Impeachment: para oposicionistas baianos, defesa de Dilma não teve consistência

dilma

Deputados federais baianos que fazem oposição à presidente Dilma Rousseff (PT) apontaram fragilidades na defesa feita na tarde dessa segunda-feira (4) pelo advogado geral da União, José Eduardo Cardozo, na comissão especial da Câmara Federal que analisa o processo. Na avaliação de José Carlos Aleluia (DEM), a defesa da presidente Dilma abriu o caminho para a Comissão votar pelo impeachment. “Ele só fez ataques aos outros e se esqueceu de defender Dilma”, frisou. Aleluia não crê que o governo petista consiga reverter a tendência pelo afastamento com medidas pouco republicanas, “como o desavergonhado fisiologismo que vem sendo praticado”. O deputado federal Benito Gama (PTB), membro da comissão especial, diz que Cardozo fez uma “defesa midiática”. “Não se mostrou os pontos cruciais da acusação feita pelos autores do pedido de impeachment. Foi um escorregão da defesa nessa discussão. Não tenho dúvida nenhuma de que os argumentos da defesa são totalmente falsos com relação ao processo de impeachment dizendo que é golpe, que é inconstitucional”, afirmou o petebista. Segundo Aleluia, a pressão das ruas poderá ser o fator decisivo na votação do impeachment da presidente Dilma. “A força do impeachment vem das ruas, de milhões de brasileiros que sofrem com o desemprego, a inflação e a crise econômica, e não suportam mais um governo irresponsável, incapaz e envolvido em escândalos de corrupção”, apontou o democrata. Já o líder do PSDB na Câmara, o deputado baiano Antônio Imbassahy, diz que a defesa da presidente apresentada na Câmara, conseguiu ser mais fraca que a do ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, que tentou defender Dilma na Casa na última semana. Segundo o parlamentar tucano, não passou de blá-blá-blá, sem consistência. “Não tem como justificar os crimes de responsabilidade que a presidente cometeu”, afirmou. (Bocão News).

COMPARTILHE