Comerciante é condenado a 28 anos de prisão por mandar matar esposa em Camacan

Edvan Ribeiro Santana I Foto: Reprodução/Google

O comerciante Edvan Ribeiro Santana, acusado de mandar matar a mulher, em Camacan, no sul da Bahia, no ano de 2010, foi condenado a 28 anos de prisão. O crime chocou os moradores da cidade. Kátia Cristina Lima dos Santos, de 32 anos, foi morta na frente dos três filhos, da mãe e da tia, dentro de um carro, em frente à igreja que frequentava. O julgamento durou 12 horas. Às 8h30 de quinta-feira (20), já tinham pessoas na porta do Fórum Desembargador Antônio Carlos Souto para acompanhar o julgamento do comerciante. Antes do resultado, a família disse que esperou seis anos e meio pelo momento. “Estamos aguardando que ocorra um julgamento justo e que a Justiça seja realmente feita. Depois de tantos anos esperando, que o nosso familiar não se torne mais um número de estatística”, afirmou o primo de Kátia, Rafael Sobrinho.

Kátia Cristina I Foto: Reprodução/Google

O juiz Felipe Remonato diz que o julgamento demorou para acontecer porque o processo era complexo, com várias testemunhas e recursos. “O processo chegou até os tribunais superiores, em Brasília. Em razão disso, teve essa excessiva demora para que esse julgamento se realizasse”, afirmou. Para o julgamento, foram convocadas sete testemunhas, quatro de acusação e três de defesa, entre elas a mãe e a tia de Kátia. A defesa alegava que o comerciante era inocente. Já para a promotoria, foi um homicídio qualificado, porque o motivo foi fútil e ela não teve chance de defesa. Na época do crime, a polícia já tinha apontado o comerciante como suspeito de ser mandante do crime. Ele teria ficado com medo de ter que dividir os bens após uma eventual separação, já que a mulher teria descoberto uma traição dele. Os dois homens condenados como executores do crime estão detidos no presídio de Itabuna, também no sul do estado. Ovídio Santos Sampaio teria contratado Reginaldo Amaral para fazer os disparos. Ovídio foi condenado a 30 anos de prisão e Reginaldo, 28 anos. Com informações do G1

COMPARTILHE