IGRAPIÚNA: PREFEITO TENTA JUSTIFICAR DIÁRIAS DE R$533 MIL E É REBATIDO POR CIDADÃO IGRAPIUNENSE
Léo (PSB) | Foto: Reprodução

Léo (PSB) | Foto: Reprodução

Após repercussão de informações públicas e notórias de que o atual Prefeito de Igrapiúna, Leandro Ramos (Léo), foi condenado no âmbito do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) por irregularidades na concessão de diárias no exercício de 2013 e 2014, a prefeitura vem a público tentar justificar o injustificável querendo ofuscar as informações alegando que o conteúdo das notícias é antigo. Porém, é importante deixar claro que muito embora a penalidade seja referente ao exercício de 2013 e 2014 só agora em 09 de agosto de 2018 que o TCM publicou a decisão do processo que o condenou a devolver recursos aos cofres públicos do município. Logo, não é verdade o que diz a nota da Prefeitura, a decisão é recente e só agora por meio dos veículos de comunicação veio ao conhecimento de toda a comunidade Igrapiunense. É importante destacar que na decisão que o condenou traz de forma clara e inequívoca de que os recursos públicos de Igrapiúna foram usados sem qualquer responsabilidade e controle interno.

Mais uma vez, não é verdade o que diz a nota da Prefeitura que as diárias são rigorosamente controladas por órgãos próprios, se assim o fosse, não teria sido condenado a devolver dinheiro ao município.  Por isso, destaca-se que a nota pública emitida pela Prefeitura de Igrapiúna não traz qualquer esclarecimentos, mas sim, tem o objetivo de tentar desacreditar a verdade que consta nos autos do processo ( nº 76429-15) que o condenou. Ainda assim, muito embora o prefeito esteja recorrendo da decisão do Tribunal de Contas, O Ministério Público Estadual, foi oficializado para averiguar possíveis atos de improbidade administrativa por parte do gestor que imoderadamente usou dinheiro público na concessão de diárias para viagens.  Por fim, nota-se que o prefeito não conseguiu justificar os gastos de R$533.755,00 (quinhentos e trinta e três mil, setecentos e cinqüenta e cinco reais), conseguiu apenas, informar que está recorrendo da decisão, assim, deixando claro que de fato foi condenado pelo colegiado de contas. (Redação: Anderson da Hora/Facebook)

Comente pelo Facebook
COMPARTILHE