GONGOGI: KAÇULO TEM CONTAS REJEITADAS PELO TCM NOVAMENTE; PREFEITO FOI MULTADO EM 41 MIL
Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O Tribunal de Contas dos Municípios, na sessão desta terça-feira (26/11), rejeitou as contas referente ao exercício de 2018 da Prefeitura de Gongogi, de responsabilidade do gestor Edvaldo dos Santos, o Kaçulo. De acordo com o TCM, a extrapolação do percentual máximo para despesa com pessoal  foi o motivo que levou à rejeição das contas. Os gastos alcançaram o montante de R$12.543.053,66, que correspondeu a 70,11% da receita corrente líquida do município, superior, portanto, ao limite de 54%. Além disso, o prefeito aplicou apenas R$1.583.916,34 em ações e serviços públicos de saúde, representando 14,43% da arrecadação dos impostos, quando o mínimo exigido é 15%. Essa irregularidade também comprometeu o mérito das contas.

O prefeito foi multado em R$36 mil, que corresponde a 30% dos seus subsídios anuais, por não ter reduzido a despesa total com pessoal, conforme determina a Lei de Responsabilidade Fiscal. Foi imputada ainda uma segunda multa, no valor de R$5 mil, pelas demais irregularidades identificadas durante a análise das contas. O relator do parecer, conselheiro Francisco Netto, também determinou a recondução da dívida consolidada do município ao limite estabelecido em resolução do Senado, vez que representou 168,79% da receita corrente líquida. Cabe recurso da decisão. Em tempo, o município de Gongogi segue há 20 anos sem ter uma conta aprovada. De acordo com dados do TCM, a última aprovada foi em 1997, na gestão de Roque Rocha Monteiro. Já o atual gestor está inelegível após a Câmara Municipal rejeitar as suas contas referente ao exercício de 2017. ( Informações: Giro em Ipiaú)

Comente pelo Facebook
COMPARTILHE