UBATÃ – “EDSON NEVES” ACUSA ANTECESSOR DE CONTRAIR DÍVIDAS PARA O MUNICÍPIO

Edson Neves assumiu o cargo há 5 meses |Foto: Bahia Notícias

O prefeito de Ubatã, Edson das Neves (PSD), negou nesta quinta-feira (17) as acusações feitas pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) e atribuiu os atuais problemas enfrentados pela administração municipal ao ex-gestor Agílson Muniz (PCdoB), cassado em novembro de 2011.

O município do sul baiano vive uma instabilidade política-administrativa desde 2010, quando o comunista, eleito com a maioria dos votos, foi afastado do cargo em maio do mesmo ano. O ex-prefeito foi acusado de distribuir cestas básicas durante as eleições de 2008.

Neves, segundo colocado do pleito, assumiu a prefeitura, mas deixou o cargo em junho de 2011, após recondução de Muniz. Cinco meses depois, outro recurso impetrado na Justiça recolocou Neves na cadeira de prefeito. Segundo o atual administrador, as dívidas foram contraídas durante o mandato do seu antecessor, mas, mesmo assim, a prefeitura já começou a quitá-las.

“O Ministério Público foi induzido ao equívoco. Quando o juiz deu a liminar com a suspensão da micareta, não foi dada a oportunidade de esclarecer. Se nós tivéssemos a oportunidade de nos defender, eu tenho certeza de que existiria esse convencimento de ambas as partes, porque a prefeitura não foi ouvida para poder se defender antes de ser acusada e de ser dada a liminar”, afirmou.

A ação civil pública movida pelo promotor de Justiça Iury Lopes de Mel, que solicitava o cancelamento do carnaval fora de época, foi acatada pelo juiz titular da Comarca, Carlos Antônio Maldonado Bertacco.

Nela, o promotor solicita o condicionamento dos R$ 700 mil previstos para a realização da festa na quitação de débitos com a Coelba e a Embasa, no pagamento de salários em atraso dos servidores contratados, no enfrentamento dos problemas com a saúde pública municipal, além do pagamento de débitos com o comércio local. Fonte: Bahia Noticias

COMPARTILHE