BRASIL: DIRETOR REAGE E NEGA ACUSAÇÃO DE QUE TELEXFREE USA ESQUEMA DE PIRÂMIDE
Empresa é alvo de investigação do governo federal

Empresa é alvo de investigação do governo federal

Do Correio

A diretoria da empresa Ympactus Comercial, representante da TelexFree no Brasil, reagiu em vídeo divulgado nesta sexta-feira (15) à nota da Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda que diz que os negócios da empresa se assemelham ao esquema de pirâmide financeira, que é ilegal no país. O diretor de marketing da empresa, Carlos Costa, leu a nota ponto a ponto explicando e negando que existam irregularidades na ação da companhia. Em vídeo de pouco mais de 12 minutos, ele diz que a Ympactus presta serviço para a TelexFree, explicando porque a empresa não tem autorização para comércio no país: “A Ympactus só representa, não faz comércio. Se buscarem no contrato, nem inscrição estadual tem, já sabíamos disso. Ela presta serviço para a TelexFree no Brasil, ela não faz comércio no Brasil”. Ele negou o primeiro ponto, que diz que a empresa incentiva a economia informal, garantindo que todo o ganho é declarado ao Ministério da Fazenda e acontece formalmente. No encerramento, ele comenta a sugestão de que a Telexfree age com esquema de pirâmide e diz que respeita o parecer do órgão governamental, mas reafirmou que o dinheiro da empresa vem das vendas, e não das pessoas que fazem a adesão, negando a pirâmide. “Toda a nossa estrutura, toda a nossa compensação financeira, pelo amor de Deus, entendam, vem das vendas dos nossos pacotes Voip. Seja na compra por atacado ou na compra por varejo”.

COMPARTILHE