Jequié: Alvo de processo de impeachment na Câmara, Tânia Britto desaparece da cidade

465x465xtania.jpg.pagespeed.ic.0f68gRFD1T

Procura-se uma prefeita. A desaparecida atende pelo nome de Tânia Britto (PP), gestora do município de Jequié, na região do Médio Rio de Contas. Desde que a Câmara de Vereadores aprovou na última terça-feira (1º) a admissibilidade do seu pedido de impeachment (veja mais aqui), a prefeita não é encontrada pelos edis para ser notificada sobre a abertura da ação, como manda a legislação sobre impedimento de mandatos. Segundo vereadores do município ouvidos pelo Bahia Notícias nesta sexta (4), buscar a gestora em seu gabinete tem sido em vão nos últimos dias. Em sua residência, ninguém passa da guarita do condomínio: as ordens são expressas para não deixar ninguém entrar. De acordo com o presidente da comissão responsável pelo impeachment, vereador Tinho (PV), o sumiço de Tânia é um mistério. “A Câmara foi até a prefeitura levar a notificação, ela não foi encontrada. A gente é barrado na porta do condomínio, dizem que não tem autorização dela para ter acesso. Algumas pessoas dizem que ela não se encontra em Jequié. Ninguém sabe informar a agenda dela. A assessora não se encontra. Não há informações sobre o paradeiro dela”, relatou. Ainda segundo o vereador, se a prefeita não for encontrada para ser notificada sobre o andamento do processo de impeachment, a comissão vai seguir com ele. Para Tinho, o sumiço da chefe do Executivo Municipal é uma manobra para postergar o rito da ação. “A prefeita não quer facilitar. Quem não deve, não teme. Qualquer prefeito de boa fé já teria aparecido”, critica. Na avaliação do vice-prefeito do município, Sérgio da Gameleira (PSB), um dos principais opositores da gestora desde que rompeu as relações com ela há um ano e meio e que tenta viabilizar candidatura à prefeitura nas eleições do ano que vem, o desaparecimento dela também é uma forma de obstruir o processo. “Isso é uma estratégia para dificultar o andamento do processo. Se ela é isenta de culpa, deveria se apresentar, preparar sua defesa”, opinou. Quem também engrossa o coro contra a prefeita é o vereador Joaquim Caires (PMDB), líder da oposição na Câmara. Segundo ele, “o clima na cidade é de uma expectativa imensa pela saída” e as chances de os vereadores votarem pelo impeachment de Tânia são grandes. “O clima dentro da Câmara expressa o sentimento da população. A tendência na Câmara é de votação pelo impeachment dela”, cravou. Na Cidade Sol, o sumiço da gestora virou motivo de piada. Nas redes sociais, circulam memes com a falta de informações sobre o paradeiro dela. Procurada pelo Bahia Notícias, Tânia Britto não atendeu e nem retornou às ligações.

COMPARTILHE