Ubaitaba: GloboEsporte.com destaca município em uma série de reportagens sobre a canoagem

header_canoagem_ubaitaba

O GloboEsporte.com vem realizando várias reportagens especiais que falam da canoagem em Ubaitaba, do Campeão Mundial Isaquias Queiroz e dos grandes atletas Ubaitabense, a exemplo de Jeffersom Lacerda, que se tornou um pioneiro da canoagem Brasileira. O tema desta reportagem é: Cidade das canoas.

Jefferson Lacerda posa com medalhas conquistadas ao longo da carreira.

Jefferson Lacerda posa com medalhas conquistadas ao longo da carreira.

O ouro conquistado por Isaquias Queiroz é o cume da escalada da canoagem brasileira. É também o ponto de referência para os jovens de Ubaitaba. O dourado da medalha ainda não teve o poder do Rei Midas para transformar o esporte da cidade do interior baiano.

Baiano viveu tempos difíceis no início da carreira, quando ainda treinava e morava em Ubaitaba.

Baiano viveu tempos difíceis no início da carreira, quando ainda treinava e morava em Ubaitaba.

Mas ele é o farol que ilumina a mente das crianças que sonham com dias melhores e se apegam à prática esportiva para seguir os passos do campeão mundial e continuar a honrar a vocação da “Cidade das canoas”.

Inspiradas em Isaquias Queiroz, dezenas de crianças de Ubaitaba, no interior da Bahia, sonham em manter e honrar a tradição da cidade com a canoagem.

mosaico_canoagem04

Com a conquista de Isaquias no imaginário, dezenas de crianças ubaitabenses caem na água do Rio de Contas quase todos os dias. Elas fazem parte do Projeto Social AABB Comunidade. Não têm grande condição financeira e utilizam o esporte como lazer, mas também com o sonho de mudar de vida.

No início das reportagens o Globo Esporte falou sobre as dificuldades enfrentadas pelos atletas e O ‘CHORA’ DE CADA DIA. – Aqui você só vai ouvir choro. A frase acima é de Figueroa Conceição. Aos 28 anos, ele ainda cursa Educação Física, mas já tem a experiência de um veterano.

Sem os equipamentos necessários, o técnico acompanha o treino de fora da água.

Sem os equipamentos necessários, o técnico acompanha o treino de fora da água.

– Falta estrutura. Não temos uma sala de musculação, não temos médico, nutricionista, preparador físico, nada. Não temos quem nos acompanhe – acrescenta o companheiro Dalvan Luz, 17.

A Bahia é ingrata. Há quantos anos Bahia e Vitória não ganham um Brasileiro? Aqui título Brasileiro é comum.

Figueroa Conceição

Os atletas da seleção baiana treinam de segunda a sábado, duas vezes por dia. Na academia, recebem apenas uma rápida orientação do treinador e fazem tudo sem qualquer supervisão. Na água, são observados de longe por Figueroa. É com projeto AABB Comunidade que o GloboEsporte.com encerra nesta quinta-feira a série de reportagem “Cidade das canoas: Ubaitaba e a vocação para a canoagem” (Por Raphael CarneiroUbaitaba-BA/Globo Esporte).

COMPARTILHE