Brasil







COVID-19: BRASIL REGISTRA MAIS 614 MORTOS NAS ÚLTIMAS 24 HORAS

Foto: © Reuters

O Ministério da Saúde brasileiro anunciou, esta quarta-feira, durante a conferência diária sobre os desenvolvimentos da Covid-19 no país, que, nas últimas 24 horas, foram registados mais 614 mortos, o maior aumento diário de óbitos no país desde o início da pandemia.

No total, o coronavírus já provocou 8.535 vítimas mortais no Brasil. No que diz respeito ao número de infetados, também foi verificado o maior aumento de sempre, tendo-se identificado mais 10.381 novos casos confirmados de coronavírus de ontem para hoje. No total, o Brasil regista, agora, 125.096 infetados no país. (Informações: Notícias ao Minuto)

COMPARTILHE

FAMÍLIA ABRE CAIXÃO DURANTE VELÓRIO, VÊ DESCONHECIDA E DESCOBRE QUE IDOSA COM COVID-19 ESTÁ VIVA

Foto: Arquivo Pessoal

A família de Maria da Conceição Oliveira de 68 anos passou por momentos de indignação. A idosa foi dada como morta, como se fosse vítima de Covid-19, mas, na verdade, houve uma troca de corpos. A paciente está viva e segue tratando a doença em um hospital de Belém (PA).

A descoberta aconteceu após o neto de Maria abir o caixão onde a avó supostamente estava. As informações são do G1. A idosa foi internada no Hospital Abelardo Santos, em 30 de abril, e no dia seguinte a família recebeu a certidão de óbito dela.

ma funerária levou o caixão de Maria até a casa dos parentes. Devido à pandemia da Covid-19, eles foram orientados a não abrir o caixão. Os filhos perguntaram como a mãe estava e suspeitaram que não se tratava de Maria, visto que funcionários da funerária disseram que ela vestia uma bata vermelha e tinha cabelos brancos.

O neto de Maria teve a coragem de abrir o caixão e, para a surpresa, o corpo era de outra pessoa. A família voltou ao hospital e mais de 30 cadáveres foram verificados por um parente. Nenhum era de Maria.

Uma enfermeira se solidarizou e por meio de uma chamada de vídeo foi até o leito onde a idosa estava internada. Por lá a mulher foi encontrada. Ela está se recuperando da doença e até caminhou nos corredores do quarto em que está internada.

A secretaria de Saúde do Pará admitiu o erro e alegou que o fato foi consequência da falta de estrutura por conta do aumento de doentes e mortos pela Covid-19. O Estado, até esta terça-feira (5), tem 4.756 casos confirmados do novo coronavírus.

COMPARTILHE

BRASIL REGISTRA 600 MORTES POR CORONAVÍRUS, NOVO RECORDE DO PAÍS EM 24 HORAS

Dados oficiais do Ministério da Saúde indicam que o Brasil possui pelo menos 7.921 mortes confirmadas em decorrência do novo coronavírus. Foram exatos 600 óbitos a mais divulgados na noite desta terça-feira (5). Com isso, a taxa de letalidade atual é de 6,9%. O número de casos também cresceu, com 6.935 registros de ontem para hoje. O número atual é de 114.715 casos da doença espalhados pelo país.

CORONAVÍRUS NA BAHIA

Não só o Brasil bateu recorde nesta noite. A Bahia registrou seu maior número de casos em 24 horas, com mais 306 diagnósticos de coronavírus. Números oficiais da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) contabilizam 4.040 casos da doença, com 146 óbitos.

COMPARTILHE

AOS 85 ANOS, ATOR FLÁVIO MIGLIACCIO É ENCONTRADO MORTO EM SEU SÍTIO

O ator Flávio Migliaccio, de 85 anos, foi encontrado morto em seu sítio na Serra do Sambê, em Rio Bonito, interior do Rio de Janeiro. A informação foi antecipada pelo colunista Ancelmo Gois.  A morte foi registrada pelo 35º Batalhão de Polícia Militar do estado nesta segunda-feira, após atender a um chamado feito pelo caseiro do sítio do artista, de acordo com a Veja.

Na Globo, participou de novelas como “Rainha da Sucata”, “Perigosas Peruas”, “A Próxima Vítima”, “Vila Madalena”, “Senhora do Destino” e “Passione”, além da série “Tapas e Beijos”. O último trabalho do ator na TV foi como o Mamede, em “Órfãos da terra”, que terminou em 2019.

COMPARTILHE

CAIXA ABRE DUAS HORAS MAIS CEDO A PARTIR DE SEGUNDA-FEIRA (4)

Foto: Jackson Cristiano/Ubaitaba Urgente

Foto: Jackson Cristiano/Ubaitaba Urgente

A partir desta segunda-feira (4) a Caixa vai antecipar em duas horas a abertura de todas as agências do país. Com a mudança – pensada para agilizar o atendimento e evitar grandes filas e aglomeração de pessoas aptas a receber o auxílio emergencial de R$ 600 – as unidades passarão a funcionar de 8h às 14h. Desde 22 de abril, 1.102 agências já vinham funcionando nesse horário.

O banco também anunciou, a partir desta segunda-feira, um reforço no número de vigilantes nas agências. Serão mais 2.800 que vão se juntar aos 2 mil que já estavam atuando. Além deles, outras 389 recepcionistas vão reforçar orientação e atendimento ao público.

Segundo o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, as filas nas agências do banco ocorrem porque os beneficiários do Bolsa-Família e os informais sem conta demandam atendimento pessoal. No próximo sábado (9) 1,4 mil agências vão abrir para realização do saque do auxílio emergencial, serão 498 a mais que nesse sábado (2), quando 902 atenderam a população.

SEGUNDA PARCELA

Para que se evite filas, o pagamento da segunda parcela do benefício, deste mês, será reformulado e divulgado após uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro ainda essa semana. Antes disso uma proposta de datas será discutida com os ministros da Economia, Paulo Guedes e da Cidadania, Onyx Lorenzoni.

CANAIS DIGITAIS

A prioridade ainda é manter o atendimento digital, por meio do cadastramento por app, site e a movimentação do benefício pelo “Caixa Tem”. A Caixa ressalta a importância de que só devem ir pessoalmente às agências os usuários que precisam realizar serviços essenciais ou os beneficiários que receberam o auxílio na Poupança Social Digital e querem receber o benefício em dinheiro.

O banco orienta que aqueles que receberam o crédito por meio da “Poupança Digital Caixa” devem pagar boletos e contas de água, luz, telefone, entre outras, bem como fazer transferências para outros bancos por meio do aplicativo.

É importante esclarecer que os beneficiários do Auxílio Emergencial que receberam o crédito em poupança da CAIXA podem movimentar o valor digitalmente pelo Internet Banking ou mesmo utilizando o cartão de débito em suas compras. Os beneficiários do Bolsa Família aptos para o auxílio recebem o crédito no mesmo calendário e na mesma forma do benefício regular, por meio do cartão Bolsa Família nos canais de autoatendimento, lotéricas e correspondentes “Caixa Aqui”; ou por crédito na conta “Caixa Fácil”.

Para quem busca informações sobre o cadastro, os canais são o site auxilio.caixa.gov.br, o app Caixa | Auxílio Emergencial e a central telefônica exclusiva 111. Desde o dia 9 de abril, quando teve início o pagamento, 50 milhões de brasileiros já receberam o crédito do benefício, ou seja, um em cada três brasileiros adultos. Ao todo, mais de R$ 35 bilhões já foram creditados.

Segundo a Caixa, até 18h ontem (2), 50,2 milhões de cidadãos se cadastraram para solicitar o benefício. O site superou a marca de 606 milhões de visitas e a central exclusiva 111 registra mais de 115 milhões de ligações. O aplicativo Auxílio Emergencial Caixa já registrou 74,3 milhões de downloads e o aplicativo Caixa Tem, para movimentação da poupança digital, ultrapassou 77 milhões de downloads. (Informações: Agência Brasil)

COMPARTILHE

COVID-19: BRASIL CHEGA A 85 MIL CASOS E ULTRAPASSA CHINA; PAÍS TEM 5.901 MORTOS

O Brasil registrou mais um dia com registro superior a 400 mortes por coronavírus nesta quinta-feira (30). De acordo com o Ministério da Saúde, nas últimas 24 horas foram registradas novas 435 mortes pela Covid-19.

O total de óbitos no país é de 5.901, o que o torna o 9º em número de mortes no mundo. Os casos confirmados da doença saltaram de 78.162 na quarta-feira (29), para 85.380 nesta quinta, um acréscimo de 7.218 novos casos em um dia.

Com esse número o Brasil ultrapassou a China em diagnósticos positivos. O país asiático, onde começou a epidemia, tem 83.944 casos.

COMPARTILHE

ESTUDO APONTA QUE BRASIL PODE TER 1,2 MILHÃO DE CASOS DO NOVO CORONAVÍRUS

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Se considerados os casos que não foram notificados, o Brasil já pode ter chegado a 1.201.686 pessoas infectadas com o novo coronavírus. É o que aponta um estudo feito pelo portal Covid-19 Brasil, que possui cientistas de diversas universidades do país. O número é 16 vezes maior do que o divulgado oficialmente (73.553), e superaria o número oficial de casos nos Estados Unidos.

O principal fator para isso, segundo o estudo, é o fato de que o Brasil só tem notificado os casos mais graves da doença. Vale lembrar que, com a margem de erro, esse número extraoficial pode variar entre 957.085 e 1.494.692. As informações são do jornal O Globo.

Na visão do especialista em modelagem computacional Domingos Alves, integrante do grupo e líder do Laboratório de Inteligência em Saúde (LIS) da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da Universidade de São Paulo (USP), o número ainda poderia ser maior, se não houvesse o distanciamento social, mesmo que de 50% no Brasil, considerado insuficiente.

COMPARTILHE

APÓS CRITICAR ISOLAMENTO SOCIAL, SIKÊRA JR. TESTA POSITIVO PARA COVID-19 E ESTÁ COM PULMÕES COMPROMETIDOS, DIZ JORNALISTA

Foto: Reprodução/Rede TV

Foto: Reprodução/Rede TV

Polêmico e inicialmente crítico ao isolamento domiciliar, medida para conter a disseminação do novo coronavírus, o jornalista Sikêra Jr apresentou piora em seu quadro de saúde após ser testado positivo para a Covid-19. De acordo com o portal Contigo, com base em informações divulgadas pela imprensa do Amazonas, Sikêra está com os dois pulmões comprometidos e o estado de saúde do jornalista preocupa.

Desde que apresentou os primeiros sintomas, ele foi afastado da apresentação do “Alerta Nacional”. Durante o noticiário policial, Jr chegou a defender a volta ao trabalho da população. O programa, que é realizado em Manaus, tem transmissão para todo país através da Rede TV!.

Como tem sido noticiado, o Amazonas e mais especificamente a capital, é um dos locais no Brasil mais afetados pela nova doença. (Informações: Bahia Notícias)

COMPARTILHE

BRASIL PASSA CHINA EM VÍTIMAS FATAIS DA COVID-19: ‘E DAÍ? LAMENTO, QUER QUE EU FAÇA O QUÊ?’, DIZ BOLSONARO

Foto : Carolina Antunes/PR

O Brasil atingiu ontem a marca de 5 mil mortos por causa do novo coronavírus. Confrontado com a informação, o presidente da República, Jair Bolsonaro, perguntou a jornalistas o que ele poderia fazer.  Além disso, o país teve 474 óbitos em 24 horas.  “E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagre​”, afirmou ao ser questionado sobre os números. As mortes de hoje, a princípio, essas pessoas foram infectadas há duas semanas.

É o que eu digo para vocês: o vírus vai atingir 70% da população, infelizmente é a realidade. Mortes vão haver. Ninguém nunca negou que haveria mortes”, continuou o presidente. Depois de questionar e ser informado de que sua entrevista estava sendo transmitida ao vivo em redes de televisão, Bolsonaro buscou dar uma uma declaração mais amena sobre o assunto.

“Lamento a situação que nós atravessamos com o vírus. Nos solidarizamos com as famílias que perderam seus entes queridos, que a grande parte eram pessoas idosas, mas é a vida. Amanhã vou eu. Logicamente que a gente quer, se um dia morrer, ter uma morte digna, né? E deixar uma boa história para trás”, disse o presidente, segundo a Folha.

COMPARTILHE

BRASIL REGISTRA 474 MORTES EM 24 HORAS E JÁ TEM MAIS DE 5 MIL ÓBITOS CONFIRMADOS POR COVID-19

Foto: Guito Moreto / Agência O Globo

Foto: Guito Moreto / Agência O Globo

O número de pessoas diagnosticadas com o novo coronavírus no Brasil subiu para 71.886 e o total de mortes chega a 5.017, ultrapassando as computadas na China, primeiro epicentro da doença. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Saúde na tarde desta terça-feira.

No último balanço do governo, na segunda-feira, o total de infectados chegava a 66.501, com 4.543 mortes confirmadas. Este é o maior número de mortes por Covid-19 já registrado em um único dia desde o início da epidemia no Brasil.

Em comparação com ontem, a quantidade subiu 10,4%, com 474 óbitos notificados. Em relação ao número de casos conformados, esta é a segunda maior quantidade registros em 24 horas no país.  De segunda para terça-feira, foram mais 5.385 casos novos da doença, um crescimento de 8,1% de segunda para terça. (Informações: EXTRA)

COMPARTILHE

SP TEM REGISTRO RECORDE DE MORTES POR CORONAVÍRUS, GRANDE SP TEM 81% DOS LEITOS DE UTI OCUPADOS

© Foto: Getty

Estado com maior número de casos do novo coronavírus no País, São Paulo registrou um recorde de mortes pela doença, com 224 óbitos, um aumento de 12% em relação ao número divulgado na segunda-feira, 27. Com isso, São Paulo já contabiliza 2.049 mortes. A informação foi divulgada em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes.

“Como não temos uma fila de testes, isso significa que esses novos casos foram confirmados e são desses dias, por agora”, afirmou o secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann. Chefe do Centro de Contigência da Covid-19 no Estado, o infectologista Davi Uip afirmou que “o balanço de óbitos nas últimas 24 horas é o mais importante até então.”

O Estado tem 24.041 casos confirmados da doença, com 2.300 novos casos, um aumento de 11%. De acordo com o balanço, 81% dos leitos de UTI na Grande São Paulo estão ocupados. No Estado, esse índice é de 61,6%. De acordo com Germann, 1.437 pessoas estão internadas em UTI. Em enfermaria, há 1.800 pacientes internados.

A taxa de ocupação nesses leitos é de 44,5% no Estado e 70% na região metropolitana. “Estamos chegando em um limite perigoso”, afirmou Geraldo Reple Sobrinho, secretário municipal de Saúde de São Bernardo do Campo e presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo (Cosems/SP).

 “Quando se atinge 80%, (de ocupação de leitos de UTI) começa a ter um certo risco muito aumentado. Porque a média de permanência de um doente da covid-19 em UTI é de mais de 15 dias. Em um leito de UTI, eu consigo colocar dois pacientes por mês”, disse Sobrinho, que participou da coletiva e é membro do Centro de Contigência. (Informações: MSN)

COMPARTILHE

MORTES POR CORONAVÍRUS NO BRASIL LEVAM ATÉ UM MÊS PARA TER CONFIRMAÇÃO

Foto: Michael Dantas / AFP

Foto: Michael Dantas / AFP

Investigações para confirmação de mortes por coronavírus no Brasil chegam a demorar até um mês para serem concluídas, segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo. De acordo com a publicação, entre os dados divulgados pelo Ministério da Saúde na segunda-feira (27), há casos de óbitos ocorridos em 23 de março, por exemplo. Os números completos, com a distribuição por data, não foram informados.

Gráficos divulgados pelo ministério mostram que, embora parcela expressiva das confirmações seja da última semana, há registros que levam vários dias para serem inseridos nas estatísticas. “Uma questão que sempre vem à tona e que estamos tentando mostrar, por orientação do ministro, é esses óbitos estão sendo encerrados. São óbitos que ocorreram em momentos distintos e que concluíram as investigações.

Não quer dizer que todos os 338 óbitos ocorreram no mesmo momento de ontem para hoje”, disse o secretário de vigilância em saúde, Wanderson Oliveira, ao apresentar os dados. Segundo ele, os dados atuais mostram que 86% das mortes já tiveram a investigação concluída. Dados informados pela pasta apontam 1.136 óbitos ainda em investigação.

O atraso na confirmação de mortes e a possibilidade de subnotificação têm sido alvo de críticas., destaca a Folha. Boletim epidemiológico divulgado pela pasta, porém, afirma que o sistema usado para registro de mortes hoje é “robusto” e há “baixa subnotificação”.

COMPARTILHE

BRASIL REGISTRA 189 MORTES POR COVID-19 NAS ÚLTIMAS 24 HORAS E 3.379 NOVOS CASOS

Foto: REUTERS/Amanda Perobelli

O Brasil registrou 189 mortes decorrentes do novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo dados atualizados neste domingo, 26, pelo Ministério da Saúde. Com isso, o total de vítimas da covid-19 no País chegou a 4.205. Até sábado, eram 4.016 óbitos. O número de pessoas infectadas subiu para 61.888, em razão das novas 3.379 contaminações registradas no período.

São Paulo é o epicentro da pandemia no Brasil. Até este domingo, o Estado tinha 20.715 casos confirmados e 1.700 mortes de pessoas infectadas pelo coronavírus. Outros Estados têm situação crítica por conta da alta incidência e da sobrecarga nos sistemas de saúde. No Rio de Janeiro, são 645 mortes e 7.111 casos. No Ceará, 5.833 contaminações e 327 vítimas.

Em Pernambuco e no Amazonas foram confirmadas, respectivamente, 415 e 304 mortes. O País com maior número de mortos pelo novo coronavírus é o Estados Unidos, com 54.965 vítimas fatais. É seguido pela Itália, com 26.644, e pela Espanha, com 23.190. (Informações: MSN)

COMPARTILHE

BRASIL REGISTRA 357 MORTES POR COVID-19 NAS ÚLTIMAS 24H

Foto: AP Photo/Edmar Barros

O Brasil teve um aumento de 10,8% no numero de mortes por decorrência do coronavírus nas últimas 24 horas. De acordo com o Ministério da Saúde, nesta sexta-feira (24), o país passou a ter 3.670 mortes. Na quinta-feira (23) esse número estava em 3.313.

Nos últimos sete dias, foram mais 1.323 mortes confirmadas pela pasta. O número de casos confirmados da doença também aumentou, foram 7,1% a mais que o dia anterior, passando de 49.492 casos para 52.995 confirmações em todo o país. O estado de São Paulo segue com o maior número de casos e de mortes do Brasil, com 17.826 casos e 1.512 mortes.

COMPARTILHE

MINISTÉRIO DA SAÚDE PREGA CAUTELA APÓS REGISTRO DE 407 MORTES EM 24 HORAS NO BRASIL

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O ministro da Saúde, Nelson Teich, não sabe se o alto número de mortes por coronavírus no Brasil registrada nas últimas 24 são um resultado do esforço para zerar fila de testes, ou tendência de alta diária de aumento de casos. O titular da pasta participou de uma coletiva na tarde desta quinta-feira (23) no Palácio do Planalto.

Segundo Teich, alguma ação do Ministério da Saúde só será tomada após observar se a tendência de aumento de mortes for mantida pelo próximos dias. Teich enfatizou que não é contrário ao isolamento, e que a medida é necessária a depender da situação. O ministro defendeu o mapeamentoe definição de critérios e estratégias para a saída do isolamento.

“Não quer dizer que vai sair amanhã, e que alguém defenda isolamento ou não, a gente defende o melhor para sociedade”, disse.   “Se eu puder flexibilizar [o isolamento], e isso não interferir na vida das pessoas, vai acontecer na hora certa”, afirmou Nelson Teich. (Informações: Bahia Notícias)

COMPARTILHE

BRASIL REGISTRA RECORDE DIÁRIO COM 407 MORTES REGISTRADAS EM 24H; Nº DE CASOS CRESCE 14%

O Brasil registrou 407 mortes por coronavírus em 24h. A informação foi divulgada pelo Ministro da Saúde, Nelson Teich, nesta quinta-feira (23), em entrevista coletiva. O número é um recorde absoluto até o momento.

Para efeitos de comparação, no boletim disponibilizado pela pasta na última quarta-feira (22), haviam morrido 137 pessoas em 24h.  Agora, o país acumula 3.313 óbitos pela Covid-19 e 49.492 casos no somatório geral, e 3.735 diagnósticos positivos a mais em relação à última quarta. O índice de letalidade subiu 0,3% e chegou a 6,7%.

COMPARTILHE

OITO CRIANÇAS JÁ MORRERAM COM CORONAVÍRUS NO CEARÁ

Foto: Getty Images/iStockphoto

Estado nordestino mais atingido pelo novo coronavírus, o Ceará já registrou oito mortes de crianças, segundo dados registrados até segunda-feira (20) no Portal Integra SUS. Até o momento, o estado tem 153 pacientes com Covid-19 na faixa etária entre zero e 19 anos.

Desses, 83 são em crianças com até quatro anos de idade. Nesta segunda-feira (20), o Ceará chegou a 206 mortes por Covid-19 e 3.487 casos totais confirmados. A doença se espalhou por 100 municípios cearenses nas últimas três semanas.

Vale lembrar que o estado enfrenta a falta de testes, o que pode provocar uma subnotificação. Ou seja, o número de pessoas infectadas pelo vírus pode ser ainda maior.

COMPARTILHE

BRASIL: COM TOSSE FORTE, BOLSONARO DISCURSA PARA APOIADORES

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), mesmo com uma forte tosse, foi ao encontro de apoiadores que protestavam contra as medidas adotadas por governadores e prefeitos em combate à pandemia do novo coronavírus.

Em frente ao QG do Exército, em Brasília, o presidente fez um pequeno discurso para os que estavam presentes na manifestação. “Vocês estão aqui porque acreditam no Brasil. Não queremos negociar nada, nós queremos ação pelo Brasil.

 O que tinha de velho ficou para trás.  Nós temos um novo país pela frente”, disse Bolsonaro em referência ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), embora não o tenha citado. “Todos têm que ser patriotas e fazer a sua parte para que possamos colocar o Brasil no lugar que merece.

Acabou a época da patifaria. Agora, é o povo no poder”, continuou o presidente. “Contem com o presidente para fazer tudo o que for necessário para que possamos manter a nossa democracia e garantir a liberdade”, concluiu Bolsonaro, tossindo, e aos gritos de “mito”. (Informações: Conversa Afiada)

Assista ao vídeo:

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por UBAITABA URGENTE (@ubaitabaurgente) em

COMPARTILHE

BRASIL REGISTRA 38.654 CASOS CONFIRMADOS DE CORONAVÍRUS E 2.462 MORTES

Subiu para 38.654 o número de casos confirmados de coronavírus no Brasil. Nas últimas 24 horas foram 2.055 novas confirmações. O número de óbitos também aumentou, agora são 2.462, representando uma taxa de letalidade da doença no Brasil de 6,4%.

Os números estão consolidados com as informações que foram repassadas pelas Secretarias Estaduais de Saúde ao Ministério da Saúde até às 14h deste domingo (19). (Informações: Ministério da Saúde)

COMPARTILHE

SP: ESTADO TEM 14,2 MIL INFECTADOS E MAIS DE MIL MORTOS PELO CORONAVÍRUS

São Paulo mantém a liderança em casos e mortes no Brasil.

São Paulo mantém a liderança em casos e mortes no Brasil.

Com mais 24 mortos em decorrência do novo coronavírus, de ontem para hoje, domingo (19), o estado de São Paulo ultrapassou a maca de mil mortes. Agora, já são 1.015 pacientes que perderam a guerra contra a doença. O número de infectados somam 14.267. As informações são da secretaria estadual da Saúde.

O número atualizado representa uma alta de 2,68%, se comparado aos 13.864 registros feitos até ontem. Quanto aos óbitos, tem-se um aumento de 2,42%, também em referência ao dia anterior, que calculou 991 mortes.

Desde o primeiro registro de óbito, há 32 dias o estado assumiu e mantém a liderança em casos e mortes no Brasil. No estado, 228 cidades já confirmou pelo menos um caso de infectado pelo novo coronavírus. (Informações: Bahia.ba)

COMPARTILHE

RJ: SISTEMA DE SAÚDE PODE ENTRAR EM COLAPSO A QUALQUER MOMENTO

93,9% dos leitos de uti do Rio já estão ocupados.

93,9% dos leitos de uti do Rio já estão ocupados.

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) e a Defensoria Pública do Estado afirmam, através de denuncia em ação civil pública, que a ocupação dos leitos de UTI da cidade já chega a 93,9% da capacidade e pedem que Estado e município desbloqueiem 155 leitos de tratamento intensivo para pacientes com covid-19. De acordo com informações da IstoÉ Os governos negam que faltem leitos.

Segundo o pedido de liminar encaminhado à Justiça do Rio, o Estado e o Município destinaram à capital fluminense 749 leitos de UTI para tratamento do coronavírus. Isso inclui os hospitais de campanha, cuja inauguração está prevista apenas para o dia 30. Desses leitos, 287 estão nos hospitais estaduais e municipais da cidade e 155 ainda não entraram em operação ou estão sendo utilizados para outros fins. Os números foram levantados com base em dados do Sistema Nacional de Regulação (SISREG), sistema online que o Ministério da Saúde põe à disposição de Estados e municípios para gerenciamento e operação das centrais de regulação.

Os leitos bloqueados estão previstos no Plano de Contingência à Covid-19 e já deveriam estar em funcionamento. O MP-RJ e a Defensoria solicitam que o desbloqueio seja feito em cinco dias. Caso a medida não seja adotada, a ação requer que sejam requisitados leitos ociosos e disponíveis na rede privada.

COMPARTILHE

200 PESSOAS MORRERAM POR CORONAVÍRUS NAS ÚLTIMAS 24H NO BRASIL; NÚMERO SOBE PARA 2.347

Em sete dias, foram 1.224 mortes por Covid-19.

Em sete dias, foram 1.224 mortes por Covid-19.

O mais recente balanço do Ministério da Saúde sobre os casos de coronavírus no Brasil apontou que em 24h o país registou 206 mortes pelo vírus. O número total de mortes subiu para 2.347, o que equivale a um aumento de 9,6%. Em sete dias, foram 1.224 mortes confirmadas pela pasta, um aumento de 108,9%.

O número de casos confirmados da doença também subiu, passando de 33.682 para 36.599 confirmações em todo o país. O estado com mais casos ainda é São Paulo, com 13.894 casos confirmados e 991 mortes por Covid-19.

Segundo o ministério, os outros quatro estados brasileiros que mais registraram mortes por Covid-19 foram: Rio de Janeiro (387), Pernambuco (205), Ceará (176) e Amazonas (161).

COMPARTILHE

RJ: ADOLESCENTE QUE MORREU POR CORONAVÍRUS FEZ TRATAMENTO COM CLOROQUINA

Kamilly Ribeiro tomou o medicamento quando estava no CTI.

Kamilly Ribeiro tomou o medicamento quando estava no CTI.

A adolescente de 17 anos que morreu em decorrência do novo coronavírus, em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, fez tratamento com hidroxicloroquina. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, Kamilly Ribeiro tomou o medicamento quando estava no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital Moacyr do Carmo.

De acordo boletim médico, a unidade de saúde usou a cloroquina “conforme indica o protocolo do Ministério da Saúde”. A dona de casa Germaine Ribeiro confirmou o uso da cloroquina durante internação. “Ela ficava em uma cama e eu em outra.

Lembro que ela chegou a sentir falta de ar e pediu para trocar de cama comigo. Também fizemos uso de oxigênio. No dia 24, Kamilly passou mal e vomitou. Gritei e chamei os médicos, aí ela foi levada para outro leito e entubada”, relatou. Em 12 dias, a mulher perdeu a filha para a Covid-19 e o marido para um AVC.

COMPARTILHE

BOLSONARO ANUNCIA NOVO MINISTRO DA SAÚDE E VOLTA A DEFENDER FLEXIBILIZAÇÃO EM ISOLAMENTO

© Reprodução Jair Bolsonaro e o novo ministro da Saúde Nelson Teich

Ao anunciar a demissão do ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e a sua substituição pelo oncologista Nelson Teich, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender a flexibilização do isolamento social no país em meio à pandemia de coronavírus e ressaltou a preocupação de que a medida agrave o desemprego no país.

“O que eu conversei ao longo desse tempo com o oncologista Dr. Nelson foi fazer com que ele entendesse a situação como um todo, sem abandonar obviamente o principal interesse, a manutenção da vida, mas sem esquecer que ao lado temos outros problemas, como o desemprego, que cada vez mais vemos que são claros no nosso país. Junto com o vírus, veio uma máquina de moer empregos.

As pessoas mais humildes começaram a sentir primeiro, essas não podem ficar em casa por muito tempo. Não podemos prejudicar os mais necessitados, que não têm como ficar em casa sem buscar seu alimento e o primeiro que sofreu com isso foram os informais.

Os empregos com carteira estamos vendo também, temos conversado com a sociedade, cada vez mais estão sendo destruídos. Nós nos preocupamos para que essa volta a normalidade chegue o mais breve possível”, disse o presidente, ao lado de Teich. (Reuters)

COMPARTILHE

PELO SEGUNDO DIA, MAIS DE 200 MORTES SÃO REGISTRADAS EM 24H NO BRASIL

Foto: Ayrton FreireInter /TV Cabugi

O Brasil registrou, pelo segundo dia consecutivo, mais de 200 mortes por Covid-19 em 24 horas. Segundo o Ministério da Saúde, houve um aumento de 13% de um dia para o outro e o número total de mortes chegou a 1.736 em todo o país. As informações foram divulgadas nesta quarta-feira (15). Em sete dias, o total de mortes por decorrência do novo coronavírus subiu 84%.

O número de casos confirmados subiu 12% no Brasil, passando de 25.262 casos para 28.320 casos confirmados. O Estado de São Paulo segue com o maior número de infectados do país com 11.043 confirmações e 778 pacientes mortos.

O estado do Rio de Janeiro segue em segundo lugar no número de mortes com 265. Logo atrás vem Pernambuco (143), Ceará (116) e Amazonas (106). A Bahia confirmou mais uma morte na tarde desta quarta-feira (15) e agora tem 28 mortes por Covid-19 em todo o estado. O total de infectados é de 807.

COMPARTILHE