Travamento do leme causou acidente de avião na Barra, aponta especialista
Foto: Reprodução/ Robson Oliveira / Submerso Esportes Aquáticos

Foto: Reprodução/ Robson Oliveira / Submerso Esportes Aquáticos

O acidente com o avião da Esquadrilha Textor Air Show, que aconteceu na Barra no último sábado (31), foi provavelmente causado por um travamento no leme do veículo. É o que suspeita o presidente do Comitê Brasileiro de Acrobacia e Competições Aéreas (CBA), Luiz Carlos Basson Dell’Aglio.

Em entrevista ao jornal Correio, ele também explicou que a aeronave pilotada por André Textor não possuía um botão que o ejetasse e não era possível sair da cabine antes da queda. O piloto chegou a ser encaminhado para o Hospital Português, mas morreu pouco tempo depois do acidente.

“O leme é comandado por um cabo no pedal dentro da cabine. Entre o pé e o leme pode ter havido alguma coisa que tirou esse comando. E o piloto não tem o que fazer até identificar isso”, afirma Dell’Aglio em entrevista ao jornal Correio. A Força Aérea Brasileira (FAB), por meio do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidente Aeronáuticos (Seripa 2), já começou a investigar as causas da queda.

O corpo de André foi sepultado na manhã desta segunda-feira (2), na cidade de Rio Verde, em Goiás. Segundo o presidente da CBA, a manobra tentada pelo piloto no momento do acidente se chama Tumble, que ele já estava acostumado a realizar. “É uma manobra com um grau de dificuldade 8, numa escala de 0 a 10. Mas vi André fazer mais de 50 vezes”, relata Dell’Aglio.

COMPARTILHE