ITABUNA: POPULAÇÃO SOFRE COM CRISE NA SAÚDE
Mãe e filha esperam atendimento na UPA da cidade | Fotos: Raul Spinassé /A TARDE

Mãe e filha esperam atendimento na UPA da cidade | Fotos: Raul Spinassé /A TARDE

Dois hospitais fechados e três sob ameaça de encerrar atividades nos próximos dias. Unidades Básicas de Saúde que sofrem com falta de pessoal e de insumo, além de uma UPA e um hospital municipal que convivem com superlotação. Esse é o cenário da saúde pública em Itabuna (438 km da capital, no sul do estado), que já teve cinco secretários em dois anos e meio de gestão. Hoje, o município possui um titular interino na pasta, Geraldo Pedrassoli, que acumula a função junto com a diretoria financeira.

Prefeito (à dir.) diz que município está quebrado | Fotos: Raul Spinassé /A TARDE

Prefeito (à dir.) diz que município está quebrado | Fotos: Raul Spinassé /A TARDE

A crise estourou após a prefeitura  encerrar o contrato com o Hospital Infantil e Centro Médico Pediátrico de Itabuna (Cemepi), da iniciativa privada, e não renovar o convênio com o Hospital São Lucas, unidade filantrópica gerida pela Santa Casa de Misericórdia de Itabuna, em 2018. Ambos acabaram fechando as portas. Leia matéria completa no A Tarde.

Comente pelo Facebook
COMPARTILHE