RELIGIOSOS FAZEM MARCHA DA FAMÍLIA CRISTÃ POR LIBERDADE APÓS DECISÃO DO STF
Foto: Arthur Menescal/Especial Metrópoles

Foto: Arthur Menescal/Especial Metrópoles

Religiosos realizaram na manhã deste domingo (11), a “Marcha da Família Cristã”, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, para pedir a liberdade de professarem sua fé após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), dando aval a governadores e prefeitos de proibirem a realização de missas e cultos presenciais durante a pandemia de covid-19 por meio de decreto.

A maioria dos ministros utilizaram a ciência como justificativa durante o julgamento na última quinta (8). Segundos eles, a atual situação crítica do Brasil na pandemia justifica que igrejas e templos religiosos sejam fechados temporariamente para evitar aglomerações em lugares fechados.

A ministra Cármen Lúcia reforçou que o “motivo sanitário” que veta as reuniões não é discriminatória contra as religiões e que os fiéis podem professar sua fé temporariamente fora dos templos. “A fé não se mede pela presença, não se confunde com banco de igreja”, afirmou a ministra. De acordo com informações do UOL, para grupos religiosos, a decisão fere a liberdade de expressão de suas fés e a democracia.

“O exercício da democracia exige liberdade”, dizia uma faixa. O grupo além de pedir “liberdade”, protestaram “contra o comunismo”. No local, teve ainda quem levasse a bandeira do Império e de Israel.  A maioria dos participantes se manifestaram em apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).  Ainda de acordo com UOL, duas pessoas também seguravam faixa pedindo “intervenção militar com Bolsonaro no poder”.

COMPARTILHE