Ministro da Saúde admite atraso em distribuição de testes para Zika
Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

O ministro da Saúde, Marcelo Castro, admitiu nesta quinta-feira (11) atraso na distribuição de kits para diagnóstico do vírus Zika por laboratórios credenciados pelo governo. “Houve uma pequena demora, mas já perfeitamente corrigida”, disse em entrevista à Agência Brasil.

Segundo ele, o entrave envolveu a própria licitação, que atrasou. A previsão da pasta é que 100 mil kits para diagnóstico do Zika sejam distribuídos a todos os estados. “Quem não recebeu está recebendo”, disse o ministro. “Já tomamos a decisão de tornar a enfermidade de notificação compulsória. A gente quer fazer isso com toda a segurança”, afirmou.

Em janeiro, Castro anunciou que kits para testes rápidos de detecção do vírus Zika, da febre chikungunya e da dengue seriam distribuídos para laboratórios de todo o país em fevereiro. O kit foi desenvolvido pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos), uma das unidades da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

COMPARTILHE