Coaraci: Hospital esquece paciente em clínica de Itabuna
Ambulância esqueceu paciente em Itabuna e só retornou à noite.

Ambulância esqueceu paciente em Itabuna e só retornou à noite.

Um paciente internado no Hospital de Coaraci veio a Itabuna, acompanhado da esposa, para realizar um exame médico e foi esquecido pela unidade hospitalar nesta segunda (12). O casal chegou a Itabuna às 14h40min e após realizar um exame de meia hora, ligou para o hospital informando que já haviam sido liberados pela clínica. A atendente do hospital de Coaraci, de prenome Luzia, pediu para que o casal aguardasse próximo a clínica, localizada na praça Olinto Leone. Outras ligações foram feitas para a unidade médica cobrando a ambulância até que a atendente tirou o telefone do gancho. O aparelho só voltou a funcionar depois da mudança de plantão,  às 19 horas. Preocupadas com o paciente que não se sentia bem, algumas pessoas ligaram para o hospital de Coaraci e informaram que o casal esperava há 5 horas pela ambulância. De acordo com um mototáxi, essas situações são corriqueiras. ““Uma vez, eu e meus colegas juntamos um dinheiro e pagamos a passagem de uma mulher que a ambulância também trouxe para fazer o exame e não veio buscar”, afirmou. A ambulância chegou por volta das 20h20min e ao ser indagado o motivo da demora, o motorista identificado apenas pelo prenome Salatiel, respondeu de maneira grosseira que o problema não era dele e sim da direção do hospital.

DIRETOR DE HOSPITAL DE COARACI DIZ QUE QUADRO DE PACIENTE NÃO ERA GRAVE

O diretor do Hospital Municipal de Coaraci, Elivaldo Santos de Jesus, em nota, afirmou que a demora no atendimento ao paciente encaminhado a uma clínica de Itabuna para exame de ultrassonografia se deu por “limitação de recursos materiais”. Segundo ele, não houve “abandono” nem o quadro do paciente era grave, apesar dos relatos em contrário.De acordo com Elivaldo, o paciente deixou o hospital às 14h15min de ontem. Conforme matéria acima, o paciente chegou à clínica por volta das 14h40min, deixando a unidade às 20h20min, apesar do exame ter sido concluído em 30 minutos. A espera pela ambulância foi de quase 5 horas, mas o diretor justifica: – Logicamente, diante da limitação de recursos materiais, o hospital precisa estabelecer prioridades que se pautam no estado de saúde dos pacientes, circunstância que foi observada ao denunciante e à pessoa que o acompanhava.Com informações do Pimenta.

Comente pelo Facebook
COMPARTILHE