BRASIL – POLÍCIA NÃO INDICIA NINGUÉM POR MORTE COM MOTO AQUÁTICA EM BERTIOGA

Grazielly Almeida Lames morreu ao ser atropelada

A Polícia Civil não indiciou nenhum adulto pela morte da menina Grazielly Almeida Lames, de 3 anos, que foi atropelada por uma moto aquática em Bertioga, no litoral de São Paulo, em 18 de fevereiro. O inquérito do caso foi concluído e será entregue ao Ministério Público nesta terça-feira (6). Segundo o documento, o jovem de 13 anos que teria pilotado o veículo é o responsável pelo acidente. O resultado do inquérito policial indignou a família da criança. A moto aquática que ficou retida na delegacia de Bertioga foi levada para o Instituto de Criminalística e vai passar por uma perícia nos próximos dias. O processo será feito na Baixada Santista. Outro adolescente que também estaria na moto aquática vai ser ouvido em Mogi das Cruzes, no interior de São Paulo, onde mora, a pedido dos pais. O acidente aconteceu no sábado de carnaval, na Praia de Guaratuba, em Bertioga. Segundo testemunhas, o adolescente pilotava a moto aquática em alta velocidade quando atingiu a menina. Ela brincava na areia perto da mãe e foi socorrida pelo helicóptero da Polícia Militar, mas já chegou sem vida ao Hospital Municipal de Bertioga.  Um dos advogados da família de Grazielly, William Amanajás Lobato, esteve na delegacia de Bertioga e contesta a versão. “Para nós não parece ser crível, porque há provas suficientes indicando que o próprio adolescente – que já confirmou isso – que foi autorizado a levar a embarcação para o mar por um maior”, disse. As informações são do G1.

Comente pelo Facebook
COMPARTILHE