Aurelino Leal: Léo Beroba é condenado a 14 anos de prisão pela morte de prefeito
Léo Beroba (lado direito), foi condenado a 14 anos de prisão.

Léo Beroba (lado direito), foi condenado a 14 anos de prisão.

Leonardo Ramos Santos, o Léo Beroba, acusado de participar do assassinato ao ex-prefeito de Aurelino Leal, Gilberto Andrade, foi condenado a 14 anos de prisão em regime semi-aberto. O juiz de direito, Oswaldo de Almeida Bomfim, em sua sentença, levou em conta que o réu já cumpriu mais de um 1/6 da pena e encontrava-se solto atualmente. O julgamento ocorreu nesta segunda-feira (19), no Fórum Criminal de Sussuarana, em Salvador. Familiares de Gilberto Andrade, que foram até a capital baiana acompanhar de perto o julgamento, esperavam uma punição mais severa para o acusado.O promotor David Gallo prometeu recorrer para corrigir.
gileberto_andrade
O crime aconteceu no dia 5 de maio de 2007, quando Gilberto Ramos foi morto com um tiro no peito em um trecho da BR-101, perto da Fazenda Santa Cruz. No mesmo carro estava o sogro da vítima, Joaquim Sanches, que escapou ileso. Os dois estavam em um Passat que foi interceptado por um Siena onde estavam dois homens – um deles desceu e atirou no peito do prefeito.
liu_andrade_gilberto_andrade
Segundo as investigações, ex-prefeito de Aurelino Leal, José Augusto Neto, pagou R$ 20 mil para mandar matar Gilberto. Em fevereiro de 2011, ele foi condenado por homicídio triplamente qualificado e pegou 19 anos de prisão em regime fechado por ser o mandante. Na época, Léo Beroba também foi julgado e admitiu ter dirigido o carro usado no crime, porém foi absolvido. O Ministério Público recorreu e ele foi julgado novamente nesta segunda (19), o que acarretou na sua condenação. (Jornal Tribuna da Região).
COMPARTILHE