Com armas ‘exclusivas’ da Rondesp, facções travam guerra do tráfico na região de São Caetano
Boca Mole (esq.) está preso. Seu bando teria matado Everaldinho (dir.) na Formiga, área disputada pelos dois.

Boca Mole (esq.) está preso. Seu bando teria matado Everaldinho (dir.) na Formiga, área disputada pelos dois.

A disputa por pontos de tráfico de drogas é, para a Polícia Civil, um dos principais motivos de homicídios em São Caetano. “O grande número de homicídios na região está ligado à fragmentação do poder”, acredita o chefe do Serviço de Investigação da 4ª Delegacia (São Caetano), Darlan de Assis. Com a morte de Everaldo Rocha dos Santos, o Everaldinho, um dos líderes do tráfico na área, nesta segunda-feira (28), a polícia está se organizando para evitar o acirramento dessas disputas, nas quais, o armamento o usado é pesado, com armas que só a Rondesp usa em Salvador. Everaldinho era responsável pelo tráfico de drogas na região da Rua da Formiga, em São Caetano, na Boa Vista do São Caetano e na Capelinha e estava perdendo o domínio na região. Seu principal rival na região era Washington Davi Santos da Silva, o Boca Mole, da facção Bonde do Maluco. Boca Mole está preso desde 2013, mas ainda assim influencia a criminalidade nas localidades da Cirlândia (na divisa com a região da Formiga), no Marotinho, Bom Juá e parte de Camarujipe. Quem também lidera o tráfico na região é um homem conhecido como Rasta, que comanda a Ladeira do Cacau e parte da Boa Vista do Lobato. Também procurados, Saul e Cérebro são os apelidos dos homens de confiança de Everaldinho, que podem querer manter o domínio na região. Segundo o major José Raimundo Barros, comandante da 9ª Companhia Independente de Polícia (9ª CIPM/ Pirajá), o poder de fogo do bando é grande. “Há informações de que eles têm fuzil 556, que aqui é usado somente pela Rondesp, que também teriam submetralhadoras .40 e armas de calibres 45, que são armamentos pesados”, contou o major. Por conta da morte de Everaldinho, há na região informações de toque de recolher, mas o major informa que até o momento as informações não passam de boato. Pela manhã, o comércio no bairro funcionou normalmente. (Correio da Bahia).

COMPARTILHE