JEQUIÉ – POLICIA PRENDE LADRÕES DE BANCO

O seqüestro ocorreu no início da noite de segunda-feira (28), sendo a família libertada na madrugada de terça-feira (29), por volta das 3h.

Uma ação comandada na tarde de terça-feira (29) Pela delegada Magda Sueli Figueiredo, coordenadora do Grupo Avançado de Repressão a Crimes Contra Instituições Financeiras (Garcif/Itabuna), com a participação da delegada Grazeielle Quaresma, de Repressão a Furtos e Roubos de Jequié e o apoio de policiais civis e militares, prendeu em uma casa na Rua Dr. João Braga, no bairro de Jequiezinho, o ex-detento Carlos Alberto de Souza, seus dois filhos Rodrigo e Carlos Alberto e mais dois adolescentes, suspeitos de terem participado no dia anterior, do seqüestro da  família do sub-gerente do Banco do Brasil de Ubatã,  Mateus Jovita.

O seqüestro ocorreu no início da noite segunda-feira (28), sendo a família libertada  na madrugada de terça-feira (29), por volta das 3h. Os bandidos sequestraram o sub-gerente,  liberando posteriormente, mas mantiveram a sua família como refém.

No imóvel foram encontrados um automóvel modelo Vectra, uma espingarda 12, com dois canos serrados, um revólver 38, uma pistola 380, munição e um alicate industrial.

Prisões – Por volta das 15h de terça, a delegada Magda Sueli com uma equipe de policiais juntamente com a delegada Grazielle, fez o cerco à casa localizada no bairro de Jequiezinho, que segundo informações seria a moradia de uma mulher de pré-nome Divonete, companheira de Carlos Alberto Pau Ferro, que teria conhecido em visitas feitas a ele no Conjunto Penal de Jequié.

Ela se identificava no presídio na condição de  integrante da Pastoral Carcerária. A mulher estaria afastada  da Pastoral, de acordo informações de um dos membros, há cerca de três anos. No imóvel foram encontrados um automóvel modelo Vectra, uma espingarda 12, com dois canos serrados, um revólver 38, uma pistola 380, munição e um alicate industrial.

Também foram encontrados no local, roupas de operários do setor de construção civil, inclusive equipamentos de proteção individual (EPI). Os suspeitos foram levados inicialmente para o Complexo Policial de Jequié e, posteriormente recambiadas para Salvador.

COMPARTILHE