MISTÉRIO COM VERBA FEDERAL EM IBICUÍ: “DINHEIRO DESAPARECE NO GOVERNO DA PREFEITA GILNAY SANTANA”
Gilnay Santana é irmã do Coronel Santana.

Gilnay Santana é irmã do Coronel Santana.

A população e principalmente os trabalhadores da educação estão intrigados em Ibicuí. Tudo por causa do mistério em torno da destinação dada a uma verba do Fundo Nacional de Desenvolvimento do Ensino (FNDE), que deveria bancar a formação de novas turmas do Programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Os recursos,  no montante de R$ 167 mil, chegaram a Ibicuí em dezembro de 2012, ainda no governo do prefeito Cláudio Dourado (PTB). Como não havia mais tempo para realizar o objeto do convênio, a execução ficou para a gestão seguinte, de Cornélio Morais (PDT). O novo prefeito faleceu no dia 17 de junho, após firmar contrato com o Instituto Brasileiro de Cultura e Turismo Ltda. (Ibec), que tem sede em Ilhéus, para a capacitação de professores envolvidos no EJA. O valor do contrato foi de R$ 33.400,00. O que despertou a atenção de educadores do município, no entanto, foi uma transferência de R$ 120 mil da conta específica do programa para a conta da Prefeitura. A movimentação se deu no dia 19 de junho, dois dias após a morte de Cornélio e já sob o governo da prefeita Gilnay Santana (PTN).“Esses recursos deveriam ficar na conta específica do programa, para que haja controle de sua aplicação”, afirma uma professora que prefere não ser identificada. O receio é de que, na conta comum do município a verba seja destinada a outras ações, diferentes daquelas a que deve atender. A preocupação aumenta ainda mais na medida em que, segundo educadores de Ibicuí, não foi criada nenhuma nova turma do EJA na cidade, apesar de o dinheiro ter sumido da conta do programa. A pergunta que mais se faz hoje à prefeita Gilnay Santana, à secretária municipal da Educação, Nilza Bidu, e ao tesoureiro do município, Ronaldo Moraes, é: “onde está o dinheiro?”. (Pimenta).

COMPARTILHE