Ex de Adélia nega agressão e chama advogada de golpista: “Caloteira por vocação”
Anderson, ex de Adélia, negou agressão  (Foto: Reprodução/TV Globo e Facebook)

Anderson, ex de Adélia, negou agressão l (Foto: Reprodução/TV Globo e Facebook)

Confinada na casa do ‘Big Brother Brasil’, a advogada Adélia revelou que já sofreu ameaças de morte do antigo namorado após assinar um termo de união estável com ele. Adélia e Anderson Romeiro viveram um relacionamento em 2013.

Irritado com as afirmações da sister, Anderson usou as redes sociais para falar sobre o assunto. Na época da declaração, Adélia contou para Maria Claudia e Matheus que é protegida pela lei Maria da Penha.

Na postagem de Anderson, intitulada como “A verdadeira face de Adélia Jesus Soares BBB 16”, o rapaz nega que tenha agredido a sister e afirma que está sendo injustamente acusado por ela e seus familiares. “A mesma fala que construiu um patrimônio e que estou requerendo metade. Deixo claro que quem construiu o tal patrimônio foi EU, essa golpista não colocou um centavo”, diz ele.
Confira o texto na integra:

“Em razão das declarações feitas pela participante do programa BBB16, Adélia de Jesus Soares e alguns membros de sua família, no exercício de meu direito de resposta, venho por meio deste “post” prestar os seguintes esclarecimentos: Estou sendo injustamente acusado de ter ido ao escritório dela no intuito de agredi-la. Nada mais fantasioso. Isto porque, além de inverídica a informação, a participante do “Reality Show” está buscando desviar o foco das muitas ações danosas praticadas por ela em conluio com alguns familiares que resultaram em substanciais prejuízos financeiros não só a mim, mas também a meus familiares. 

A locação do imóvel, do referido escritório estava em meu nome conforme contrato, assim como todos os equipamentos e móveis que estavam em seu interior como demonstra as notas fiscais, sendo assim o escritório era meu. E posteriormente em posse das chaves do escritório a mesma na calada da noite veio a furtar tudo que havia em seu interior.’ Fui, literalmente, enganado por uma pessoa que se diz “advogada”, mas que se utiliza dos muitos conhecimentos profissionais para obter ganhos fáceis, sem nenhum esforço e mais, arruinando pessoas. Foi o que aconteceu comigo.
Pois bem, a mesma fala que construiu um patrimônio e que estou requerendo metade.

Deixo claro que quem construiu o tal patrimônio foi EU, essa golpista não colocou um centavo, eu comprei da família dela um terreno com uma casa velha, localizada no jardim anzai, Suzano – SP, e paguei aos herdeiros legais uma quantia que saiu da minha conta, tenho comprovantes desses pagamentos e construí uma nova casa com dinheiro que saiu da minha conta também, sem esforço algum dela, tenho todos os documentos que provam todas as transações, NFs e testemunhos, mas Adélia agindo de fé, no fim do relacionamento, fez um contrato de compra e venda da família vendendo para a irmã dela “Andreia”, e depois sumiu com esse contrato, e logo após a separação mais que depressa vendeu a casa que estava em fase de construção e todos os móveis que eu comprei, pois parte dos moveis ficaram na casa onde ela mora atualmente e outra parte na casa da mãe dela.

Tudo isso consta no processo que ela foi citada várias vezes e se esconde do oficial de justiça, mandando o porteiro dizer que não mora mais no local. Porque será que a Dra. está fugindo da justiça?

Não bastasse, tendo alcançado a confiança de meus familiares, em especial meus genitores, causou-lhes prejuízos de ordem financeira, aproveitando-se da boa-fé destes. Referente à acusação de que eu quero metade do carro dela, a mesma esqueceu-se de contar que convenceu minha mãe, Sra. Lizete, uma senhora aposentada de 67 anos de idade, a tirar um empréstimo de 11.500,00 reais no banco para comprar esse carro, com a promessa de que ela iria pagar as prestações, pois a mesma não tinha dinheiro para dar de entrada, acontece que ela pagou apenas 3 prestações e após o termino da nossa relação novamente agindo de má fé deixou de pagar, e o empréstimo continua sendo cobrado, não se importando quais consequências sua atitude criminosa poderia causar.

Lembrando que nesse caso ela também se esconde pra não ser citada e retardar o andamento do processo. Se alguém não acredita é só entra no site do TJSP e consultar o nome dela.  Meu pai também foi lesado, pois ela utilizou o cartão dele para viajar com o seu filho para o USA e gastaram 11 mil reais e simplesmente não pagou, isso mesmo, novamente não pagou, todas as provas devidamente juntadas nos autos do processo, a mesma foge dos oficiais de justiça pra não ser citada e retardar o andamento do processo.

E ai Dra. Adélia a senhora não é rica ou seria caloteira por vocação? Há também um inquérito policial onde constam vários cheques onde a Dra. Adélia exauriu sua própria assinatura numa conta que não lhe pertencia, A fim de obter vantagem e aplicar golpes no comércio de Suzano com uma conta que não é dela, esses cheques se tratam de uma conta PJ e outra conta PF em meu nome, única e exclusivamente em MEU NOME, sendo assim está sendo indiciada por crime de estelionato, sendo investigado pela delegacia de Suzano.

E vale lembrar que a irmã dela “Andreia” também está respondendo pelo mesmo crime de estelionato e também apropriação indébita.  Significa dizer que a Dra. Adélia é pessoa de péssima reputação que visa o bem material, a vantagem, o enriquecimento, pouco se importando com os valores morais e éticos. Deixo claro que as condutas por ela praticadas são de gravíssimas consequências e que medidas judiciais já foram tomadas, tanto no âmbito civil, como no âmbito penal.

Certamente, a verdade dos fatos virá à tona e tenho convicção de que as alegações e comentários proferidos por ela não prevalecerão! Assim, se algum patrimônio foi construído pela Srta. Adélia, sou a prova de que este não foi obtido com o trabalho sincero e verdadeiro. Se alguém tiver alguma dúvida do tipo de pessoa que estamos falando basta dar uma voltinha em Suzano ou fazer uma rápida consulta ao site do TJSP”.

COMPARTILHE