PROFESSORES DE ITABUNA DECIDEM RUMO DA GREVE NA TERÇA; GOVERNO OFERECE 2,8% DE REAJUSTE

Professores protestaram na prefeitura nesta sexta.

Os professores da rede municipal de ensino de Itabuna decidem na terça-feira (25) se aceitam a proposta de reajuste salarial apresentada nesta sexta-feira (21) pela secretária de Educação, Nilmecy Gonçalves. Foi oferecido aos profissionais da educação o mesmo percentual dado aos demais funcionários públicos. De acordo com Nilmecy Gonçalves, o município só tem condições de conceder aumento de 2,8%, parcelado em duas vezes, sendo 1,4% retroativo ao mês de abril e 1,4% a ser aplicado no salário de setembro. “Temos uma folha de R$ 6 milhões, enquanto recebemos apenas R$ 5 milhões do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Esse reajuste é o máximo que podemos conceder”, alegou. A presidente do Sindicato do Magistério de Itabuna (Simpi), Maria do Cardo de Oliveira, a Carminha Oliveira, informou que a entidade defende o reajuste de 6,81%, conforme determinação do Ministério da Educação (MEC), mas que levará a proposta para ser debatida em assembleia.

A sindicalista ressaltou que a greve dos professores não é apenas por reajuste salarial, “mas também contra as arbitrariedades cometidas pela atual gestão, que retirou o direito à licença para pós-graduação; e tem atrasado salários dos professores em desvio de função”. Outro ponto de discordância é a mudança do regime de celetista para estatutário, sem discussão com as categorias, segundo Carminha Oliveira. A greve dos professores completou 18 dias nesta sexta-feira. A rede municipal de ensino de Itabuna conta com cerca de 18 mil alunos matriculados e 1.200 professores.  A proposta apresentada nesta sexta-feira pela Secretaria de Educação será debatida a partir das 9 horas da manhã de terça-feira. (Pimenta)

Comente pelo Facebook
COMPARTILHE