PMDB NÃO PRETENDE CONDICIONAR POSSÍVEL UNIÃO EM 2012 COM 2014

Se em 2012 for Mário Kertész será, se em 2014 for ACM Neto, será. Se lá na frente for Imbassahy, Lúcio ou Geddel, será aquele que estiver em melhores condições”

O deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB) afirmou em entrevista, nesta quarta-feira (5), ao programa Bahia Notícias no Ar, da Rede Tudo FM 102,5, que não se pode vincular as eleições municipais de 2012 com o pleito estadual de 2014. “Eu cito o caso do ex-deputado Luís Eduardo Magalhães, que já estava em campanha e praticamente eleito governador, mas, no entanto, Deus, o todo-poderoso, aquele que tem o comando sobre as nossas vidas, retirou-a de Luís Eduardo. Então, não podemos pensar em 2014 sem passar por 2012. É legítimo tanto ACM Neto, quanto Geddel (Vieira Lima), o próprio (Antonio) Imbassahy ou outros deputados federais e estaduais pleitearem o governo do Estado ou a prefeitura. O que tem que fazer é sentar à mesa e conversar”, avaliou, em conversa com os apresentadores Samuel Celestino e Daniela Prata. O deputado federal ACM Neto (DEM), no mesmo programa, revelou que só abriria mão da sua candidatura em 2012 se tivesse o apoio na corrida ao Palácio de Ondina dois anos depois. “Os problemas que Salvador vive hoje e que o governo Estado vive hoje não são para se colocar interesses pessoais acima do interesse do coletivo. O PMDB não será empecilho nenhum para se fazer o acordo, mas o acordo se chega através do consenso, de critérios e de quem aglutina mais. Se em 2012 for Mário Kertész será, se em 2014 for ACM Neto, será. Se lá na frente for Imbassahy, Lúcio ou Geddel, será aquele que estiver em melhores condições”, estimou. Informações do Bahia Noticias

COMPARTILHE