Pesquisa indica que contaminação por coronavírus está desacelerando no Brasil

Foto: Marcelo Seabra/Agência Pará

A quarta etapa da pesquisa EpiCovid-19 BR, desenvolvida pela Universidade Federal de Pelotas (Ufpel), indica que o novo coronavírus está em desaceleração no país. Amostras sorológicas coletadas de 33.250 pessoas, entre 27 e 30 de agosto, em 133 cidades, aponta prevalência de anticorpos em 1,4% das pessoas testadas. De acordo com informações do jornal O Globo, na terceira fase o percentual era 3,8%. Essa diminuição indica que o vírus circula com menos intensidade no país, apesar de que a menor prevalência não significa que a população está menos protegida.

Por outro lado, o reitor da Ufpel e coordenador do estudo, Pedro Hallal, alerta que ainda não é o momento de relaxar. Distanciamento social e uso de máscaras seguem sendo importantes. “Sim, [a pandemia] está diminuindo. Acabou? Não. Ainda estão morrendo mais ou menos 700 pessoas por dia, de acordo com a média móvel. Significa: estamos no caminho de eliminar essa pandemia, mas precisamos estar atentos”, disse ele em entrevista à TV RBS.

PREVALÊNCIA DO VÍRUS

A região norte teve a maior prevalência do vírus, com 2,4%. O Nordeste aparece em seguida, com 1,9%. No Sudeste, Sul e Centro-Oeste, o percentual foi de 0,5%. A pesquisa indica também interiorização da Covid-19, com maior prevalência em Juazeiro do Norte e Sobral, no Ceará, com 8,0% e 7,2%, respectivamente.

Quando analisada por renda e faixa etária, a pesquisa mostra que a doença tende a atingir mais pretos e pardos; os 20% mais pobres têm o dobro de prevalência em relação aos 20% mais ricos. Entre os indígenas, a prevalência diminuiu conforme a epidemia desacelerou no Norte do país.

COMPARTILHE