WITZEL NEGA IRREGULARIDADES E DIZ QUE ESTÁ ‘OFICIALIZADA’ INTERFERÊNCIA DE BOLSONARO NA PF

Foto: Reprodução

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, alvo de uma operação da Polícia Federal nesta terça-feira (26), acusou o presidente Jair Bolsonaro de interferir na PF e negou irregularidades cometidas por ele. Ele citou o fato da deputada Carla Zambelli (PSL), aliada de Bolsonaro, ter mencionado em entrevista a uma rádio nesta segunda-feira possíveis ações da Polícia Federal contra governadores.

“Estranha-me e indigna-me sobremaneira o fato absolutamente claro de que deputados bolsonaristas tenham anunciado em redes sociais nos últimos dias uma operação da Polícia Federal direcionada a mim, o que demonstra limpidamente que houve vazamento, com a construção de uma narrativa que jamais se confirmará. A interferência anunciada pelo presidente da república está devidamente oficializada”, disse o governador em nota.

Ao todo, a PF cumpriu nesta manhã 11 mandados de busca e apreensão em São Paulo e no Rio de Janeiro. A corporação investiga se houve fraude na contratação da organização social Iabas para montagem e gestão de hospitais de campanha no combate ao novo coronavírus.

COMPARTILHE