ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DA BAHIA LIBERA AUXÍLIOS DE DEPUTADOS; LEUR ACREDITA EM MAIS R$ 14 MI DE WAGNER

JW não criará mal-estar com legislativo por R$ 14 mi, crê Leur | Foto: Max Haack

Após o clima tenso na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) por conta do anúncio de cortes nos benefícios concedidos aos parlamentares, no final do mês passado, a “paz financeira”, pelo menos por enquanto, está de volta à Casa de Leis. Isso porque, na última semana, o governador Jaques Wagner (PT) atendeu parte dos apelos feitos pelo presidente da AL-BA, deputado Marcelo Nilo (PDT), que havia justificado o corte em benefícios como verba indenizatória (até R$ 29 mil para cada um) e auxílio combustível (que pode custar R$ 6,5 mil por cabeça) por conta do endividamento do Legislativo. Após a confirmação dos R$ 22 milhões de socorro do Executivo, os auxílios, mesmo com atraso, foram pagos esta semana. Entretanto, a conta da AL-BA ainda não fecha e novas rodadas de negociações devem ser feitas entre os poderes até o final do ano. De acordo com o líder da maioria Zé Neto (PT), essa discussão só deve acontecer em momento oportuno. “Só vamos voltar a discutir isso entre final de novembro, início de dezembro, como acontece todo ano. Não tem sentido antecipar uma possível crise”, pontuou. O 1º vice-presidente da Mesa Diretora, Leur Lomanto Jr. (PMDB), também mantém a cautela e acredita que o chefe do Executivo deve voltar atrás em sua decisão de fechar a torneira para os parlamentares. “Eu acho que não é por causa de R$ 14 milhões que o governador Jaques Wagner vai criar um mal-estar com a Assembleia”, afirmou ao Bahia Notícias.

 

COMPARTILHE