Irecê: vereadores fazem nova denúncia contra presidente após ‘confissão’ de irregularidade
Luciano da Silva (PV) | Foto: Reprodução/ Irecê Repórter

Luciano da Silva (PV) | Foto: Reprodução/ Irecê Repórter

Após o presidente da Câmara de Vereadores de Irecê, Luciano da Silva (PV), contratar por R$ 411 mil assessorias jurídicas e contábeis para a Casa, vereadores de oposição ingressaram com uma nova representação no Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) no último dia 5 pedindo que uma investigação ainda mais acurada seja oferecida contra o vereador. Segundo o novo documento, em entrevista a uma rádio local, o presidente do Legislativo de Irecê admite pagar R$ 7,5 mil a uma empresa, quando, na verdade, o contrato firmado com a empresa está fixado em R$ 12 mil. “Hoje, um contador cobra R$ 4 mil para trabalhar. Tá entendendo? Então, na verdade, líquido, para uma empresa dessas aí é sete mil e pouco”, contou. Segundo a representação, ainda na entrevista, no dia 26 de agosto de 2015, presidente da Câmara afirma que a empresa Souza e Silveira Advogados Associados, contratada pelo valor de R$ 6 mil mensais – um total de R$ 72 mil anuais – pertence ao mesmo grupo da empresa de contabilidade – Alconta Assessoria e Consultoria em Gestão Pública – o que “caracteriza mais um indício de irregularidade no procedimento licitatório”. Denunciante, a vereadora Margarida Cardoso (PTN) pede a suspenção imediata dos pagamentos dos contratos.

COMPARTILHE