MANIFESTAÇÃO PRÓ-MORO EM SALVADOR COMEÇA COM VAIA CONTRA PREFEITURA
  Foto: Vagner Souza/BNews

Foto: Vagner Souza/BNews

A manifestação em defesa do ministro Sérgio Moro e da Operação Lava Jato, realizada no Farol da Barra na manhã deste domingo (30), começou com duras críticas contra a Prefeitura de Salvador. Os ativistas atacaram a gestão municipal em função do imbróglio envolvendo a liberação do minitrio no ato convocado por ativistas de direita, incluindo o Movimento Brasil Livre (MBL). Segundo Antonio Braga, um dos ativistas presentes no movimento,  a manifestação só está acontecendo em função do mandado judicial concedido ao grupo. As críticas foram especialmente dirigidas ao Secretário Municipal de Esportes, Trabalho e Lazer (Semtel), Alberto Pimentel (PSL). Segundo os militantes, ele agiu politicamente para impedir o ato. Pimentel, por sua vez, nega as acusações. Na abertura do ato, os ativistas puxaram vaias contra a gestão municipal. O trio também é utilizado pelo MPB – Médicos Pelo Brasil, MPB – Movimentos Patriotas do Brasil, Militância Direita Bahia, Nas Ruas – BA e RWR – Republicana Web Rádio.

ENTENDA O CASO

Na última sexta-feira (28), o BNews noticiou que a prefeitura, por meio da Semtel, havia embargado o uso do trio do MBL durante manifestação a favor do governo Bolsonaro, marcada para este domingo. Após a publicação, comprovada por documentos e entrevistas, Alberto e Dayane Pimentel deferiram ataques contra o site por meio de publicações nas redes sociais. Desde então, vereadores, deputados e líderes políticos têm se posicionado contra a postura do PSL, e a favor da imprensa.

Comente pelo Facebook
COMPARTILHE