Votação do STF sobre rito de impeachment no Congresso tem resultado favorável à Dilma

xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.OlFUw2wGe8

Maioria do Supremo Tribunal Federal (STF) decide, até agora, por seis votos a três, na sessão desta quinta-feira (17) por anular a eleição da Comissão Especial de impeachment na Câmara. Desta forma, as eleições na casa deverão ser refeitas com votação aberta e a decisão da Câmara não vinculará ao Senado federal.

Ainda faltam os votos do ministro Marco Aurélio Mello e do presidente da corte, ministro Ricardo Lewandowski, para a finalização do jugamento . A decisão ocorreu em análise de uma ação do PCdoB que questionava o acolhimento do processo de impeachment de Dilma Rousseff pelo presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e a eleição da comissão especial.

No último dia 8 de dezembro, a Câmara elegeu de forma secreta, por 272 votos a 199, a chapa alternativa de deputados de oposição e dissidentes da base aliada para a comissão especial.

COMPARTILHE