MARAÚ: NOVA SECRETÁRIA RECEBE SAÚDE SUCATEADA COM AMBULÂNCIAS QUEBRADAS E CENTENAS DE CAIXAS DE MEDICAMENTOS VENCIDOS
juliana_lemos_viana_ubaitabaurgente

Juliana ficou assustada com real situação da saúde em Maraú.

É assustador a real situação da saúde em Maraú, uma verdadeira herança maldita deixada pelo governo do ex-prefeito Pito. Para você ter uma idéia, as cinco ambulâncias existentes no município, que deveriam estar transportando pacientes para hospitais da Região, estão quebradas, sucateadas e abandonadas em oficinas mecânicas e no galpão da prefeitura. A Secretária Juliana Lemos Viana (foto), encontrou centenas de caixas de medicamentos vencidos que estavam guardados nos PSFs dos Distritos e na Farmacinha Popular, até no cemitério foram encontrados medicamentos escondidos em um tumulo.

As cinco ambulâncias do município estão todas quebradas e sucateadas

As cinco ambulâncias do município estão todas quebradas e sucateadas

Os medicamentos de uso contínuo que deveriam ter sido distribuídos para os doentes que durante quatro anos do governo Pito, procuraram a “Farmácia Popular” e não foram atendidos, serão incinerados nos próximos dias, graças à irresponsabilidade do ex-secretário de Saúde, Ernani Carvalho. De acordo com o coordenador da Saúde, José Raimundo, que fez uma vistoria em todos os PSFs do município, a situação da saúde em Maraú é precária e a secretária vai precisar de no mínimo um ano para recuperar veículos e equipamentos para o hospital e Postos de Saúde, tudo foi sucateado.

Centenas de caixas de medicamentos vencidos foram encontrados no município

No local onde funciona a secretaria, foram encontrados vários computadores e impressoras danificadas e jogados em um banheiro velho. Os aparelhos de AR condicionados de algumas salas foram levados na calada da noite.

Os computadores e impressoras da secretaria estavam quebrados e jogados dentro de um banheiro

Os computadores e impressoras da secretaria estavam quebrados e jogados dentro de um banheiro

O hospital da cidade foi encontrado sem médico, medicamentos, vigilantes e até o oxigênio para ser usado em uma emergência, estavam vazios, o povo de Maraú sofreu nos últimos quatro anos”, disse Juliana Viana.

Redação: Ubaitaba Urgente

COMPARTILHE