20 PESSOAS JÁ MORRERAM DE SÍFILIS NA BAHIA, ILHÉUS CONCENTRA 25% DAS MORTES

Ilhéus já concentra 25% das mortes de sífilis na Bahia, entre 2006 e este ano, segundo relatório da Vigilância Epidemiológica do Estado. Nesse período foram 20 mortes em toda a Bahia. Ilhéus foi o município com a maior quantidade de pessoas que não resistiram à doença, além de registrar aumento no número de casos notificados nos últimos anos.  

De acordo com o relatório, além de Ilhéus, apresentam a maior carga de incidência da Sífilis Congênita (SC) Itabuna, Porto Seguro, Salvador, Vitória da Conquista, Teixeira de Freitas, Juazeiro, Alagoinhas e Feira de Santana.  Ilhéus, Conquista, Teixeira de Freitas, Porto Seguro e Feira de Santana têm apresentado crescimento no número de doentes nos últimos anos. Os dados oficiais revelam que a maioria das pessoas que contraem a sífilis tem baixa escolaridade, com ensino fundamental incompleto.

Na Bahia, entre 2000 e 2010, foram registrados 2.833 casos de sífilis congênita em menores de um ano, com aumento de notificações a cada ano. Em 2000, a taxa de incidência era de 0,8 caso por 1.000, saltando para 1,8 casos por 1.000 nascidos vivos em 2010, o que representa o aumento de 125%.  No mesmo período, no Brasil foram notificados 54.141 casos de sífilis congênita.

A maior incidência está concentrada no nordeste, onde foi de 2,2 por mil nascidos vivos em 2009. A sífilis é uma doença infectocontagiosa sistêmica, de evolução crônica, causada pelo Treponema pallidum. A transmissão é sexual e também vertical, provocando a SC. A transmissão não-sexual, por transfusão sanguínea ou inoculação acidental, é improvável.

COMPARTILHE