Saúde







SALVADOR REGISTRA QUATRO MORTES POR INFLUENZA EM 15 DIAS

H1N1

Foto: Divulgação

Nos primeiros 15 dias do mês de maio deste ano Salvador registrou quatro óbitos por influenza, segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS). As vítimas foram um homem de 55 anos e três idosas de 73, 81 e 97 anos. Elas foram acometidas pelos subtipos H1N1 e H3N2 da patologia. Segundo o Bahia Notícias, a SMS informou que nenhuma das vítimas havia sido vacinada contra a doença durante campanha de imunização deste ano. Com esses registros recentes, subiu para seis o número de mortes em decorrência de complicações por gripe. “A vacinação continua sendo a medida mais eficaz para proteger os indivíduos com maior vulnerabilidade para gripe. Por isso convocamos todas as pessoas que fazem parte dos grupos prioritários e ainda não se vacinaram esse ano a se dirigir a um dos pontos de imunização espalhados pela cidade neste sábado para garantirem a proteção contra essa doença que pode evoluir para morte”, destacou Doiane Lemos, subcoordenadora de Doenças Imunopreveníveis da SMS. Neste sábado (18), das 08 às 17 horas, a Secretaria Municipal da Saúde promove um novo Dia D de vacinação contra gripe, quando 189 pontos de imunização entre postos de saúde e locais de grande circulação de pessoas como shoppings, supermercados, creches, associações, igrejas e estações de transbordo estarão disponíveis para imunizar os grupos prioritários.

COMPARTILHE

BAHIA NÃO TEM MAIS ESTOQUE DE 24 REMÉDIOS PARA HIV/AIDS E ALZHEIMER

BAHIA NÃO TEM MAIS ESTOQUE DE 24 REMÉDIOS PARA HIV/AIDS E ALZHEIMER

Foto : Pixabay

A rede pública de saúde da Bahia está com o estoque zerado de 24 tipos de medicamentos, inclusive aqueles usados no tratamento contra a HIV/Aids, tuberculose e Alzheimer. Outros 19 estão em quantidade para durar até 45 dias. A Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) informou hoje (10) que a situação se dá devido a falta de reposição por parte do Ministério da Saúde, que diz estar mantendo “esforços para regularizar o abastecimento”. “Infelizmente, a maioria dos medicamentos não possuem substituto, nem solução de abastecimento imediata”, afirma a Sesab em comunicado. (Com informações do Metro 1)

COMPARTILHE

UNIVERSIDADE BRASILEIRA DESENVOLVE MEDICAMENTO QUE REVERTE OVERDOSE DE COCAÍNA

UNIVERSIDADE BRASILEIRA DESENVOLVE MEDICAMENTO QUE REVERTE OVERDOSE DE COCAÍNA

Foto: Divulgação

Uma nanopartícula que pode capturar a cocaína em circulação na corrente sanguínea e, assim, evitar os efeitos da droga, até mesmo quando consumida em quantidades que causam “overdose” e podem levar à morte, vem sendo desenvolvida pela Universidade Federal de Goiás (UFG). A nanopartícula é administrada através de medicamento intravenoso. Segundo a Agência Brasil, testes feitos com ratos nos laboratórios do Centro de Pesquisa, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação em Fármacos, Medicamentos e Cosméticos da UFG, indicaram a capacidade de captura de até 70% da cocaína no organismo e o retorno quase imediato da pressão arterial e dos batimentos cardíacos ao estado normal. “A pressão arterial e os batimentos cardíacos começam a voltar ao normal cerca de dois minutos após a administração da nanopartícula que desenvolvemos”, explicou a farmacêutica Sarah Rodrigues Fernandes, em material de divulgação da UFG. A orientadora do trabalho e professora de nanotecnologia aplicada à área farmacêutica,  Eliana Martins Lima, afirmou que ao capturar a cocaína, a nanopartícula mantém a droga aprisionada em seu interior, e não permite que a droga se difunda pelo cérebro ou outras regiões do organismo. “Possibilita, então, que haja tempo para uma terapia de resgate”, explicou à Agência Brasil. A cocaína aprisionada na partícula é retida pelo fígado na passagem da corrente sanguínea e é destruída no metabolismo feito pelo órgão.

COMPARTILHE

SAÚDE: ASSOCIAR DOR DE CABEÇA À HIPERTENSÃO PODE LEVAR AO DERRAME, ALERTA CARDIOLOGISTA

Foto: Reprodução / Instituto Senior

Foto: Reprodução / Instituto Senior

Uma atenção especial deve ser dada à automedicação de pacientes hipertensos. Segundo o cardiologista e professor do curso de medicina da FTC, Gilson Feitosa Filho, é comum que esses pacientes atribuam dores de cabeça à alteração na pressão arterial e se mediquem. No entanto, o médico faz um alerta para essa prática. “Qualquer estresse, físico ou psicológico, pode fazer com que suba a pressão arterial, e uma vez cessado esse estresse, o paciente não precisa de remédio nenhum para voltar a pressão ao normal. [Nesses casos] não é correto tratar essa pressão arterial, porque se você tratar, quando o estresse emocional ou físico diminuir o efeito do anti-hipertensivo vai tornar essa pessoa hipotensa”, disse o cardiologista ao chamar atenção para os perigos da automedicação neste tipo de situação. O derrame está entre os riscos associados listados pelo médico nos casos de hipotensão.

Segundo ele, o problema muitas vezes é atribuído, de modo incorreto, apenas à pressão alta. “Qualquer pessoa saudável que tenha estresse físico ou emocional importante, alguma dor em algum lugar do corpo, se aferir a pressão arterial naquele momento de estresse máximo vai estar com o valor elevado”, explicou o especialista. Nesta sexta-feira (26) é celebrado o “Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial”, data estipulada para chamar a atenção das pessoas a respeito da doença, que atinge cerca de 24% da população, de acordo com dados disponibilizados pelo Ministério da Saúde, com base no Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) de 2017. Entre os idosos o índice de pessoas acometidas pela doença é ainda maior, conforme os dados do Ministério da Saúde. No ano de 2017 o número chegou a 60,9% entre os adultos com 65 anos ou mais.

Para a questão da idade Gilson Filho também fez um alerta a respeito do entendimento comum, e muitas vezes errado, da população. “É verdade que quanto mais idoso mais chance de ter hipertensão arterial, mas não é verdade que todo idoso tem hipertensão arterial, ou nenhum dos jovens terá hipertensão arterial. É só uma questão de risco”, explicou o médico. O cardiologista ainda desmistificou outra questão: a atribuição da hipertensão à obesidade. “Pessoas obesas têm mais chance de ter pressão alta do que pessoas não obesas, mas isso não significa que todos os obesos são hipertensos ou todos os magros não são hipertensos”, defendeu. Por fim o médico fez recomendações de “boas práticas” que auxiliam numa melhor qualidade de vida e afastam as chances de hipertensão. “Seguir boa alimentação, evitando excesso de gorduras e sal; praticar exercícios físicos; evitar estresse; e procurar regularmente seu médico, pelo menos a cada ano ou dois anos – se for uma pessoa muito saudável –, para ver como está sua pressão arterial, a sua condição de saúde”.

COMPARTILHE

OMS RECOMENDA QUE CRIANÇAS FIQUEM MENOS DE 1H POR DIA USANDO TELAS

Foto : Pixabay

Foto : Pixabay

A Organização Mundial de Saúde (OMS) emitiu diretrizes de que crianças menores de cinco anos passem menos de uma hora por dia usando telas, o que inclui televisão, videogames, tablets e smartphones. Para crianças de menos de um ano, a recomendação é que elas interajam em brincadeiras no chão e evitem todas as telas. De acordo com a OMS, a inatividade associada as telas está provocando um aumento no número de pessoas obesas e com sobrepeso em todo o mundo. O peso excessivo pode levar a doenças cardíacas, diabetes, hipertensão e algumas formas de câncer, que podem levar a mortes prematuras. “Evitar essas mortes precisa começar nos estágios iniciais da vida” explicou a doutora Fiona Bull, especialista da OMS. Outra recomendação é que crianças de um a quatro anos passem ao menos três horas por dia em atividades físicas diversas, distribuídas ao longo do dia.

COMPARTILHE

Ataques de escorpiões aumentam no verão; saiba o que fazer em caso de acidente

A recomendação é ir imediatamente ao hospital de referência mais próximo.

A recomendação é ir imediatamente ao hospital de referência mais próximo.

O Ministério da Saúde registrou, em 2018, 141,4 mil casos de acidentes com escorpiões no Brasil, número bem superior os 125 mil de 2017. Em 2016, foram 91,7 mil casos. Com relação às mortes, em 2016 foram registrados 115 óbitos em todo o país e, em 2017, 88. De acordo com o MS, o número de ataques do animal peçonhento aumenta no verão, no período de dezembro a março, pois o clima úmido e quente é ideal para o aparecimento destes animais, que se abrigam em esgotos e entulhos. Os escorpiões que habitam o meio urbano se alimentam principalmente de baratas, portanto são comuns também em locais próximos a áreas com acúmulo de lixo. A adoção de hábitos simples é fundamental para prevenir acidentes. Para evitar a entrada dos escorpiões nas casas e apartamentos, a recomendação é de usar telas em ralos de chão, pias e tanques, além de vedar as frestas nas paredes e colocar soleiras nas portas. Outra medida é afastar as camas e berços das paredes, e ainda vistoriar as roupas e calçados antes de usá-los.

DICAS

Nas áreas externas, as principais dicas são manter jardins e quintais livres de entulhos, folhas secas e lixo doméstico. Também é importante manter todo o lixo da residência em sacos plásticos bem fechados para evitar baratas, que servem de alimento e, portanto, atraem os escorpiões. Nas casas que possuem gramado, ele deve ser mantido aparado. Outra recomendação é não colocar a mão em buracos, embaixo de pedras ou em troncos apodrecidos e usar luvas e botas de raspas de couro para realizar atividades que representem certo risco, como manusear entulhos e materiais de construção, e nas atividades de jardinagem. Nas áreas rurais, além de todas essas medidas, é essencial preservar os inimigos naturais dos escorpiões, como lagartos, sapos e as aves de hábitos noturnos, como a coruja. Estes são os principais predadores dos escorpiões. O Ministério da Saúde não recomenda a utilização de produtos químicos (pesticidas) para o controle de escorpiões. Estes produtos, além de não possuírem, até o momento, eficácia comprovada para o controle do animal em ambiente urbano, podem fazer com que eles deixem seus esconderijos, aumentando a chance de acidentes.

MAIS VULNERÁVEIS

Os grupos considerados mais vulneráveis são os trabalhadores da construção civil, crianças e pessoas que permanecem maiores períodos dentro de casa ou nos arredores e quintais. Ainda nas áreas urbanas, estão sujeitos os trabalhadores de madeireiras, transportadoras e distribuidoras de hortifrutigranjeiros, por manusearem objetos e alimentos onde os escorpiões podem estar alojados. A grande maioria dos acidentes com escorpiões é leve e o quadro local tem início rápido e duração limitada. Os acidentados apresentam dor imediata, vermelhidão e inchaço leve por acúmulo de líquido, piloereção (pelos em pé) e sudorese (suor) localizadas, cujo tratamento é sintomático. As crianças abaixo de sete anos apresentam maior risco de apresentar sintomas longe do local da picada, como vômito e diarreia, principalmente nas picadas por escorpião-amarelo, que podem levar a casos graves e requerem a aplicação do soro em tempo adequado.

SOCORRO

A recomendação é ir imediatamente ao hospital de referência mais próximo. Se possível, levar o animal ou uma foto para identificação da espécie, permitindo assim uma avaliação mais eficaz sobre a gravidade do acidente. É importante lembrar que não é em todo caso de acidente que o soro será indicado, e apenas o profissional de saúde poderá fazer essa avaliação. O antiveneno é indicado em casos moderados ou graves. Limpar o local da picada com água e sabão pode ser uma medida auxiliar, desde que não atrase a ida ao serviço de saúde. Os casos leves, que não necessitam da aplicação do antiveneno, representam cerca de 87% do total de acidentes. Desta forma, o soro antiescorpiônico é disponibilizado apenas nos hospitais de referência do Sistema Único de Saúde (SUS).

As ampolas são enviadas pela pasta aos estados, que são responsáveis pela distribuição aos municípios e pela definição estratégica das unidades de referência para o atendimento destes casos. Essa logística deve ser feita de acordo com a situação epidemiológica de cada região e os estados possuem também autonomia para remanejar o soro de uma cidade para outra quando necessário. Os soros também não são disponibilizados na rede particular de saúde. No Brasil, a espécie de escorpião que causa mais acidentes, Tityus serrulatus, tem se expandido para um número maior de cidades, onde até então não era encontrada. Esta espécie possui facilidade para se reproduzir e colonizar novos ambientes. No ano passado também foram registrados milhares de acidentes envolvendo animais outros animais peçonhentos como aranhas, cobras e lagartas, que estão cada vez mais presentes no meio urbano, adaptados ao ambiente do homem devido ao crescimento acelerado dos grandes centros.

COMPARTILHE

Uso de óculos de sol falsificado é pior do que não se proteger; saiba como diferenciar

Foto: Reprodução/Persians – Thinkstock

Item frequente no visual dos brasileiros, o óculos de sol tem função ainda mais importante no verão, devido à maior incidência dos raios solares. No entanto, muitas pessoas ignoram esse fator e optam por peças falsificadas, que não protegem os olhos contra raios ultravioleta (UV). De acordo com levantamento da Associação Brasileira da Indústria Óptica (Abióptica), quatro em cada dez brasileiros optam por óculos de sol piratas. No entanto, o número pode ser ainda muito maior, já que a estimativa considera apenas produtos apreendidos. “A Abióptica tem um Programa de Combate à Pirataria e Ilegalidade que faz um trabalho de atendimento às autoridades, com relação à originalidade e atendimento de requisitos de norma de produtos ópticos. Nós temos convênios com a Receita Federal, alfândegas e delegacias de polícia. Toda vez que há uma apreensão, eles nos mandam uma amostragem e nós ensaiamos nos nossos laboratórios para dizer se atendem aos requisitos normativos”, explicou a assessora técnica da Abióptica, Ambra Nobre Sinkoc.

Com o uso de lentes falsificadas ou de baixa qualidade, o usuário corre risco de uma série de problemas nos olhos. O uso de lentes escuras retira a proteção natural dos olhos contra o excesso de luz. Quando exposta à claridade, a pupila se fecha. No entanto, isso não acontece quando a pessoa está de óculos escuros. “Quando colocamos um filtro escuro na frente do olho, estamos inibindo esse mecanismo. Ele mantém a pupila mais aberta do que o adequado para aquele ambiente, deixando o olho desprotegido. Assim, a luz entra em quantidade maior, ocasionando vários problemas na visão”, explicou a oftalmologista Carolina Carneiro. “Em um ambiente muito claro, com bastante sol, é melhor não usar nenhum óculos do que uma peça falsificada sem proteção para os raios ultravioletas”. Entre as doenças oculares mais comuns relacionadas à exposição excessiva ao sol sem a proteção adequada há queimadura de retina (por exposições isoladas) e as alterações crônicas (por exposição contínua), como pterígio (crescimento de tecido conjuntival sobre a córnea), tumores de pálpebra e de conjuntiva, amadurecimento precoce de um dos tipos de catarata e a Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI).

COMO SE PROTEGER

Entre as dicas para identificação de bons óculos com proteção solar, Ambra ressaltou a importância de se observar a cor das lentes. “Óculos de sol para transitar e dirigir não pode ser muito escuro. A categoria de lente que classificamos como 4 não é permitida para transitar ou dirigir, porque a pessoa pode não reconhecer luzes semafóricas e sinalizações. Quando se experimenta um óculos e ele é muito escuro, é melhor não optar por ele, já que pode ser da categoria 4 ou estar fora de padrão”, explicou. Outros fatores importantes são o acabamento das peças, materiais, condições de uso e identificação das marcas. “Os produtos podem apresentar defeitos, riscos na lente, acabamento irregular, bolhas, incrustações… Uma coisa muito comum, e já aconteceu até comigo no caso de uma réplica, é quando a haste prende no cabelo”, acrescentou. A profissional ainda lembrou que alguns países definem diferentes normas para a proteção de raios ultravioletas. No Brasil, as lentes devem filtrar até 380 nanômetros. Já na Austrália, por exemplo, a exigência é de 400 nanômetros, devido ao diferente posicionamento geográfico e à existência de um deserto, que aumenta o espalhamento de luz. Por isso, em situações de viagem, é importante ficar atento a esses detalhes para maior proteção.

COMPARTILHE

Risco de infarto é maior durante festas de fim de ano, diz estudo

O risco aumenta conforme o avanço da idade

O risco aumenta conforme o avanço da idade.

Um estudo publicado no “British Medical Journal” que aponta que o risco de acidentes cardíacos é maior durante as festas de fim de ano. De acordo com os pesquisadores das universidades de Lund, Estocolmo, Uppsala e Orebro, na Suécia, o risco máximo acontece em torno das 22 horas. Um estudo realizado com 283 mil pessoas que deram entrada em hospitais suecos com infarto do miocárdio, entre 1998 e 2013, aponta que a maior incidência de acidentes cardíacos acontece na noite do 24 de dezembro – uma alta de 37% em relação ao resto do ano – seguido pela noite do Ano Novo – com uma alta de 20%.

Segundo os autores da pesquisa, a maior incidência desses acidentes cardíacos pode ser ser explicada pelos excessos de bebidas alcoólicas e alimentação nesta época do ano. O risco aumenta conforme o avanço da idade e em pessoas que sofrem de diabetes ou de doenças do coração, destaca o jornal francês “Le Figaro”. Entrevistado pelo diário, o cardiologista francês Pierre Aubry descarta a possibilidade de evitar as festas de fim de ano, mas recomenda moderação nos jantares e também o controle das emoções. Além disso, sugere que as pessoas procurem o pronto-socorro logo que forem detectados sintomas como dores ou sensação de pressão no peito, no ombro ou braço esquerdos, falta de fôlego ou desmaios.

COMPARTILHE

CONSUMO DE ÁLCOOL ESTÁ LIGADO A SUICÍDIO DE PESSOAS COM IDADES ENTRE 25 E 44 ANOS

CONSUMO DE ÁLCOOL ESTÁ LIGADO A SUICÍDIO DE PESSOAS COM IDADES ENTRE 25 E 44 ANOS

Foto: Ilustração/Reprodução/Agência Brasil

Um estudo científico indica a ligação entre o consumo de álcool e o suicídio de pessoas entre 25 e 44 anos. A pesquisa foi realizada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) divulgado este ano em um jornal científico. Foram analisados 1,7 mil casos na cidade de São Paulo entre 2011 e 2015 a partir de exames toxicológicos e mais de 30% das vítimas apresentavam diferentes concentrações de teor alcoólico no sangue. Entre os homens essa porcentagem chegou a 34,7%. Um dos motivos para isso é que, ao estar sob efeito de álcool, diminuiu a capacidade de julgamento, senso crítico e autocontrole.

No próximo mês, será lançada a campanha #SaiaDaSombra, para contribuir para as atividades educativas da campanha global Setembro Amarelo, que tem como foco o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, celebrado no próximo dia 10. A mensagem será lançada em forma de vídeo nas redes sociais com o objetivo de atingir os mais jovens. A campanha é feita em parceria com o Centro de Valorização à Vida (CVV) e o laboratório Pfizer. O foco será nos jovens que apresentam sinais de alerta em relação à depressão e à possibilidade de cometer suicídio.

COMPARTILHE

AMBULÂNCIA DA CIDADE DE CACHOEIRA CAPOTA NA BR 101

Ambulância capota na 101

Uma ambulância do município de Cachoeira que fica a 120 km da capital do estado, capotou na BR 101 próximo ao povoado das ‘Onze Mil Virgens’ em Conceição da Feira. De acordo com informações da Polícia, o motorista que retornava de uma viagem na madrugada desta terça-feira (14), tentou desviar de um animal que atravessava a pista, logo perdeu o controle do veículo. Sem ferimentos graves, o condutor foi socorrido por outros motoristas que passavam pelo local. O carro ficou totalmente destruído. Reportagem: Voz da Bahia/ Fábio Santo

COMPARTILHE

ANVISA APROVA GENÉRICO PARA TRATAMENTO DO CÂNCER DE MAMA E DE RIM

O remédio é indicado para o tratamento de diversos tipos de câncer

O remédio é indicado para o tratamento de diversos tipos de câncer.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o primeiro medicamento genérico com a substância everolimo. O remédio é indicado para o tratamento de diversos tipos de câncer, incluindo câncer de mama em estágio avançado, tumores neuroendócrinos e câncer de rim.

Por meio de nota, a Anvisa reforçou que, por se tratar de um medicamento genérico, o produto deve chegar ao mercado com um preço pelo menos 35% menor que o preço máximo do medicamento de referência. (AB)

COMPARTILHE

BRASILEIRO SABE POUCO SOBRE DIABETES, APONTA PESQUISA

BRASILEIRO SABE POUCO SOBRE DIABETES, APONTA PESQUISA

A pesquisa foi realizada com a população em geral.

Uma pesquisa Datafolha comprovou o que os médicos já veem no dia a dia: o brasileiro sabe muito pouco sobre o diabetes. Questionados sobre o conhecimento que tinham sobre a doença, em resposta espontânea, só 10% dos entrevistados citaram que ela pode causar a morte, 7% afirmaram que ela pode causar cegueira e 7% disseram que a doença não tem cura. Ainda assim, as complicações foram o item mais citado, por um total de 28% das pessoas. Os sintomas estão em um segundo grupo de menções (24%), seguido por tratamento (19%) e alimentação (18%).Apenas 15% citaram espontaneamente que o diabetes causa aumento do nível de açúcar no sangue e 16% que a pessoa com diabetes não pode comer açúcar. Apenas 2% fizeram alguma menção a doenças cardiovasculares, principal causa de morte de quem tem diabetes.

A pesquisa foi realizada com a população em geral, de 16 anos ou mais, entre os dias 12 a 19 de maio de 2018, em 153 municípios. A margem de erro máxima para o total da amostra é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.  “Infelizmente não ficamos surpresos com os resultados. A condição do paciente com diabetes no país é sofrível. Uma em cada duas pessoas com diabetes não sabe que tem a doença. Quando o diagnóstico é feito, portanto, há grande chance de já haver muitas complicações. O caminho do desenvolvimento do diabetes é traiçoeiramente silencioso”, afirma Hermelinda Pedrosa, presidente da Sociedade Brasileira de Diabetes. “A população precisa saber que atividade física, alimentação adequada e o combate a doenças como hipertensão e colesterol alto podem ajudar a prevenir o diabetes.

COMPARTILHE

NÚMERO DE MORTES POR H1N1 SOBE PARA 22 NA BAHIA, ESTADO TEM 181 CASOS DA DOENÇA

O número de mortes provocadas pela gripo H1N1 aumentou para 22 na Bahia. Os dados são referentes ao período que vai de janeiro até o dia 9 de junho e foram divulgados pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), nesta terça-feira (19). Segundo a Sesab, até a data, foram notificados 1.231 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), com 93 óbitos no estado. Dentre esses casos, 241 foram confirmados para Influenza, sendo 181 do subtipo A H1N1. Vinte e dois dos casos acabaram em óbito. De acordo com a Secretaria, no mesmo período, no ano passado, 327 casos de SRAG foram notificados, com 426 óbitos.

Entre eles, 25 foram confirmados como Influenza e dois deles de Influenza A H1N1 e nenhum óbito por A H1N1 foi verificado. De acordo com o G1, 49 municípios confirmaram casos de H1N1, com mortes registradas em 11 deles. A maior parte foi verificada em Salvador (12). Os outros municípios foram Apuarema (1); Camaçari (1); Irará (1); Lauro de Freitas (1); Retirolândia (1); Saúde (1); Sapeaçu (1); Serrinha (1); Uruçuca (1) e Vitória da Conquista (1). Segundo a Sesab, os menores de cinco anos e maiores de 60 anos operam entre a faixa etária de maior ocorrência de morte por causa do vírus, sendo que 60% das mortes ocorrem nesses grupos.

COMPARTILHE

IDOSO MORRE COM GRIPE H1N1 EM SERRINHA

Idoso morre com Gripe H1N1 em Serrinha

Idoso morre com Gripe H1N1 em Serrinha

Um idoso de 61 anos morreu com a gripe H1N1 na cidade de Serrinha, a cerca de 175 km de Salvador. De acordo com Edy Gomes, coordenador do Núcleo de Saúde de Feira de Santana, que também atende ao município onde a vítima estava internada, a morte ocorreu na quarta-feira (11) e o resultado do exame que acusou H1N1 saiu na sexta-feira (13).

Outro paciente está internado em Serrinha com a doença. O Núcleo Regional de Feira engloba 72 municípios. Segundo Edy Gomes, em Feira de Santana há uma morte confirmada, foi a de um bebê de um ano, que veio a óbito na terça-feira (10). No entanto, segundo o coordenador do Núcleo de Saúde, a criança não era morada do município.

Portanto, o caso é considerado importado. Duas crianças que são de Feira de Santana estão internadas em um hospital particular de Salvador com H1N1 confirmada, informou Edy Gomes. Outro caso da região, ocorrido na cidade de Coração de Maria, é investigado. É o de uma mulher de 21 anos.

A Bahia tem, ao menos, 6 mortes por H1N1 confirmadas até agora. No entanto, o último boletim divulgado pela Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab), traz os dados coletados até o dia 7 de abril, e aponta, até a data, 4 mortes confirmadas pela doença em todo o estado. Três foram em Salvador e uma em Lauro de Freitas, na região metropolitana. (G1)

COMPARTILHE

Homem que omitiu alcoolismo morre após tomar vacina contra Febre Amarela na cidade de Santo Estêvão

Foto: Reprodução

Um homem de 57 anos morreu na cidade de Santo Estêvão, na Bahia, no último sábado (22), após tomar a vacina contra febre amarela, no dia 15 de janeiro. Segundo informações do jornal A Tarde, a Secretária de Saúde do município, Orlandina Nascimento, contou que o homem era alcoólatra e omitiu a informação para ser vacinado e que começou a sentir os sintomas dias depois de tentar a imunização. Um laudo do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), divulgado nesta sexta-feira (26), confirmou a presença do vírus no paciente, mas a secretária de Saúde defende que o homem tenha desenvolvido a doença a partir da vacina e não por agentes externos, já que o município não tem casos registrados de febre amarela e ele não havia viajado nos últimos seis meses. Ao jornal, o presidente do Sindicato dos Médicos da Bahia, Francisco Magalhães, explicou que pessoas com baixa imunidade podem desenvolver a doença a partir da vacina. “A vacina contra a febre amarela é constituída de vírus vivos atenuados, por isso quem sofre de doenças imunossupressoras como câncer, Aids ou uma doença renal crônica deve avaliar os riscos antes de tomar”, disse ele. “A pessoa que sofre de alcoolismo também pode ter a defesa imunológica comprometida, mas isso deve ser analisado caso a caso”, acrescentou. Este é o segundo caso confirmado de morte por febre amarela na Bahia.

COMPARTILHE

Saúde: Antibiótico Benzetacil é temporariamente suspenso no país

A penicilina benzatina, conhecida pelo nome comercial Benzetacil, está temporariamente suspensa no Brasil, desde o início de julho. Segundo a revista Veja, a farmacêutica Eurofarma, detentora da marca oficial de comercialização do antibiótico no país, anunciou que a suspensão na produção é temporária por conta de “melhorias relacionadas aos testes de validação do produto”. A Eurofarma informou que o medicamento que já foi distribuído em todo o país poderá ser consumido normalmente até a data de validade informada na embalagem. A empresa afirmou à publicação que a retomada de produção deve acontecer em meados de outubro. Quatro empresas no Brasil podem produzir a penicilina benzatina, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa): a Eurofarma, que produz o remédio com nome comercial Benzetacil, a Fundação para o Remédio Popular (Furp), o Laboratório Teuto Brasileiro S/A e a Novafarma Indústria Farmacêutica LTDA. O medicamento costuma ser temido por usuários pela dor que provoca no momento da aplicação e pode durar até 24 horas depois. Em 2015, o Ministério da Saúde alertou o risco de falta de abastecimento do medicamento no Brasil por conta da escassez de matéria-prima do antibiótico.

COMPARTILHE

Autoteste de HIV estará disponível nacionalmente até o fim de julho em farmácias

Foto: Reprodução/Google

O autoteste para detectar a presença do vírus HIV no organismo deve estar disponível em farmácias de todo o país até o fim do mês. Nesta semana, o primeiro teste desse tipo a ser vendido no Brasil começou a chegar às farmácias do Rio de Janeiro. O produto, que custa entre R$ 60 e R$ 70, pode ser comprado sem receita médica, e a testagem produz resultado 10 minutos após o sangue entrar em contato com o reagente. O Brasil é o primeiro país da América Latina e Caribe a disponibilizar o autoteste em farmácias. Para a diretora do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Adele Benzaken, o produto é uma ferramenta importante para aumentar a capacidade de diagnóstico do vírus. Identificar a presença do HIV em 90% das pessoas infectadas é uma das metas da Organização das Nações Unidas (ONU) para 2020. “Advogamos tanto com relação ao autoteste porque acreditamos que ele amplia e muito a cobertura diagnóstica. Têm pessoas que não querem ir à unidade de saúde para fazer o teste do HIV”, pondera ela, que alerta que o resultado positivo no autoteste não é um diagnóstico. Para tal, é preciso confirmação de outros exames e acompanhamento de profissionais de saúde. “O teste da farmácia não é confirmatório. Com o autoteste positivo, deve-se buscar imediatamente a unidade de saúde para fazer novos testes confirmatórios”, explica. Com informações da Agência Brasil

COMPARTILHE

Psicóloga Millena Mendonça fala sobre ‘obstáculos’

por Millena Mendonça/Psicóloga

A pedra no meio do caminho, é um obstáculo que convoca o indivíduo à uma superação. Esta metáfora retirada da poesia de Drummond, está posta nos enredos de filmes, séries, novelas, nas biografias e nos contos infantis, tal qual podemos observar em Chapeuzinho Vermelho, quando esta empenhou-se para salvar-se do lobo com a ajuda de um lenhador, ou em Alice no País das Maravilhas, que com o apoio do Chapeleiro Maluco, conseguiu vencer a Rainha de Copas. O caminhar por entre as pedras, retirando-as do meio do caminho, requer um investimento de viver, de fazer “a coisa viva” acontecer, ainda que outras pedras surjam lá na frente, porque viver é pulsação contínua, é caminhar para uma construção individual. Trazendo a ideia de construção para o assunto psicoterapia, “fazer a coisa viva” acontecer, seria construir as beiradas do impalpável, daquilo que está no inconsciente e que incide sobre o Eu. Nesse caso, a contribuição de um psicoterapeuta no processo de construção, é a ferramenta subjetiva exata, sobretudo para que o próprio indivíduo se reconheça enquanto protagonista de sua história, dando novas direções ao enredo de sua vida, permitindo com sensatez as correlações entre o eu, tu, eles e elas. Digo isso, porque é pela palavra que se pressupõe um dizer do eu endereçado ao tu, eles e elas. E isso funciona em um movimento dialético, o supra sumo das elaborações individuais. Lembremos que, para retirada da pedra no meio do caminho, Chapeuzinho Vermelho teve ajuda do lenhador e a Alice, do Chapeleiro Maluco. Aprendemos muito através dos contos.

COMPARTILHE

Saúde: Menor consumo de sal evitaria milhões de mortes, aponta estudo

Diminuir em 10% o consumo de sal poderia salvar milhões de vidas, afirma um estudo publicado nesta quarta-feira (11) pela revista médica britânica The British Medical Journal. O sal aumenta os riscos de hipertensão e de doenças cardiovasculares. As informações são da Rádio França Internacional. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a maioria dos adultos consome mais do que a quantidade recomendada de 2 gramas de sal por dia, no máximo. O excesso de sal, presente principalmente em alimentos industrializados, está na origem de cerca de 1,65 milhão de mortes provocadas por doenças cardíacas em todo o mundo, de acordo com a OMS. Apesar de poucos países até agora terem adotado políticas públicas para tentar diminuir o consumo de sal, pesquisadores, atuando conjuntamente com a indústria alimentícia, avaliaram o impacto de estratégias públicas de prevenção em 183 países. E concluíram que investir o equivalente a apenas 10 centavos de dólar por pessoa (cerca de R$ 0,32), contribuiria grandemente para frear a mortalidade.

RESULTADOS IMPRESSIONAM

Os cientistas também estimaram, baseados no índice de Esperança de Vida Corrigida, o número de anos perdidos pela população mundial por conta do excesso de sal. Segundo o estudo, uma alimentação menos salgada durante um período 10 anos evitaria uma perda anual equivalente a 5,8 milhões de anos de boa saúde. O custo dos anos ganhos seria equivalente ao que se gasta atualmente em remédios para tratamento de doenças cardiovasculares, apontam os pesquisadores

COMPARTILHE

07 de Abril é o Dia Mundial da saúde: 15 dicas para ser uma pessoa mais saudável

dia-mundial-da-saúde-interação-feminina

Dia 07 de abril é o dia mundial da saúde! Mas você sabe o que é saúde? Segundo a organização mundial de saúde, “a saúde é o completo bem estar físico, mental e social”. Isso significa dizer que não é apenas estar isento de doenças, mas sim quando todos esses fatores se correlacionam. A saúde é um direito fundamental de qualquer pessoa, garantido por lei (pela constituição federal e pela lei 8080/90) no Brasil. Assim, temos o sistema único de saúde que proporciona atendimento médico tanto às pessoas que já se encontram doentes, quanto para as que querem prevenir doenças, além da opção particular e planos de saúde. Mas listamos abaixo 15 dicas simples de cuidados diários para você seguir e se tornar uma pessoa mais saudável, aumentando a expectativa de vida:

  1. Alimente-se corretamente. Inclua frutas e vegetais na sua dieta e diminua o consumo de gorduras trans e saturadas, açúcares, refrigerantes, sódio, etc.
  2. Beba bastante água, principalmente em dias quentes. Especialistas indicam que é necessário ingerir em média 2 litros de água por dia.
  3. Exercite-se regularmente com atividades aeróbicas que você goste. O exercício físico libera endorfinas, que é conhecida como substancia do prazer, diminui o estresse, auxilia no emagrecimento, diminui a hiperinsulinemia ou resistência à insulina, melhora a função renal, entre outros inúmeros benefícios.
  4. Controle seu peso corporal. A obesidade pode levar a problemas sérios de saúde como diabetes, hipertensão arterial e doenças cardiovasculares. Em contrapartida, manter uma dieta restritiva e emagrecer demais também configura doença, como anemia, desnutrição, entre outros. O IMC (peso/altura²) considerado normal é de 18,5 a 24,9. Clique em leia mais
COMPARTILHE

Saúde: Primeiros testes mostram que ‘pílula do câncer’ não é eficaz, diz governo

saúde_pilula_cancer

Primeiros testes mostram que ‘pílula do câncer’ não é eficaz (Foto: Divulgação/USP)

Os primeiros testes com a fosfoetanolamina sintética, conhecida como “pílula do câncer”, realizados pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) mostraram que a substância não é pura, como afirmavam seus criadores, e que ela não apresenta eficácia contra células cancerígenas em testes in vitro. Os cinco primeiros relatórios foram divulgados pelo ministério no último dia 18. “A informação era de que a fosfoetanolamina era pura, mas há cinco componentes na cápsula. Os resultados preliminares mostram que a fosfoetanolamina não tem atividade contra o câncer”, diz Luiz Carlos Dias, professor titular do Instituto de Química da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que atuou na pesquisa do MCTI na etapa de caracterização e síntese dos componentes da cápsula. A substância, criada pelo professor aposentado Gilberto Chierice, do Instituto de Química da Universidade de São Paulo (USP São Carlos), é distribuída há mais de 20 anos e não tem autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária para ser usada como medicamento. Segundo Dias, a quantidade de fosfoetanolamina é de 32,2% e que outra substância presente na fórmula, chamada monoetanolamina, apresentou capacidade de reduzir a proliferação de células com câncer. “Um dos componentes tem uma pequena atividade, mas é muito marginal, menor do que a apresentada por tratamentos convencionais.” Em nota, o ministério informou que os resultados são preliminares e que “não existe ainda um laudo conclusivo sobre a substância.” Dias explica que ainda serão realizados testes in vivo, que devem incluir animais de pequeno porte, cujos resultados devem sair em um mês. Outro ponto preocupante, segundo o pesquisador, foi o fato de as cápsulas não apresentarem a mesma quantidade de substância em cada uma delas. “Cada uma tinha uma quantidade diferente. Indica um processo artesanal de colocar o conteúdo na cápsula.” A reportagem entrou em contato com os responsáveis pela fórmula por e-mail, mas não teve resposta.

COMPARTILHE