Governador sinaliza que reajuste dos servidores só será feito se arrecadação ‘reagir’
xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.5OOo_N2N_n

Foto: Carol Garcia/GOVBA

O governador Rui Costa afirmou que “não há como falar de acréscimo de despesas” quando questionado sobre o reajuste salarial dos servidores do Estado. Segundo o A Tarde, Costa deu poucas esperanças de atender as reivindicações dos servidores do estado que vão entregar na sexta-feira (6) ao governo a pauta salarial de 2016, pedindo aumento linear acima da inflação.

“Quero ver a economia e a arrecadação reagirem. Obviamente, tudo que será feito depende da arrecadação. Nesse momento, a condição é de manter os salários em dia, é o que dá para fazer hoje. Para você ter uma ideia, dos 27 estados da federação, dez já atrasaram os salários esse ano. Alguns estão repetidamente parcelando o salário. Sergipe é o quarto mês seguido que está parcelando salário.

Então, em um clima desses não há como falar de outros acréscimos de despesas, senão o estritamente legal”, disse Rui, após visitar os postos do programa “Acordo Legal”.

Ainda de acordo com o governador, a folha de pagamento da Bahia “já tem um crescimento vegetativo gigantesco por leis que foram historicamente aprovadas e que, mesmo sem fazer nada, ela vai crescendo”, disse o governador, informando que só na parcela do anuênio, paga aos servidores, “a folha cresce 1%, mesmo a arrecadação crescendo zero”. Para que o aumento exista, Rui espera uma “reação na arrecadação”.

COMPARTILHE