Namorada suspeita de planejar roubo que terminou com morte de empresário é presa de novo
RTEmagicC_90633528fa.jpg

(Foto: Reprodução/Facebook)

Dois suspeitos de participar da morte do dono de uma academia em Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro, foram presos na quinta-feira (21). Elen Cristina Curi Ferreira, de 23 anos, namorada do empresário Felipe Lavina, é acusada de ter planejado o assalto que terminou com a morte dele. Outro suspeito, Luigi Sirino dos Santos, também foi preso.

A polícia afirma que foi Elen quem informou aos bandidos onde ficava o cofre com dinheiro na casa de Felipe e deixou a porta destrancada no dia do crime, para facilitar o acesso.

RTEmagicC_191523c6cf.jpg

Elen nega participação (Foto: Reprodução)

“A conclusão do inquérito policial dá conta de que o crime foi previamente elaborado por Elen, que foi até um dos autores do crime – Marlon, também conhecido como “Semente”, agora falecido – e levou até ele informações privilegiadas de que dentro da casa da vítima havia uma quantia determinada de dinheiro. A partir do momento em que ele teve essa informação, ele cotou outros participantes, entre eles o Luigi”, explica o delegado Giniton Moraes em entrevista ao G1.

Elen negou em depoimento, novamente, ter participação no caso. Ela foi presa na casa de uma tia em Copacabana, no Rio de Janeiro. A jovem chegou a ser presa duas semanas após o crime, sendo solta após um mês. Luigi, que também foi preso antes, estava em liberdade. Marlon Paranhos da Silva, o Semente, foi apontado como responsável por atirar em Felipe. Três dias após o assassinato do empresário, ele foi morto por traficantes. Outras duas pessoas teriam participado do crime – um adolescente de 17 anos, que foi quem levou aos outros envolvidos, e um quarto homem que também foi morto por traficantes, ainda não identificado.

Felipe foi morto porque reconheceu Semente. Os bandidos usavam capuz durante o crime, mas Semente tirou o dele em determinado momento e foi reconhecido pela vítima. A avó do bandido morava na rua de Felipe e ele aparecia sempre por lá. “Quando a vítima o reconhece, ele não tem outra saída – segundo o ponto de vista dele, criminoso – senão eliminar a vítima temendo que, em qualquer investigação posterior, ela pudesse identificá-lo”, acrescenta o delegado.

Crime
Inicialmente, a investigação mostrou que Elen e Felipe tinham sido sequestrados após o roubo. Os bandidos então mataram o dono de academia em uma estrada e abandonaram Elen. A jovem disse que o casal dormia quando os bandidos invadiram a residência. Os dois foram levados no carro do irmão de Felipe até Nova Iguaçu, onde Felipe foi morto com três tiros na cabeça.

O adolescente investigado por participar do crime se entregou à polícia e contou do suposto plano de Elen para roubar o namorado. Durante as investigações, foram ouvidos parentes do traficante Semente e eles acabaram contanto que Elen teria encontrado com o suspeito dois dias antes do crime.

Elen teria dito ao traficante que o cofre tinha R$ 300 mil, mas na hora só estava guardado R$ 10 mil, dinheiro que Felipe usaria para pagar os funcionários da academia.

COMPARTILHE