Internacional







NÚMERO DE MORTOS POR EXPLOSÃO NO LÍBANO PASSA DE 100; FERIDOS SÃO CERCA DE 4 MIL

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

 Já passa de 100 o número de mortos por causa da explosão na zona portuária de Beirute, capital do Líbano, ocorrida na tarde de ontem (5). A contagem oficial é feita pelo governo, que também aponta cerca de 4 mil feridos.

A suspeita é que a explosão tenha partido de um armazém que guardava nitrato de amônio, um tipo de fertilizante. Segundo o presidente do país, Michel Aoun, a capital deve declarar estado de emergência para as próximas duas semanas. Ele disse ainda que era “inaceitável” que 2.750 toneladas de nitrato de amônio estivessem armazenadas por seis anos em um depósito sem que houvesse a segurança necessária.

Já o ministro libanês da Saúde, Hamad Hasan, afirmou à Reuters que “há muitos desaparecidos”. “As pessoas estão perguntando ao departamento de emergência sobre seus parentes e é difícil procurar à noite porque não há eletricidade”, explicou.

COMPARTILHE

Pesquisadores desenvolvem teste que pode identificar coronavírus em 20 minutos

Foto: Divulgação

Um grupo de pesquisadores da Austrália desenvolveram um teste rápido para identificar uma nova infecção por coronavírus em cerca de 20 minutos usando amostras de sangue. Os estudantes da Universidade Monash tem em sua equipe dois brasileiros, Rodrigo Curvello e Diana Alves, que fazem o doutorado na instituição.

Segundo a equipe de pesquisa, liderada pelo BioPRIA e pelo Departamento de Engenharia Química da Universidade Monash, o teste pode determinar se a pessoa está infectada no momento e se já teve Covid-19 no passado.

“As aplicações a curto prazo incluem identificação rápida de casos e rastreamento de contatos para limitar a disseminação viral, enquanto a triagem populacional para determinar a extensão da infecção viral nas comunidades é uma necessidade a longo prazo”, disseram os cientistas em um artigo publicado na revista ACS Sensors na sexta-feira (17).

O teste utiliza 25 microlitros de plasma de amostras de sangue para procurar um agrupamento de glóbulos vermelhos que o coronavírus causa.

COMPARTILHE

MUNDO DEVE BATER 10 MILHÕES DE CASOS DE COVID-19 NA PRÓXIMA SEMANA, AFIRMA OMS

Foto : Reprodução/Twitter WHO

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom afirmou hoje (24), em coletiva de imprensa, estimar que o número de casos do novo coronavírus no mundo, que atualmente está em torno de 9,3 milhões, chegará a 10 milhões na próxima semana.

O chefe do programa de emergências da OMS, Mike Ryan, afirmou que a pandemia ainda não atingiu seu pico em muitos países das Américas, especialmente na América Central e do Sul. “Eu caracterizaria a situação como ainda em evolução, ainda não tendo atingido seu pico e provavelmente resultando em um número elevados de novos casos e mortes nas próximas semanas”, disse Ryan. Com informações do Metro 1

COMPARTILHE

ESTUDO DIZ QUE QUEM JÁ PEGOU COVID-19 NÃO CRIA IMUNIDADE AO VÍRUS

Foto: Reprodução

Um estudo divulgado pelo jornal The New York Times apontou que o sistema imunológico do corpo humano não é capaz de criar resistência contra o SARS-CoV-2, que é responsável por causar a covid-19. Segundo o estudo, com apernas três meses após o contágio, os anticorpos do organismo já não reconhecem mais o vírus, sobretudo nos casos menos graves.

A diferença desse vírus para outros é que, normalmente, quando um ser humano é infectado e se recupera de alguma doença, o sistema imunológico faz um “registro” e quando atacado novamente, faz o reconhecimento do agente causador e para combatê-lo, monta uma “barreira de proteção”.

“Esses dados indicam os riscos do uso de ‘passaportes de imunidade’ da covid-19 e a necessidade de apoiar o prolongamento de intervenções em saúde pública, incluindo distanciamento social, higiene, isolamento de grupos de alto risco e testes em massa”, disseram os pesquisadores responsáveis pelo estudo publicado também na revista Nature Medicine na última terça-feira (18).

COMPARTILHE

INFECTOLOGISTAS COMEMORAM RESULTADOS POSITIVOS DA DEXAMETASONA NO TRATAMENTO DA COVID-19

Foto: Divulgação

A Sociedade Brasileira de Infectologia emitiu uma nota nesta terça-feira (16) em que celebra resultados positivos do anti-inflamatório dexametasona no tratamento da Covid-19. A descoberta foi feita por cientistas de um estudo conduzido pela Universidade de Oxford.

“Temos o primeiro tratamento farmacológico para Covid-19 que mostrou impacto em reduzir a mortalidade. Finalmente temos uma boa notícia”, diz o comunicado. Durante o texto, a Sociedade Brasileira de Infectologia considera esta terça como um “Dia histórico no tratamento da Covid-19”.

A recomendação é a de que pacientes com um quadro mais grave de Covid-19 recebam uma dose diária de dexametasona, ao longo de dez dias.

COMPARTILHE

SITUAÇÃO DO BRASIL É UMA PREOCUPAÇÃO CRESCENTE, DIZ OMS

Foto : Divulgação/OMS

O diretor de emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS) Mike Ryan afirmou hoje (12) que a situação atual do Brasil é uma preocupação crescente, principalmente nas cidades. A informação foi divulgada pelo jornal O Globo.

Segundo Ryan, o sistema de saúde do Brasil “ainda está suportando”, embora algumas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) estejam em um estágio crítico e sob forte pressão, com mais de 90% de taxas de ocupação do sistema de cuidado intensivo.

A OMS também disse hoje que as vacinas para o novo coronavírus deveriam ser disponibilizadas como um bem público global, como forma de garantir que todos tenham acesso. “Muitos líderes têm promovido a ideia de tornar qualquer vacina um bem público global, e isso deve continuar sendo fomentado”, afirmou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

COMPARTILHE

OMS ESCLARECE QUE ASSINTOMÁTICOS TRANSMITEM VÍRUS, SÓ NÃO SABEM QUANTO

Foto: Christopher Black/OMS

A Organização Mundial da Saúde (OMS) esclareceu, nesta terça-feira (9), que a transmissão por pacientes assintomáticos acontece, mas ainda não sabem quanto. De acordo com a organização, a transmissão da Covid-19 por pacientes sem sintomas é rara, mas não nula. O diretor de emergências da OMS, Michael Ryan, afirmou que a organização está convencida de que a transmissão por pacientes assintomáticos acontece, mas ainda não sabem o quanto acontece.

“Estamos absolutamente convencidos de que a transmissão por casos assintomáticos está ocorrendo, a questão é saber quanto”, afirmou em coletiva. A chefe do programa de emergências da entidade, Maria van Kerkhove, voltou a se pronunciar também sobre o assunto. Ela disse que recebeu “muitas mensagens da noite para o dia” e que achou importante esclarecer o mal-entendido. “A maioria das transmissões que conhecemos ocorre por pessoas com sintomas que transmitem o vírus por meio de gotículas infectadas.

Mas há um subconjunto de pessoas que não desenvolvem sintomas”, explicou. Ela afirma que foi um mal-entendido afirmar que uma transmissão assintomática é rara, sendo que estava se referindo a um conjunto de estudos e dados que ainda não foram publicados. “Para realmente entender quantas pessoas não têm [os sintomas], pois ainda não temos essa resposta, existem algumas estimativas. Elas sugerem que entre 6% e 41% da população podem estar com o vírus, mas não apresentar os sintomas”, afirmou Kerkhove.

O tema foi um dos mais comentados do mundo desde ontem à noite. Ao analisar o tema, Kerkhove citava dados de países com grande capacidade de testagem e rastreio. Além disso, ela disse que, em alguns casos, quando uma segunda análise dos supostos casos assintomáticos é feita, descobre-se que os pacientes tiveram, na verdade, leves sintomas da infecção.

COMPARTILHE

OMS PEDE QUE BRASIL SEJA ‘TRANSPARENTE’ COM INFORMAÇÕES SOBRE O COVID-19

Foto : Divulgação/OMS

A Organização Mundial de Saúde (OMS) pediu “transparência” ao Brasil no combate ao novo coronavírus. A informação foi divulgada pelo jornal O Globo. “O Brasil precisa entender onde o vírus está, como controlar os riscos.

A OMS espera que a comunicação seja consistente e transparente — A OMS entende que o governo brasileiro continuará relatando diariamente dados sobre a incidência e mortes de forma separada.” Afirmou o diretor executivo do Programa de Emergências em Saúde da instituição Michael Ryan.

A organização também alertou que, apesar de queda no número de casos em muitos países, a pandemia não está controlada e segue em ascensão na América Latina. “Isso está longe de acabar”, afirmou a diretora técnica da OMS, Maria van Kerkhove.

COMPARTILHE

BRASIL AINDA NÃO CHEGOU AO PIOR DA PANDEMIA, DIZ OMS

Foto: Divulgação/OMS

O diretor-executivo da Organização Mundial da Saúde (OMS), Michael Ryan afirmou hoje (1ª) que o pior da pandemia ainda não chegou para o Brasil. A informação foi divulgada pelo jornal Folha de S.Paulo.

“Claramente a situação em alguns países sul-americanos está longe da estabilidade. Houve um crescimento rápido dos casos e os sistemas de saúde estão sob pressão”, afirmou Ryan. Para ele o pico do contágio ainda não chegou, “e no momento não é possível prever quando chegará”.

Segundo Ryan, nas Américas, “houve respostas diferentes entre os países, e há bons exemplos de governos que adotaram abordagens científicas, enquanto em outros países vemos uma ausência ou uma fraqueza nisso”. Com informações do Bahia.ba

COMPARTILHE

INTERNACIONAL: MORTES POR CORONAVÍRUS NOS EUA SUPERAM MARCA DE 100 MIL

© Reuters/Kevin Lamarque/Direitos Reservados

O novo coronavírus já matou mais de 100 mil pessoas nos Estados Unidos (EUA), mostrou contagem da Reuters nessa quarta-feira (27), em um momento no qual a desaceleração do númro de mortes incentiva as empresas a reabrirem e os norte-americanos a saírem de mais de dois meses de quarentena.

Cerca de 1.400 norte-americanos têm morrido, em média, todos os dias em maio, abaixo do pico de 2 mil em abril, de acordo com a contagem de dados estaduais e municipais sobre as mortes pela covid-19.

Em cerca de três meses, mais norte-americanos morreram da doença do que durante a Guerra da Coreia, a Guerra do Vietnã e o conflito dos EUA no Iraque (2003 a 2011), juntos.

A nova doença respiratória também tem matado mais pessoas do que a epidemia de aids, de 1981 a 1989, e é muito mais mortal do que a gripe sazonal tem sido há décadas. A última vez que a gripe matou tantas pessoas nos Estados Unidos foi na temporada de 1957-1958, quando 116 mil morreram.

O total de casos de coronavírus nos EUA ultrapassou 1,7 milhão. Alguns estados do sul viram novos casos surgirem na semana passada, de acordo com análise de dados da Reuters do Covid Tracking Project, um esforço voluntário para rastrear o surto.

Mundialmente, os casos de coronavírus superaram 5,6 milhões, com mais de 350 mil mortes desde o início do surto na China, no fim do ano passado. A pandemia chegou em seguida à Europa e aos Estados Unidos.

A América do Sul agora está sofrendo o maior impacto do surto, com o Brasil registrando o segundo maior número de casos no mundo.

Dos 20 países mais afetados, os Estados Unidos ocupam o oitavo lugar com base em mortes per capita, de acordo com a contagem da Reuters. Os EUA têm três mortes por 10 mil pessoas. A Bélgica é a primeira, com oito mortes por 10 mil, seguida pela Espanha, o Reino Unido e a Itália. (Agência Brasil de Notícias)

COMPARTILHE

AUTORES DE ESTUDO QUE RECOMENDAVA HIDROXICLOROQUINA RETIRAM TRABALHO DO AR

Foto: Cadu Rolim / Fotoarena/Agência O Globo

Pesquisadores franceses, autores de um estudo pioneiro que recomendava o uso da hidroxicloroquina e azitromicina no tratamento da Covid-19, retiraram do ar o trabalho sobre as duas substâncias. De acordo com o portal Bem Estar, da Globo, a equipe responsável pediu, inclusive, que a pesquisa não seja mais referência em outros estudos, sejam eles clínicos ou acadêmicos.

Foi a partir deste estudo, primeiro a encontrar uma suposta substância eficaz contra o novo coronavírus, que o presidente americano Donald Trump passou a defender o uso da hidroxicloroquina. A atitude do político foi reproduzida, posteriormente, pelo presidente brasileiro Jair Bolsonaro.

Alvo de críticas pela análise superficial e metodologia baseada em apenas 30 pacientes, o estudo foi superado por uma pesquisa mais aprofundada divulgada pela revista The Lancet, na sexta-feira (22). Segundo o periódico especializado em assuntos médicos, a nova pesquisa não encontrou relação no uso da cloroquina e melhora dos pacientes diagnosticados com a Covid-19.

O novo estudo, que teve uma base de 96 mil infectados, também alertou que além da cloroquina e hidroxicloroquina não terem eficácia contra a doença, pacientes que foram tratados com ambas as substâncias podem ter piora cardíaca e até mesmo aumento do risco de morte durante a internação.

COMPARTILHE

SEM VACINA, LABORATÓRIO DA CHINA CRÊ QUE PODE DETER PANDEMIA COM MEDICAMENTO

Foto: Reprodução

Pesquisadores chineses afirmam ter desenvolvido um tratamento capaz de interromper a pandemia da Covid-19 enquanto se produz uma vacina contra o vírus. Um medicamento em fase de testes na Universidade de Pequim permitiria não apenas acelerar a cura de infectados, mas também imunizar contra a doença.

Em uma entrevista à agência de notícias AFP, o diretor do Centro de Inovação Avançada em Genômica de Beida, Sunney Xie, explicou que o tratamento funciona em camundongos. O laboratório extraiu anticorpos de 60 pacientes curados da doença e os injetou em roedores.

“Após cinco dias, sua carga viral foi dividida por 2.500. Isso significa que esse medicamento em potencial tem um efeito terapêutico” garantiu. “Somos especialistas em sequenciamento de células únicas, não imunologistas, ou virologistas. Quando constatamos que nossa abordagem nos permitiu encontrar um anticorpo que neutraliza (o vírus), ficamos muito felizes”, completou Xie.

De acordo com ele, o tratamento pode estar disponível antes do final do ano, a tempo de uma nova ofensiva de inverno contra a Covid-19.

COMPARTILHE

Embaixador da China em Israel é encontrado morto em casa

© Jack Guez

O embaixador da China em Israel, Du Wei, de 57 anos, foi encontrado morto neste domingo (17) em sua residência no subúrbio de Herzliya, em Tel Aviv – anunciou um porta-voz policial.

A polícia abriu uma investigação, disse à AFP uma fonte israelense que pediu para não ser identificada, acrescentando que as causas da morte ainda são desconhecidas. A esposa e o filho de Du Wei não estão em Israel.

Du Wei foi embaixador na Ucrânia antes de assumir o cargo de principal representante diplomático da China em Israel em fevereiro, informa sua biografia disponível no site da embaixada.

Sua morte ocorre dias após a visita a Jerusalém do secretário de Estado americano, Mike Pompeo, que pediu a Israel, um aliado dos Estados Unidos, que limite os investimentos chineses em setores estratégicos, segundo reportagens da imprensa.

Os Estados Unidos acusam a China de ocultar informações sobre a pandemia e até de tentar “hackear” sua pesquisa por uma vacina contra o coronavírus. MSN

COMPARTILHE

COVID-19: OXFORD JÁ PREVÊ CONCLUIR PESQUISA DE VACINA ATÉ AGOSTO

O grupo de pesquisadores da Universidade de Oxford que está na corrida para desenvolver uma vacina contra o coronavírus prometeu finalizar em agosto os testes clínicos da vacina, que já foi aplicada em 1,1 mil voluntários no fim de abril.

Mas a Agência Europeia de Medicamentos se mostrou cética quanto à promessa de ter uma cura para a covid-19 no mercado ainda neste ano, pois o desenvolvimento e o licenciamento desse tipo de medicamento leva mais tempo, e, no cenário mais otimista, isso aconteceria no prazo de um ano.

Em entrevista à Rádio 4 da BBC, nesta quinta-feira, o professor de Medicina da universidade e diretor não executivo da farmacêutica Roche, Sir John Bell, disse que, se as etapas da pesquisa de Oxford continuarem a dar certo o governo britânico terá aprovado a vacina no começo de setembro e começado a fabricá-la para a população.

Agora, o grupo precisa avaliar se as pessoas que receberam a dose contra o coronavírus foram infectadas ou não – para ver se encontraram uma vacina com potencial para acabar com a pandemia.

COMPARTILHE

JOGADOR CONFESSA TER MATADO O FILHO QUE ESTAVA INTERNADO COM COVID-19

Um caso de assassinato chocou toda a Turquia. Cevher Toktas, um zagueiro de 32 anos que atua no Bursa Yildirim, das divisões semi-profissionais do país, se entregou à polícia e admitiu, nesta terça-feira, que assassinou o próprio filho, de cinco anos, em um hospital.

No dia 23 de abril, Cevher levou o filho, Kasim, para o hospital. O menino apresentava febre e problemas respiratórios e, por isto, foi internado e isolado em um hospital com suspeita de coronavírus. O garoto morreu poucas horas depois de ter dado entrada no estabelecimento e o COVID-19 foi dado como a causa da tragédia.

Nesse mês, contudo, Cevher contou a verdade do caso. Quando a sala que Kasim estava internado ficou vazia, o jogador o sufocou com um travesseiro até a morte, como o próprio afirmou em documento divulgado pelo jornal “Daily Sabah”.

Como o menino estava internado com suspeita de COVID-19, o vírus foi apontado, de primeira, como a causa da morte de Kasim. Como não houve autópsia, Cevher saiu do hospital sem levantar nenhum tipo de suspeita. Cevher se apresentou à polícia de Bursa, foi detido e responderá nas próximas semanas por prisão perpétua.

– Eu nunca amei o meu filho mais novo, desde o nascimento. Não sei porquê. A única razão pela qual o matei foi porque não o queria. Eu não tenho nenhum problema mental – afirmou. Fonte: MSN

COMPARTILHE

ITÁLIA TEM RECORDE DE PACIENTES CURADOS DA COVID-19 EM UM DIA

Foto : Reprodução / TV Globo

A Itália registrou ontem (17) mais de 2,5 mil pacientes curados da Covid-19 em apenas um dia. Além disso, a quantidade de pacientes nas UTIs apresenta tendência de queda há um mês, o que pode indicar o fim da fase mais mortal da epidemia no país.

Ontem, as autoridades anunciaram 575 mortos em 24 horas, aumentando o balanço para 23 mil óbitos desde o início da epidemia. Mas outros dados instigam otimismo no país, como a estabilização da quantidade de doentes em regiões como Nápoles, Bolonha, Veneza, Florença e Roma. Além disso, em mais de 65 mil testes realizados em um dia – outro recorde – apenas 5% acusaram positivo ao coronavírus.

O presidente do Conselho Superior de Saúde da Itália, Franco Locatelli, avalia que essa é uma prova a mais “da eficácia das medidas de confinamento tomadas para barrar o contágio”. Em vigor desde 9 de março no país, as medidas de confinamento são válidas até 3 de maio.

COMPARTILHE

CHINA REGISTRA 1º DIA SEM MORTES POR COVID-19

Foto : Governo da China

Nas últimas 24 horas, a China não registrou morte por Covid-19. A situação é inédita desde o início da publicação de estatísticas sobre a epidemia do coronavírus em janeiro. A informação foi dada por autoridades de saúde hoje (7). O país onde o novo coronavírus surgiu, no final do ano passado, informou sua primeira morte pela doença no dia 11 de janeiro. Desde então, foram 3.331 mortes.No entanto, o número diário de mortes cai há semanas e ontem (6) ocorreu somente uma morte.

Os novos casos de contágio na China continental também caem desde março. No entanto, o país enfrenta uma segunda onda de infecções provocada por viajantes que chegam do exterior. Apenas hoje foram confirmados 32 novos casos de contágio desse tipo. A Comissão Nacional de Saúde afirma que o país registra mil casos importados. Ainda foram registrados 30 novos pacientes assintomáticos, o que eleva o total de infectados no país a 1.033.

COMPARTILHE

ESTADOS UNIDOS TÊM MAIS DE 10 MIL MORTES POR COVID-19

Foto : Keegan Barber

Os Estados Unidos chegou a mais de 10 mil mortes causadas pelo novo coronavírus hoje (06), de acordo com um levantamento da Reuters. Com mais de 338 mil casos confirmados da Covid-19, o país é o terceiro mais afetado, 10.297 pessoas morreram da doença. A Casa Branca alertou hoje que os americanos devem se preparar para enfrentar uma semana marcada pela “morte” e por “tristezas”, à medida que o número de infectados no país aumenta.

“Essa será a semana mais difícil e mais triste da vida da maioria dos americanos, sendo bem franco. Esse será o nosso momento de Pearl Harbor, o momento do 11 de setembro, mas não será restrito a uma área”, declarou em entrevista a Fox News o cirurgião-geral dos EUA, Jerome Adams, que atua como o ministro da Saúde do país. “Isso vai acontecer em todo o país, e eu quero que os EUA entendam isso”, concluiu.

O secretário assistente de Saúde, o médico Brett Giroir, afirmou que os Estados Unidos devem se preparar para o “pico de morte” que acontecerá nesta semana, no país e chamou atenção para a situação de Nova York, Nova Jersey, Connecticut e Detroit, regiões bastantes afetadas pela Covid-19. Apesar do cenário do país, governadores de oito estados americanos relutam em declarar quarentena. Algumas igrejas, de estados diversos, também foram contra a orientação dos especialistas de evitar aglomerações e fizeram grandes cultos neste domingo de Ramos (05).

COMPARTILHE

EUA TEM 1.169 MORTES PELA COVID-19 EM 24 HORAS; NÚMERO É RECORDE MUNDIAL DE MORTOS

Os Estados Unidos contabilizaram 1.169 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas. Os dados são da Universidade Johns Hopkins, que computou os dados nesta quinta-feira (2). O número é o recorde mundial de mortos desde o início da pandemia da Covid-19.

O número é referente a quarta-feira (1) a partir das 20h30, até às 21h30 desta quinta-feira (2), indicando o total de 5.926 mortos no país.  Já o número de infectados nos Estados Unidos, segundo a  universidade é de 244.678. (Informações: Universidade Johns Hopkins)

COMPARTILHE

ITÁLIA BATE MAIS UM RECORDE E TEM 919 MORTES POR COVID-19 EM 24H

A Itália registrou 919 mortes por Covid-19 nesta sexta-feira (27). O país já totaliza 9.143 totais. O último recorde foi no dia 21 de março, quando o país registrou 793 mortes. A região mais atingida da Itália é a Lombardia.

O país reconheceu recentemente que errou ao estimular as pessoas a descartarem as orientações do isolamento social.  O governo brasileiro, no entanto, lançou nesta sexta=feira (27) uma campanha intitulada ‘ O Brasil não pode parar’, estimulando a população a ir para as ruas e descumprir a quarentena.

COMPARTILHE

ESTADOS UNIDOS ACUSAM NICOLÁS MADURO DE ENVOLVIMENTO COM NARCOTRÁFICO

Os Estados Unidos devem anunciar nesta quinta-feira (26) acusações formais contra o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, por envolvimento com o narcotráfico, segundo o senador republicano Marco Rubio.

“Será acusado indiciado pelo Departamento de Justiça e acusado de narcoterrorismo”, disse o parlamentar, que tem grande influência junto ao governo do presidente Donald Trump, para assuntos sobre a América Latica.

Ainda nesta quinta também foi anunciado que o governo norte-americano vai oferecer US$ 15 milhões (R$ 76 milhões) como recompensa por informações que levem à captura do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. Ficou estipulado valores para a captura e prisão de outros integrantes do alto escalão chavista.

Por Diosdado Cabello, presidente da Assembleia Nacional Constituinte, o Parlamento oficial do país sul-americano, e braço direito do mandatário venezuelano, o valor é de US$ 10 milhões (R$ 50,7 milhões).  (Informações:EFE)

COMPARTILHE

HOMEM MORRE APÓS SE AUTOMEDICAR COM CLOROQUINA NOS ESTADOS UNIDOS

Na tentativa de se tratar do novo coronavírus, um homem na faixa dos 60 anos morreu no estado do Arizona, nos Estados Unidos, após usar sem orientação médica a cloroquina, usado para tratamento de malária, lúpus e atrite.

A sua esposa também se automedicou com a substância e segue internada no Hospital Banner Health.A cloroquina ganhou destaque mundial na última semana por ser um medicamento considerado promissor no tratamendo da Covid-19. O uso, no entanto, ainda necessita de testes e requer cuidados.

“Dada a incerteza em torno da covid-19, entendemos que as pessoas estão tentando encontrar novas maneiras de prevenir ou tratar esse vírus”, disse Daniel Brooks, diretor médico do Centro Banner Poison e Drug Information.

No último sábado (23), o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, publicou no Twitter que hidroxicloroquina e azitromicina, juntas, tinham uma chance real de ser uma das maiores mudanças na história da medicina.

Em território brasileiro, a Anvisa barrou a venda dos medicamentos sem receita. Os resultados positivos geraram uma corrida às farmácias, gerando falta para os que realmente precisam dos medicamentos. (Informações:CNN)

COMPARTILHE

ITÁLIA DESACELERA E TEM MENOS CASOS DE CORONAVÍRUS

Com 63.927 infectados pelo novo coronavírus, a Itália registrou desaleceração no número de casos, nesta segunda-feira (22). A diminuição é progressiva, contabilizando os últimos três dias, segundo o respontável pela pasta da Saúde da Lombardia, Giulio Gallera. A cidade é epicentro da crise na Europa.

A alta no número de casos, nas últimas 24 horas, é de 8,1%, contra os 10% diariamente registrados na semana passada. “Hoje podemos confirmar que a tendência é de desaceleração”, disse Giulio. “Não é ainda hora de cantar vitória, mas podemos ver uma luz no fim do túnel”, completou.

Ao menos 601 pessoas morreram em decorrência do Covid-19 nas últimas 24 horas. Até o momento, são 6.077 mortos.

COMPARTILHE

INTERNACIONAL: ITÁLIA REGISTRA 793 MORTES POR CORONAVÍRUS EM APENAS UM DIA

© Reuters/Remo Casilli/direitos reservados

O número de mortos em decorrência do coronavírus na Itália aumentou em 793 em um dia, chegando a 4.825, disseram autoridades neste sábado, um aumento de 19,6%, o maior crescimento diário em termos absolutos desde o surgimento da epidemia um mês atrás. Na quinta-feira, a Itália ultrapassou a China no número de mortes em decorrência do vírus altamente contagioso.

O número total de casos na Itália subiu para 53.578 em relação aos 47.021 anteriores, um aumento de 13,9%, informou a Agência de Proteção Civil.

A região norte da Lombardia, a mais atingida, permanece em situação crítica, com 3.095 mortes e 25.515 casos. Das pessoas originalmente infectadas em todo o país, 6.072 haviam se recuperado totalmente até sábado, em comparação com 5.129 no dia anterior. Havia 2.857 pessoas em terapia intensiva contra as anteriores 2.655. (Agencia Brasil)

COMPARTILHE

NÚMERO DE MORTOS NA ITÁLIA POR CORONAVÍRUS ULTRAPASSA TOTAL DE VÍTIMAS NA CHINA

O número de mortes causadas pelo novo coronavírus na Ítalia chegou a 3.405 nesta quinta-feira (19), segundo balanço das autoridades italianas divulgado pela agência Reuters. Com isso, ultrapassou o total de vítimas na China pelo vírus, que é de 3.245.

Ainda de acordo com as autoridades, o país europeu registrou 427 mortes em um dia, e já são 41.035 casos confirmados. (Informações: BN)

COMPARTILHE