Diarista que confessou ter enterrado patroa é presa em São Paulo

RTEmagicC_47f0402cad.jpg

A diarista que confessou ter enterrado a patroa foi presa na manhã desta quinta-feira (9), em São Paulo. Lucila Barros Bezerra, de 47 anos, foi detida pela Polícia dentro da própria casa, por volta das 7h30.

Seu ex-companheiro, que trabalha como motorista da prefeitura, também foi preso nesta manhã, por volta das 9h, por já ter agredido a vítima em algumas ocasiões. Os dois são suspeitos de terem participado do assassinato da ex-funcionária do Banco do Brasil Terezinha Barbosa, 57 anos.

A aposentada estava desparecida desde agosto. A única filha de Terezinha, que mora na capital paulista e ia visitar a casa da mãe esporadicamente, registrou um boletim de ocorrência após não conseguir falar com a mãe por um mês.

Ela disse que não encontrou o carro da mãe no local, assim como dois cartões de crédito e os dois cachorros da aposentada.

Após ser detida, a doméstica confessou que roubou os cartões e R$ 5 mil da conta da aposentada. O corpo de Terezinha foi localizado em um dos quartos da residência nesta terça-feira (8) .

A polícia acredita que a aposentada tenha morrido por asfixia, mas somente um exame poderá determinar se a asfixia ocorreu de forma mecânica ou por envenenamento. “Ela estava embaixo da terra, em uma profundidade de aproximadamente 1,5 metro”, disse o delegado Douglas Borguez, em entrevista ao G1 Santos. “Ela pode ter sido envenenada. O autor teve o cuidado de colocar o cal e de cimentar. Foi uma atitude premeditada”, opinou.

COMPARTILHE