontrar a melhor solução para o time. O treinador é que terá que decidir”, finalizou.

COMPARTILHE

Temer ‘ficará sangrando e pedirá para sair’, diz aliado de Dilma

vice-líder da oposição Silvio Costa (Avante-PE) gravou um vídeo em que propõe aos deputados que não marquem presença, na próxima quarta-feira (25), durante a sessão que deve votar a denúncia contra o presidente da República, Michel Temer, e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral). Eles são acusados de obstrução de justiça e organização criminosa pela Procuradoria-Geral da República (PGR).  Segundo Costa, Temer “ficará sangrando e pedirá para sair” se não houver sessão em que o assunto seja deliberado, de acordo com informações da coluna Expresso, de Época. Silvio Costa foi um dos principais defensores de Dilma Rousseff, quando do pedido de impeachment, e chegou a chorar depois que ela foi retirada do cargo.

COMPARTILHE

Comissão rejeita 2º denúncia contra Temer e comemora

Por 39 votos contra 26, a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou o parecer do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), recomendando que a Câmara não autorize o Supremo Tribunal Federal a processar o presidente da República, Michel Temer, e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral), com base na denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República.  A autorização ainda deve ser votada em Plenário, o que deve ser feito na próxima quarta-feira (25). Para aprovar a denúncia, são necessários os votos de 352 deputados. Foram 19 horas de debates na CCJ em dois dias, até a votação final. Com informações da Agência Câmara.

COMPARTILHE

STJ manda soltar Carlos Arthur Nuzman

Superior Tribunal de Justiça aceitou um pedido de habeas corpus e mandou soltar nesta quinta-feira (19) Carlos Arthur Nuzman, ex-presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB). Ele estava preso desde o dia 5 de outubro, sob suspeita de compra de votos para que a cidade do Rio de Janeiro fosse escolhida sede dos Jogos de 2016. Nuzman nega as acusações, segundo destacou o G1. O ex-governador Sérgio Cabral, que está em cárcere privado desde novembro de 2016, o empresário Arthur Soares, considerado foragido, e Leonardo Gryner, ex-diretor do COB, também são suspeitos de envolvimento nos crimes que colocou Nuzman na mira da Justiça.

COMPARTILHE

Vitória de Temer na CCJ custou ao menos 63 cargos de confiança

Assim que sua conversa com Joesley Batista, às escondidas, foi divulgada pela Procuradoria-Geral da República no fim de maio, Michel Temer (PDB) correu para estancar a perda de apoio parlamentar. Ao contrário do que costuma ser divulgado, a liberação de emendas orçamentárias não é o mecanismo mais eficaz para fazer isso. (Explico os motivos aqui.) Cargos de confiança são mais importantes para a barganha entre Executivo e Legislativo. A primeira denúncia de Rodrigo Janot contra o presidente foi a mais robusta. Apresentada pouco depois da patética cena do deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB), Temer se safou com facilidade. Bastou trocar alguns representantes dos partidos na Comissão de Constituição e Justiça e distribuir alguns cargos – impossível, por enquanto, saber exatamente quantos. Para a votação de hoje, referente à segunda denúncia de Janot (mais abrangente, considerando os melhores momentos do PMDB como organização criminosa), a mesma estratégia foi mobilizada pelo presidente. Desta vez, a margem de vitória foi menor: 39 votos favoráveis a Temer, 26 contrários e 1 abstenção. Qual o custo da vitória do presidente na CCJ? Para saber isso, comparei os dados de ocupação dos cargos de confiança de alto escalão (DAS-4, 5 e 6) por partidos políticos em junho e julho deste ano. (São os dados mais atualizados que o Ministério do Planejamento disponibiliza, por enquanto.) Em junho, 668 cargos eram controlados por partidos políticos. A partir de julho, o número aumentou para 731 cargos. São 63 a mais e estão distribuídos entre diversos partidos. O instável PSDB passou a ter 77, 7 a mais do que em junho. O PDT foi a 23, ganhando 7. O PRB foi de 11 para 15. Os dados completos referentes a julho serão publicados na próxima semana no Monitor Veja. Este site permite saber em qual área do governo cada partido tem cargos. (Aqui está uma análise comparando junho de 2017 a junho de 2015.) E saberemos, em breve, a continuação da negociação quando os dados de agosto e setembro estiverem completos. (Veja)

COMPARTILHE

‘Não me arrependo de nada’, diz delegado, sobre filho de Lula

O delegado Rodrigo Luís Galazzo, que comandou a busca e apreensão na casa do psicólogo Marcos Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), quebrou o silêncio. Em entrevista a VEJA, ele disse que não sabia quem morava na residência e deixa claro que, se voltasse no tempo, faria tudo exatamente igual. Com 44 anos e 13 como delegado de polícia, ele disse ser comum pedir mandados de busca e apreensão apenas com base em indícios e suspeitas, mesmo sem um inquérito em andamento. “Não me arrependo de nada”, afirmou. A operação foi realizada em cumprimento ao mandado da juíza Marta Brandão Pistelli, do fórum de Paulínia. Na quarta-feira (11), o secretário de Segurança de São Paulo, Mágino Alves Barbosa Filho, determinou instauração de procedimento administrativo para apurar em que condições ocorreu a diligência de busca e apreensão. Na segunda-feira, a juíza determinou sigilo no caso. (Abril)

COMPARTILHE

Moro quer perícia em fórmula que pode complicar a vida de Lula

O juiz Sergio Moro determinou, nesta terça (18), que seja feita perícia no arquivo “Planilha Especial Italiano”, encontrado na contabilidade da conta-corrente de propinas da Odebrecht.  O juiz quer saber a data em que foi inserida neste arquivo a fórmula matemática ((3*1057) + 8217 + 1.034). Segundo a força-tarefa da Lava-Jato, a fórmula estava associada ao registro “12.422” e “Prédio IL”. Esse último, de acordo com a procuradoria, em referência ao prédio do Instituto Lula. O magistrado pediu ainda a identificação do IP do computador responsável pelo arquivo. (Abril)

COMPARTILHE

Google lança ‘G Suite’ com novidades em todos os seus apps de produtividade

A Google está relançando seus aplicativos online para produtividade com um novo nome. Agora, em vez de “Google Apps for Work” eles se chamam “G Suite”, o que reflete a tendência da empresa de colocar o grande G na frente de tudo que é possível. Entretanto, não foi só isso que mudou. Cada um dos apps receberam alguns recursos inteligentes e estão mais interligados. Dentro da G Suite, os apps Documentos, Planilhas e Apresentações agora contam com um recurso chamado “Explorar” que utiliza buscas em linguagem natural para ajudar o usuário a encontrar arquivos específicos, organizar dados ou fazer apresentações mais bonitas. No Documentos, você vai receber recomendações de imagens, links e textos do seu Drive que podem ser relevantes para a peça que está sendo escrita. No Planilhas, o Explorar vai permitir que você faça cálculos usando palavras em vez de fórmulas. Portanto, quando você digitar, “qual é a média aritmética entre os dados da coluna tal?”, o app vai fazer a fórmula certa e trará o resultado para você. No Apresentações, o recurso vai dar sugestões de designs gerados automaticamente para o tipo de conteúdo que você está criando. Vale destacar que o Google Drive também recebeu melhorias interessantes. O “Acesso Rápido” deve cortar pela metade o tempo que você gasta procurando arquivos na sua nuvem. Essa ferramenta utiliza Machine Learning ou Aprendizado de Máquina para prever o que você vai digitar na área de buscas baseando essas decisões no seu histórico de uso da ferramenta. Essa novidade por enquanto está disponível apenas no G Suite para Android.

EXPANSÃO

Por fim, a Google Agenda vai expandir sua funcionalidade “Encontrar um horário” para além do Android. A ferramenta web e para iOS do serviço receberão o recurso em breve, que permite encontrar um momento para um encontro ou reunião que seja interessante para todos os convidados sem que eles precisem discutir sobre isso. Há ainda uma série de pequenas melhorias que a Google fez na sua nova G Suite, o que basicamente são implementação de busca em linguagem natural e Aprendizado de Máquina onde é possível. Se você for um assinante, nos diga nos comentários o que achou da mudança. Você poderás utilizá-la clicando no link https://goo.gl/pZcnaZ  e usar os cupons de descontos (G3JWAVLEJVKKQME) e (W3HRETX7FKP7NWW) oferecidos pela google.

COMPARTILHE

Dilma vai usar delação de Funaro para pedir anulação do impeachment

defesa de Dilma Rousseff vai usar as declarações de Lucio Funaro em sua delação premiada para reforçar o pedido de anulação do impeachment que a tirou do cargo, em 2016.  Segundo o ex-operador do PMDB, o ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha recebeu R$ 1 milhão para “comprar” votos a favor do afastamento da petista. O próprio Funaro teria providenciado os recursos, que teriam sido usados para Cunha “ir pagando os compromissos que ele tinha assumido” com os parlamentares que votaram contra Dilma.  “Desde o início do processo de impeachment, a defesa da presidenta eleita Dilma Rousseff tem sustentado que o processo que a afastou da Presidência da República é nulo”, diz o ex-ministro e advogado da petista, José Eduardo Cardozo. “Agora, na delação premiada do senhor Lúcio Funaro, ficou demonstrado que o ex-deputado Eduardo Cunha comprou votos de parlamentares em favor do impeachment”, segue Cardozo, em nota. Ele afirma que a defesa de Dilma “irá requerer, nesta terça-feira, 17 de outubro, a juntada dessa prova nos autos do mandado de segurança, ainda não julgado pelo STF, em que se pede a anulação da decisão que cassou o mandato de uma presidente legitimamente eleita”.

LEIA NA ÍNTEGRA A NOTA DE CARDOZO

1. Desde o início do processo de impeachment, a defesa da presidenta eleita Dilma Rousseff tem sustentado que o processo de impeachment que a afastou da Presidência da República é nulo, em razão de decisões ilegais e imorais tomadas pelo ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha e por todos os parlamentares que queriam evitar “a sangria da classe política brasileira”.

2. Agora, na delação premiada do senhor Lúcio Funaro, ficou demonstrado que o ex-deputado Eduardo Cunha comprou votos de parlamentares em favor do impeachment.

3 – A defesa de Dilma Rousseff irá requerer, nesta terça-feira, 17 de outubro, a juntada dessa prova nos autos do mandado de segurança, ainda não julgado pelo STF, em que se pede a anulação da decisão que cassou o mandato de uma presidenta legitimamente eleita.

4. Entendemos que na defesa da Constituição e do Estado Democrático de direito, o Poder Judiciário não poderá deixar de se pronunciar a respeito, determinando a anulação do impeachment de Dilma Rousseff, por notório desvio de poder e pela ausência de qualquer prova de que tenha praticado crimes de responsabilidade. 

José Eduardo CardozoAdvogado da Presidenta Eleita Dilma Rousseff. Com informações da Folhapress.

COMPARTILHE

Gasolina tem aumento de 0,8% nas refinarias a partir deste sábado

Foto: Reprodução

O preço da gasolina vendida pela Petrobras nas refinarias será elevado em 0,8%, a partir deste sábado (14). A informação foi divulgada nesta sexta-feira (13) pela estatal. Isso não significa, necessariamente, aumento nos postos de gasolina. O valor final aos motoristas nas bombas deverá variar, de acordo com estoques dos postos e a concorrência, pois o preço ao consumidor é regulado livremente pelo mercado. Já o preço do óleo diesel sofreu redução de 0,2%, que também valerá a partir deste sábado. Segundo a Agência Brasil, a companhia informou que a política de preços para a gasolina e o diesel vendidos nas refinarias às distribuidoras tem como base o preço de paridade de importação, que representa a alternativa de suprimento oferecido pelos principais concorrentes para o mercado. “Em busca de convergência no curto prazo com a paridade do mercado internacional, analisamos nossa participação no mercado interno e decidimos periodicamente se haverá manutenção, redução ou aumento nos preços praticados nas refinarias”, explicou a estatal.

COMPARTILHE

Horário de Verão começa neste domingo nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste

Foto: Reprodução

O Horário de Verão será iniciado à 0h deste domingo (15) nos estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Os relógios devem ser adiantados, nessas regiões, em uma hora até o dia 18 de fevereiro de 2018. Nos estados do Norte e do Nordeste não haverá mudança nos relógios. É possível que esta seja a última vez que o Horário de Verão seja adotado no Brasil. Isso porque autoridades do setor elétrico constataram mudanças nos hábitos de consumo de energia dos brasileiros. De acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o que mais tem influenciado o horário de pico do consumo de energia não é mais a incidência de luz solar, e sim a temperatura. Em 2013, o país economizou R$ 405 milhões, ou 2.565 megawatts (MW), com a adoção do Horário de Verão. No ano seguinte, essa economia baixou para R$ 278 milhões (2.035 MW) e, em 2015 caiu ainda mais, para R$ 162 milhões. Em 2016, o valor economizado com Horário de Verão baixou novamente, para R$147,5 milhões. Segundo a Agência Brasil, a ONS aponta que a redução na economia de energia com o Horário de Verão tem a ver com uma mudança no perfil e na composição da carga elétrica no país. Se antes o que determinava o horário de pico do consumo de energia era a incidência da luz solar, hoje é a temperatura. Com isso, o pico de consumo passou a ser entre 14h e 15h e não mais entre 17h e 20h. O coordenador da Área de Regulação do Grupo de Estudos do Setor Elétrico da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Gesel-UFRJ), Roberto Brandão, afirmou que a mudança no perfil de consumo de energia também está relacionada ao uso de aparelhos de ar-condicionado, que costumam ser ligados nos horários mais quentes do dia; e, por outro lado, à substituição de lâmpadas incandescentes por modelos mais econômicos, o que reduz o gasto de energia com iluminação. Em agosto, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), o ONS e o Ministério de Minas e Energia chegaram à conclusão que, por causa dessa mudança de perfil de consumo de energia, a adoção do Horário de Verão atualmente “traz resultados próximos à neutralidade para o consumidor brasileiro de energia elétrica, tanto em relação à economia de energia, quanto para a redução da demanda máxima do sistema”. Apesar da indicação, o governo decidir manter o Horário de Verão este ano, mas para o período 2017/2018 a medida será reavaliada.

COMPARTILHE

Moro dá 48 horas para Lula entregar recibos de aluguéis de imóvel

juiz federal Sérgio Moro determinou que os advogados de defesa do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva têm o prazo de 48 horas para entregar os recibos originais de pagamentos dos aluguéis do apartamento investigado na Operação Lava Jato. O imóvel está localizado ao lado do apartamento de Lula em São Bernardo do Campo (SP), segundo o G1. A defesa solicitou que a entrega dos recibos fosse feita em uma audiência formal com a presença de um perito. “Os recibos deverão ser entregues na Secretaria deste Juízo e que os acautelará para submetê-los a perícia caso seja de fato deferida.”, determinou o juiz.  O Ministério Público Federal (MPF) acusa o político de receber propina da empreiteira Odebrecht, por contratos entre a empresa e a Petrobras e contesta a originalidade de 26 dos 31 recibos entregues previamente pela defesa. Para eles, os recibos são “ideologicamente falsos”.

COMPARTILHE

Câmara dos deputados deve votar hoje leniência para bancos

Uma das propostas legislativas mais polêmicas apresentadas este ano pelo governo Michel Temer ao Congresso, a Medida Provisória 784, que cria o acordo de leniência de instituições financeiras com o Banco Central, está prevista para ser votada hoje no plenário da Câmara. A base do governo corre contra o tempo para aprovar o texto na Casa e no Senado antes do dia 19, quando a MP perde a validade. Enquanto isso, dirigentes do primeiro escalão do BC agiram para evitar o acréscimo de um “jabuti” na proposta que está na Câmara, o que poderia prejudicar a tramitação.  O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que só colocará a MP em votação se o texto for modificado, ja que o texto ganhou “penduricalhos” ao passar pela comissão mista do Congresso. A medida provisória, além de tratar do acordo de leniência – espécie de colaboração premiada para empresas – estabelece novas regras de punição a instituições financeiras e instituições do mercado de capitais, reguladas pelo BC e pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Entre outros aspectos, ela determina parâmetros para a cobrança de multas de bancos e define as infrações que podem ser punidas. Pelo texto, bancos que cometerem delitos administrativos podem ser obrigados a pagar multa de até R$ 2 bilhões ou 0,5% da receita de serviços e de produtos financeiros. O limite anterior era de R$ 250 mil. Porém, quando foi editada, no início de junho, a MP foi alvo de duras críticas do Ministério Público Federal (MPF), que viu na proposta o risco de cerceamento do trabalho do órgão. A leitura era de que a proposta trazia inconstitucionalidades e poderia prejudicar a atuação do MPF na Lava Jato – cujas investigações estariam cada vez mais próximas do setor financeiro. Após meses de discussões entre BC e MPF, o texto da MP foi alterado e aprovado na comissão mista do Congresso que analisou a matéria. Os principais pontos foram mantidos, entre eles a criação do acordo com leniência, mas a proposta deixou mais claro que o novo marco punitivo a instituições versará apenas sobre delitos administrativos – e não sobre delitos penais, que são da alçada do MPF. Com informações do Estadão Conteúdo.

COMPARTILHE

Dinheiro público ajudou Nuzman a perpetuar seu poder no esporte

Tida como principal legado da gestão de Carlos Arthur Nuzman à frente do COB (Comitê Olímpico do Brasil), a Lei Piva financiou as entidades esportivas e as tornou dependentes de seus recursos, que são públicos.  Levantamento feito pela reportagem indica que 10 das 30 confederações esportivas olímpicas nacionais tiveram o exercício de 2017 totalmente custeado com verba da lei. Destas, sete afirmaram não ter outra fonte de renda senão os aportes oriundos da norma, sancionada em julho de 2001 após pesado lobby de Carlos Artur Nuzman no Congresso Nacional. “Se cortar a Lei Piva, o esporte nacional de alto rendimento para. No futuro, eu acho que todas as confederações têm que fazer o dever de casa e ir atrás de outros recursos. Minha ideia é que a Lei Piva caia para 20% dos meus recursos em 2020”, disse Marco Aurélio de Sá Ribeiro, presidente da Confederação Brasileira de Vela. A legislação instituiu que 1,7% da arrecadação bruta das loterias federais vai para o COB. O CPB (Comitê Paraolímpico Brasileiro) recebe 1% da receita com jogos de azar. Para 2017, por exemplo, o COB trabalhava com estimativa de R$ 210 milhões, dos quais R$ 85 milhões seriam dirigidos às confederações. A gestão do repasse desse dinheiro é do comitê. Nos 16 anos entre a sua criação e a última quinta (5), quando Nuzman foi preso temporariamente pela Polícia Federal por suposta participação na compra de votos para eleger o Rio sede dos Jogos de 2016, a Lei Piva ajudou a consolidar o domínio de poder do cartola dentro do COB. Nuzman instituiu salários a presidentes de confederações –e ainda a diretores delas– com recursos da lei (leia mais abaixo), por exemplo. Ao longo dos anos, o esporte olímpico nacional ficou cada vez mais “pivadependente” e as confederações, com cada vez menos autonomia.

DINHEIRO PÚBLICO

Entre as 29 confederações consultadas, levantamento de peso, esgrima, boxe, pentatlo moderno, ciclismo remo e hóquei sobre a grama disseram que suas receitas vêm 100% de verba pública. Vale um parêntese. Apenas boxe, com ouro nos Jogos do Rio-2016, e o pentatlo moderno, com um bronze em Londres-2012, foram ao pódio nas últimas duas Olimpíadas. Outras sete -triatlo, vela, tênis de mesa, desportos no gelo, wrestling, badminton e tiro esportivo- contaram com dinheiro da Lei Piva para compor 50% ou mais do orçamento para este ano. Somente o rúgbi disse que a fatia advinda da lei representa menos de 20% de seus ganhos –o vôlei não deu detalhes da divisão. Confederações de canoagem, basquete, hipismo e tiro com arco não responderam à reportagem. “Sem os recursos da Lei Piva, a CBHG não teria condições de continuar funcionando”, disse a confederação de hóquei sobre a grama. A modalidade foi a única que deixou de levar equipe para os Jogos do Rio. A equipe feminina nacional, por não figurar nem ao menos entre as 40 primeiras do ranking mundial, não pôde competir. Durval Balen, líder do tiro esportivo nacional, que obteve uma medalha de prata com Felipe Wu na Rio-2016, afirmou que a entidade “jamais teve patrocínio, seja de empresas públicas ou privadas”. “Ter recursos da Lei Piva é vital para a confederação manter as suas atividades. Sem estes, estaria inviabilizado, por exemplo, o trabalho de preparação dos nossos atletas das disciplinas olímpicas e pagamento dos salários de treinadores”, disse. Devido a problemas de Justiça ou de prestações de contas, o taekwondo, os esportes aquáticos e o basquete tiveram recursos da Lei Piva bloqueados nesta temporada.

RISCO

Tramitam no Congresso alguns projetos de lei que pedem alterações na Lei Piva. Uma delas é do deputado federal Ezequiel Texeira (PTN-RJ), que queria estabelecer teto para utilização dos recursos vindos da arrecadação na manutenção burocrática do COB, CPB e confederações. Outras visam tirar dos comitês olímpicos e paraolímpicos a responsabilidade de operar os repasses. “Se cortar a Lei Piva, o esporte nacional de alto rendimento para”, afirmou o presidente da confederação de vela, Marco Aurélio de Sá Ribeiro. “No futuro, eu acho que todas as confederações têm que fazer o dever de casa e ir atrás de outros recursos. Minha ideia é que a Lei Piva caia para 20% dos meus recursos em 2020”, complementou. A vela brasileira tem 59% de suas receitas bancadas pelo dinheiro da Lei Piva e outros 41% de patrocinadores. “A lei é muito boa por um lado, mas por outro pôs as confederações como agência pegadoras de dinheiro público”, finalizou o dirigente. Com informações da Folhapress.

COMPARTILHE

Ministério da Saúde alerta para vacinação contra sarampo e rubéola

O Ministério da Saúde fez hoje (3) um alerta sobre a necessidade de reforçar a vacina contra doenças como sarampo, caxumba e rubéola. A medida ocorre após países como França, Itália, Alemanha, Bélgica, Bósnia, Geórgia, Cazaquistão, Romênia, Sérvia, Dinamarca Ucrânia ficarem sob risco de surtos de sarampo e rubéola. De acordo com Organização Mundial da Saúde (OMS), o sarampo é considerado endêmico em nove países da Europa, e a rubéola, em 14.  O Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza a vacina tríplice viral, que evita o sarampo, a caxumba e a rubéola. A primeira dose deve ser tomada aos 12 meses de idade. Aos 15 meses, é necessária uma dose da vacina tetraviral, que corresponde à segunda dose da vacina tríplice viral mais uma dose da vacina contra a varicela. Caso haja atraso na vacinação, crianças de até 4 anos ainda podem receber a vacina com o componente varicela. A partir dos 5 anos até os 29 anos de idade, deverão ser administradas duas doses da vacina tríplice viral. Pessoas de 30 a 49 aos de idade devem receber uma só dose da vacina tríplice viral, caso não tenham sido vacinadas na idade correta. O governo alerta que, apesar de já não haver casos de sarampo no Brasil desde 2001, nem de rubéola desde 2010, existe o risco dos vírus voltarem a circular no país. Por isso, o Ministério da Saúde enfatiza a importância de que o esquema vacinal esteja completo, conforme as indicações do Calendário Nacional de Vacinação. Com informações da Agência Brasil.

COMPARTILHE

Casa do jogador do Grêmio pega fogo em Porto Alegre

A casa do jogador Jean Pyerre, promessa do Grêmio pegou fogo neste domingo (1º). Apesar da boa atuação no jogo contra o Fluminense, o meia de 19 anos passou por um susto no final do dia, ao saber da notícia.  De acordo com o portal UOL, a casa em que mora com a família em Alvorada pegou fogo. Por sorte, só danos materiais foram registrados. Nenhum dos familiares de Jean sofreu qualquer lesão, pois casa estava desabitada quando as labaredas começaram. O incêndio consumiu praticamente todos os itens que estavam distribuídos pelos cômodos. Em contato com a diretoria do Grêmio, Jean Pyerre relatou que os familiares passam bem. A direção do Grêmio está auxiliando a família e deverá ajudar na reposição das perdas, se o valor for considerável.

COMPARTILHE

Estádio da próxima Copa impressiona com arquibancada ‘para fora’

A Copa do Mundo da Rússia só começa no próximo ano, mas o país já está mostrando que quer impressionar. A Fifa divulgou imagens da Ekaterinburg Arena, o antigo Estádio Central de Iecaterimburgo, e o projeto ousado chamou a atenção. O estádio, que ainda está em construção, conta com setores de arquibancadas que estão completamente fora da cobertura (veja nas imagens acima). Essa novidade já estava prevista no projeto de reforma do estádio, que foi inaugurado em 957. De acordo com o site do Globo Esporte, esses lugares, que estão atrás dos gols, foram criados para atender a exigência da Fifa. Antes, o local comportava 27 mil torcedores e, após as modificações, será capaz de abrigar até 35 mil pessoas. (NoticiasAoMinuto)

COMPARTILHE

PRF prende mulheres com 2,1 mil balas de fuzil e pistola que iriam para o Rio de Janeiro

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu 2.150 projéteis para fuzis e pistolas na tarde deste domingo (1º), em Santa Terezinha de Itaipu, na região oeste do Paraná. A munição era transportada por três passageiras de um ônibus, abordado na BR-277, em frente à unidade operacional da PRF. O veículo fazia a linha entre Foz do Iguaçu e Rio de Janeiro. Os projéteis estavam colados ao corpo das passageiras, que usavam cintas elásticas, segundo a polícia. Do total de munição, 900 são para fuzil calibre 556, conforme a PRF. As demais 1.250 unidades são de calibre 9 milímetros. Aos policiais rodoviários federais, as presas – duas delas com 27 anos de idade e a terceira com 21- disseram ter adquirido a carga no Paraguai. Elas disseram que pretendiam leva-las até a capital fluminense. A equipe da PRF encaminhou as presas e o material apreendido para a Delegacia da Polícia Federal em Foz do Iguaçu. (G1)

COMPARTILHE

Nova lei trabalhista: troca de roupa e lanche serão descontados da jornada

Nova lei trabalhista, que entra em vigor em novembro, muda o critério que define o horário de trabalho. Atualmente, o período que o empregado está dentro da empresa é considerado como tempo à disposição do empregador, independente do que estiver fazendo. Com a nova lei, os minutos que o funcionário gasta, por exemplo, para colocar o uniforme ou no cafezinho com os colegas serão descontados da sua jornada. Ou seja, as atividades realizadas dentro da empresa como descanso, estudo, alimentação, interação entre colegas, higiene pessoal, práticas religiosas e troca de uniforme não serão contabilizadas no horário de trabalho. Mayara Rodrigues, advogada do escritório Aith, Badari e Luchin Advogados, explica que o tempo gasto pelo empregado desde a residência até a efetiva ocupação do posto de trabalho e para o seu retorno, caminhando ou por qualquer meio de transporte, inclusive o fornecido pelo empregador, não será computado na jornada de trabalho. No caso do uso de uniforme, Ruslan Stuchi, do escritório Stuchi Advogados, esclarece que caso haja a imposição de que a troca deva ser feita dentro da empresa, esse tempo deverá ser contabilizado dentro da jornada. Mas, caso não haja essa exigência, o tempo usado para a troca de roupa não contará como trabalhado. De acordo com o advogado trabalhista Roberto Hadid, do escritório Yamazaki, Calazans e Vieira Dias Advogados, atualmente, a jornada engloba, por exemplo, o tempo que o empregado leva dentro do ônibus fornecido pela empresa e o lanche feito antes do início do expediente. “Tudo aquilo que é feito dentro ou em função da empresa se caracteriza como jornada de trabalho”, explica. Danilo Pieri Pereira, especialista em direito e processo do trabalho do escritório Baraldi Mélega Advogados, lembra que a Justiça trabalhista entende atualmente como tempo à disposição todo o período dentro da empresa, ainda que executando atividades particulares como estudos, lazer, descanso ou até aguardando a melhoria do trânsito nas grandes cidades antes de retornar para casa. Hadid salienta que hoje não está especificado qual é a verdadeira jornada de trabalho e os intervalos. “Não tem como especificar horário de chegada, descanso, refeição”, diz.

COMPARTILHE

Funcionários da C&A vendem dados bancários de clientes na web, diz site

Atendentes da rede de varejo C&A estariam vendendo dados de clientes da loja por valores a partir de R$ 50. Entre as informações cedidas a terceiros, estão fotos de cartões de crédito, documentos pessoais e assinaturas.  De acordo reportagem do site TecMundo, alguns funcionários da rede possuem acesso ao sistema de ficha cadastrais a partir de computadores pessoais. Os criminosos, então, encontram interessados em grupos de redes sociais. Com os dados, fraudadores podem fazer compras pela internet, por exemplo Os funcionários podem avaliar, inclusive, o histórico de crédito dos clientes por meio do score da Serasa. Assim, são vendidos os dados de vítimas com histórico de bom pagador e renda mais alta.Ainda de acordo com a reportagem, não é possível estimar em que estados os golpes foram realizados. Em nota, a empresa diz que apura a denúncia. “A C&A informa que tomou conhecimento do assunto e esclarece que não é possível afirmar a veracidade do ocorrido. No entanto, de forma preventiva, já informou a administradora responsável pelos seus cartões e acionou as autoridades competentes se colocando à disposição para contribuir com as investigações. Esperamos que a questão seja finalizada o mais rápido possível”, diz o comunicado. (NoticiasAoMinuto)

COMPARTILHE

Ex-governador do Rio é condenado a 45 anos de prisão

O ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), foi condenado nesta quarta (20) por crimes investigados pela Operação Calicute, um dos desdobramentos da Lava Jato. O bandido foi condenado a 45 anos e 2 meses de reclusão, além de multa, por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e pertencimento a organização criminosa. De acordo com as investigações, o esquema desviava verbas dos contratos do governo do RJ com empreiteiras. Além de Cabral, a sentença do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal também condena outras 11 pessoas por participação no esquema. A esposa de Cabral, Adriana Ancelmo, foi sentenciada a 18 anos e 3 meses de prisão.  Cabral foi preso em novembro e atualmente está em Benfica, no presídio onde ficava o antigo Batalhão Especial Prisional (BEP). Já Adriana Ancelmo, que foi condenada pela primeira vez nesta quarta, cumpre prisão domiciliar em seu apartamento no Leblon. Na sentença Cabral é descrito como “idealizador do gigante esquema criminoso institucionalizado no âmbito do Governo do Estado do Rio de Janeiro, era o chefe da organização, cabendo-lhe essencialmente solicitar propina às empreiteiras que desejavam contratar com o Estado do Rio de Janeiro, em especial a Andrade Gutierrez, e dirigir os demais membros da organização no sentido de promover a lavagem do dinheiro ilícito”.

  • Sergio Cabral: 45 anos e dois meses de prisão mais multa.
  • Wilson Carlos: 34 anos de prisão mais multa.
  • Hudson Braga: 27 anos de prisão mais multa.
  • Carlos Miranda: 25 anos de prisão mais multa.
  • Luiz Carlos Bezerra: 6 anos e 6 meses de prisão mais multa.
  • Wagner Jordão Garcia: 12 anos e 2 meses de prisão mais multa.
  • Adriana Ancelmo: 18 anos e 3 meses de prisão mais multa.
  • Paulo Fernando Magalhães Pinto Gonçalves: 9 anos e 4 meses de prisão mais multa.
  • Luiz Paulo Reis: 5 anos e 10 meses de prisão mais multa.
  • Carlos Jardim Borges: 5 anos e 3 meses de prisão mais multa.
  • Luiz Alexandre Igayara: 6 anos de prisão mais multa.
COMPARTILHE

PF investiga fraude em 14 concursos, a maioria para o Judiciário

A Polícia Federal desarticulou nesta segunda-feira (18/9) uma quadrilha especializada em fraudar concursos públicos. Segundo as investigações, pelo menos 14 certames nacionais foram alvo do grupo, principalmente seleções para ingresso no Poder Judiciário. Eram utilizados pontos eletrônicos. Trata-se da segunda fase da Operação Afronta, batizada de Afronta II, que apurou irregularidades no concurso público do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (São Paulo) para os cargos de técnico e analista judiciário. Em 2015, durante a primeira etapa, foram indiciados nove integrantes da organização criminosa: o líder do grupo, o técnico responsável pelos equipamentos eletrônicos usados na fraude, quatro pessoas responsáveis pelos desvios das provas, e três responsáveis por corrigir as questões desviadas. Além disso, foram indiciados 12 candidatos que receberam as questões por meio de equipamentos de ponto eletrônico, e duas pessoas que também tiveram participação na fraude, embora não fossem membros da organização. No curso dos trabalhos, surgiram informações dando conta de que outros concursos também haviam sido fraudados. Diante disso, a Polícia Federal solicitou à Fundação Carlos Chagas informações sobre quais outros certames aqueles indivíduos responsáveis por desviar as provas (chamados de “pilotos”) haviam se inscrito e que fornecesse os gabaritos de respostas de todos os candidatos destes concursos suspeitos, num total de 43. Os gabaritos foram então encaminhados à perícia para que fossem submetidos ao SPADE (Sistema de Prospecção e Análise de Desvios em Exames), software desenvolvido pela Polícia Federal para aplicação em investigações de fraudes em concursos públicos e exames em geral.

Finalizada a perícia, constatou-se que a fraude havia sido consumada em 14 certames e que 47 candidatos haviam participado do crime, alguns deles tendo sido habilitados e empossados nos cargos para os quais concorreram. O sistema também encontrou indícios de cópia de respostas entre candidatos (“cola”) em outros 24 certames.

Oito destes concursos públicos, envolvendo 36 candidatos, haviam sido realizados depois da tipificação do crime de “fraudes em certames de interesse público”, previsto no Código Penal. Assim, foram instaurados inquéritos policiais nos locais das fraudes e nesta segunda foram cumpridos dois mandados de prisão temporária, quatro de condução coercitiva e 10 de busca e apreensão, expedidos pela Justiça Federal em São Paulo, nas cidades de Campinas/SP e Maceió/AL. Outros candidatos foram intimados para prestar esclarecimentos. Os candidatos serão indiciados por fraudes em certames de interesse público, cuja pena varia de um a quatro anos de reclusão e pelo crime de associação criminosa, cuja pena varia de um a três anos de reclusão. Metrópoles

COMPARTILHE

Segundo pesquisa CNT, reprovação a Michel Temer sobe para 84,5%

Em Nova York, onde fez o discurso de abertura da 72ª Assembleia Geral das Nações Unidas, e na véspera da apreciação, pelo STF, de nova denúncia contra ele, o presidente Michel Temer sofreu um revés com a divulgação da pesquisa CNT/MDA, na manhã desta terça-feira (19/9), em Brasília. O levantamento traz a pior avaliação tanto de desempenho pessoal quanto de governo de um presidente da República em toda a série histórica. De acordo com o levantamento, realizado entre os dias 13 e 16 de setembro, Temer enfrenta 84,5% de reprovação. A pesquisa anterior, publicada em fevereiro pela Confederação Nacional do Transporte, apontava um índice de 62,4%.

O índice da avaliação negativa do governo também registrou grande aumento, chegando a 75,6% ante 44,1% apontados em fevereiro. O número de pessoas que consideram o governo Temer como bom caiu de 9,1% para 2,9%. Apenas 0,5% avaliaram como ótimo. Em fevereiro de 2017, 1,2% dos entrevistados consideravam o governo ótimo.

Segundo a CNT, 80% dos entrevistados acreditam ainda que o presidente não está fazendo as reformas necessárias para o país e 58,6% afirmam não ter “nenhuma confiança” em Temer. Apenas 5,8% dos consultados acreditam que o governante está enfrentando os principais problemas do país. (Metropoles)

COMPARTILHE

Rezende fez pedido a Record antes de sua morte e emissora cumpriu

Lutando contra um câncer no pâncreas e no fígado, Marcelo Rezende, morto no último sábado (16)ficou afastado da Record no período mais crítico da doença. Nessa fase, o apresentador fez um pedido especial à emissora onde trabalhava e foi prontamente atendido. O desejo de Rezende era que o canal não preparasse nenhum material sobre ele antes que sua morte fosse confirmada. Segundo informações do TV Foco, as notícias sobre o falecimento do apresentador só foram preparadas depois que sua morte foi confirmada. Até a última sexta-feira (15), a direção da Record proibiu todas as produções de pegar qualquer imagem relacionada ao apresentador do ‘Cidade Alerta’ no arquivo da emissora.  O programa ‘Hora do Faro’, por exemplo, que já estava gravado e trazia material sobre Rezende, não exibiu nada sobre o assunto. Marcelo Rezende faleceu às 17h45 do sábado (16) e a Record anunciou somente às 19h12. O anúncio foi feito por Reinaldo Gottino.

COMPARTILHE

Morre jornalista Marcelo Rezende aos 65 anos, vítima de câncer

 

O jornalista Marcelo Rezende morreu, neste sábado (16/9), aos 65 anos. O autor do bordão “Corta para Mim” lutava contra câncer no fígado e no pâncreas. Desde a última terça-feira (12), ele estava internado no hospital Moriah, na Zona Sul de São Paulo. Marcelo Rezende construiu carreira na televisão em programas policiais. Antes de morrer, o jornalista comandava o “Cidade Alerta”, da rede Record. A atração mostrava crimes e ações das forças de segurança. O apresentador, que deixa cinco filhos, também passou pela Globo, onde comandou o “Linha Direta”. Na RedeTV! esteve à frente do telejornal “RedeTV! News”. Em maio deste ano, Rezende revelou a descoberta do câncer durante entrevista para o “Domingo Espetacular”. Apesar do diagnóstico, o jornalista, com mais de 30 anos de carreira, dizia estar muito otimista em relação à cura. Em decisão polêmica, o apresentador decidiu abandonar a quimioterapia e seguir tratamentos alternativos para combater o avanço da doença. “Uma das coisas que me deixaram triste foi quando eu desisti da medicina tradicional e algumas pessoas, ainda bem que foram poucas, me chamaram de covarde. Mas como posso ser covarde se cada passo que eu dou é orientado pelo meu Pai. Portando, eu quero dizer uma coisa: foi a melhor decisão que eu tomei”, escreveu o jornalista.(Com informações do Metrópoles)

COMPARTILHE