TRÁFICO DE DROGAS: Homem abandona o tráfico e gangue executa mãe e irmã dele a tiros

Depois que o filho de Ana Lúcia Gomes de Araújo de 53 anos, envolveu-se com o tráfico de drogas, a família se esfacelou. Após muitos conselhos dados por parentes para que abandonasse o crime, quando ele finalmente ouviu as recomendações, não houve perdão. Depois de uma tentativa do ex-traficante de sair da gangue do bairro Novo Horizonte, em Vespasiano, na região metropolitana de BH, os antigos comparsas mataram Ana Lúcia e a irmã do jovem, a estudante Franciane de Araújo Rodrigues, de 25 anos. Nesta terça-feira (9), a Polícia Civil apresentou os cinco suspeitos do crime, que, segundo a delegada Alice Batello, contaram com a ajuda de quatro menores. “Os maiores responderão por homicídio, com concurso material por furto e corrupção de menores. Solicitamos também à Justiça a apreensão dos menores”, disse a delegada. Ela contou que a ordem foi ditada de dentro da cadeia por um homem, de 28 anos, líder da gangue, que havia sido preso duas semanas antes por ameaçar as vítimas. “Depois da prisão, os criminosos ordenaram a saída das duas do bairro, e, como elas permaneceram, foram mortas em janeiro”, narrou. Recluso. Desde que tentou abandonar o tráfico, o ex-criminoso teve que se mudar e entrar para o programa de proteção à testemunha da polícia. Ele precisou assumir outra identidade e mora em localidade desconhecida até mesmo pela família.

Menores corrompidos

A gangue do bairro Novo Horizonte agia de forma a “blindar” os traficantes. Para isso, segundo os investigadores, cada adulto tinha um menor por perto, nos pontos de tráfico. “Em caso de prisão pela PM, os menores assumiam a droga e assim os maiores saíam impunes”, explicou Alice Batello. Todos os suspeitos tinham passagens pela polícia.

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esta matemática é de preenchimento obrigatório. * O prazo está esgotado. Digite novamente o valor CAPTCHA.