Gongogi







Gongogi: Professora Joana já acumula ‘05 derrotas’ para prefeita no município

003

Atual prefeito Sapão e a vice professora Joana.

A professora Joana Angélica Oliveira de Vasconcelos Santos (PSL) é classificada com uma pessoa serena, carismática, educada, meiga e querida em Gongogi. Os adjetivos – no entanto – não foram suficientes para que a professora vencesse uma eleição como candidata a prefeita no município. Joana disputou as eleições de 1996, 2000, 2004, 2008 e 2016 como candidata e não obteve êxito em nenhuma delas. Em 2004 Joana, que foi a segunda colocada em todos os pleitos disputados, perdeu por apenas 37 votos para Milton Pereira, do então PFL. Em 20 anos Joana conseguiu apenas em 2012 se eleger vice-prefeita na chapa encabeçada pelo atual prefeito Altamirando Santos (PDT), o Sapão. A professora ainda não divulgou se continuará na vida pública após finalizar o mandato de vice-prefeita em 31 de dezembro de 2016. (Ubatã Notícias)

COMPARTILHE

Gongogi: Prefeito tem contas rejeitadas e terá que devolver mais de R$ 50 mil aos cofres públicos

004

O Tribunal de Contas dos Municípios, nesta quinta-feira (29/09), votou pela rejeição das contas da Prefeitura de Gongogi, na gestão de Altamirando de Jesus Santos, relativas ao exercício de 2014. Para o exame foi necessário uma tomada de contas pelos técnicos do TCM, vez que o gestor não as apresentou de forma espontânea. Diante das graves irregularidades constatadas, o relator, conselheiro Raimundo Moreira, votou pela rejeição e determinou a formulação de representação ao Ministério Público Estadual contra o prefeito para que sejam apurados indícios de prática de ato de improbidade administrativa. A relatoria aplicou uma multa no valor de R$20 mil por falhas e irregularidades nos procedimentos administrativos e outra de R$36 mil, correspondente a 30% dos subsídios anuais do prefeito, em virtude do desrespeito aos limites de despesa com pessoal estabelecido na Lei de Responsabilidade Fiscal. Também foi determinado o ressarcimento aos cofres municipais da quantia de R$52.952,34, com recursos pessoais, pelo pagamento em duplicidade no valor de R$16.012,34; ausência de justificativa para o pagamento de diárias no valor de R$28.940,00 e a remuneração a maior para secretário municipal no total de R$8.000,00. A análise das contas evidenciou que o gestor é reincidente na prática de graves irregularidades, como a ausência de prestação voluntária das contas anuais; não colocação das contas anuais em disponibilidade pública; extrapolação continuada do limite de despesa com pessoal – que alcançou 65,33% da receita corrente líquida do município – e o não recolhimento de multas e ressarcimentos da sua responsabilidade.

COMPARTILHE

Gongogi: MPF denuncia prefeito e tesoureira por desvio de verbas

007

O Ministério Público Federal (MPF) ofereceu denúncia contra o prefeito de Gongogi, Altamirando de Jesus Santos, e da tesoureira do município, Ilka Juliana Gualberto Nascimento, por desvio de verbas de mais de R$ 100 mil de recursos do Fundo Nacional do Desenvolvimento da Educação (FNDE). O recurso foi recebido pelo município para a construção de uma creche no valor de aproximadamente R$ 1,2 milhão, por meio de termo de compromisso. Em setembro de 2011, o FNDE repassou mais de R$ 250 mil para a conta do município. Todavia, em março de 2012, o prefeito transferiu cerca de R$ 100 mil da conta do convênio para o Fundo de Participação dos Municípios (FPM). No mesmo dia, com auxílio da tesoureira municipal, foram efetuados três saques do FPM equivalentes ao mesmo valor transferido da conta do convênio. Segundo declarações de testemunha, a tesoureira fez os saques e entregou o dinheiro ao prefeito. Ambos os denunciados confirmaram as informações. Para justificar os saques, o prefeito alegou que as verbas foram utilizadas para pagamentos de serviços de terraplanagem e na construção de muro de contenção no local em que seria construída a creche. Altamirando declarou ainda que, ao ser informado da irregularidade no uso da verba, promoveu a restituição do valor à conta do convênio, mediante três depósitos. Concedeu-se prazo de dez dias para o prefeito comprovar as alegações. Contudo, não se apresentou nenhum documento que comprovasse as despesas, tampouco os comprovantes de depósito. A denúncia aguarda recebimento pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1). A pena para o crime varia de dois a doze anos de reclusão.

COMPARTILHE

Gongogi: Acusado de pedaladas fiscais, Sapão pode ser afastado pela câmara

003

O prefeito Sapão (PDT), da cidade de Gongogi, pode ser afastado a qualquer momento do cargo pela Câmara Municipal de Vereadores. Segundo informações de alguns vereadores, um dos fatores que eles vão utilizar para afastar o prefeito é a abertura de credito suplementar sem autorização do legislativo no exercício de 2013 (pedaladas fiscais). Caso o afastamento seja aprovado pela câmara, Sapão ficará afastado por 90 dias para investigação. (Jackson Cristiano/Ubaitaba Urgente)

COMPARTILHE

Gongogi: PM prende dupla com meio quilo de maconha

001

A polícia Militar prendeu em flagrante por tráfico de drogas no município de Gongogi, Rubens da Silva Santos e William Jose Santos. Segundo a PM, a dupla estava de posse de meio quilo de maconha. Rubens e William foram conduzidos para a DP da cidade de Ubaitaba onde foram autuados em flagrante por tráfico de drogas. (Jackson Cristiano/Ubaitaba Urgente).

002

COMPARTILHE

Gongogi: MP investiga prefeitura por desvio de verbas; operação já foi deflagrada

002

Gongogi e mais seis cidades são investigadas pelo MP.

Uma operação para cumprir cinco mandados de prisão, 11 condução coercitiva e nova pedidos de busca e apreensão foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (4), resultado de cinco anos de investigação, que revelou um esquema de sonegação fiscal e uso de “laranjas” por um grupo formado por 12 empresas, que atuam no ramo de alimentos no sul da Bahia. A operação, chamada “Borda da Mata” atinge sete cidades: Jequié, Vitória da Conquista, Itiruçu, Salvador, Gongogi, Ibicuí e Itamari. Segundo o Ministério Público da Bahia (MP-BA), o esquema, em 24 anos, causou prejuízo ao erário em pelo menos R$ 27 milhões. Segundo matéria publicada no site Bahia Noticias, a operação foi articulada mediante força-tarefa realizada pelo Ministério Público estadual, a Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz) e a Secretaria de Segurança Pública (SSP). As investigações apontam para várias práticas criminosas cometidas pelo grupo: constituição ou compra de empresas em nome de familiares e em nome de empregados sem condições econômicas para tanto; simulações sucessivas de alterações nos contratos sociais das empresas, para modificar os quadros societários e confundir a fiscalização; realização de compras e transporte de mercadorias diversas, cujos veículos fogem da fiscalização por meio de desvios localizados próximos aos postos fiscais; indícios de blindagem patrimonial, por meio de doação de bens a familiares; e emissão de documentos fiscais em nome de empresas fictícias. A Operação contou a atuação de promotores de Justiça do Grupo de Atuação Especial de Combate à Sonegação Fiscal e a Crimes contra a Ordem Tributária (Gaesf) e da Promotoria Regional Especializada no Combate à Sonegação Fiscal de Vitória da Conquista; de servidores da Sefaz e de delegados e policiais da Delegacia de Crimes Econômicos e Contra a Administração Pública (Dececap). Leia matéria no Bahia Noticias.

COMPARTILHE

Em Gongogi, PR oficializa Kaçulo como candidato a prefeito, com Luiz de Tapirama na vice

IMG-20160803-WA0020

A candidatura Kaçulo à prefeitura de Gongogi foi homologada no último domingo (31) na convenção municipal do PR, realizada na Câmara Municipal de Vereadores de Gongogi. No evento, foi confirmado o nome escolhido para vice na chapa, Luiz de Tapirama.

IMG-20160801-WA0184

No mesmo local, foram realizadas as convenções municipais do próprio PR, PC do B, DEM e PRB. As siglas anunciaram apoio à candidatura de Kaçulo e vão compor a coligação “Gongogi em boas mãos”. Centenas de pessoas compareceram ao evento. (Jackson Cristiano/Ubaitaba Urgente).

IMG-20160801-WA0187

COMPARTILHE

Gongogi: Convenção que irá homologar candidatura de Kaçulo acontece neste domingo (31)

convenção 02

A expectativa é que uma grande multidão compareça ao evento.

O PR realizará neste domingo, dia 31, as 14hs a convenção que irá homologar a candidatura de Kaçulo a prefeito de Gongogi. O evento que terá casa cheia acontecerá na Câmara Municipal de Vereadores. A expectativa é que uma grande multidão compareça ao evento, já que o atual prefeito Sapão (PDT), apresentou a população uma chapa derrotada e sem nenhuma expressão política na cidade. A chapa apresentada em Gongogi pelo atual prefeito é a professora e atual vice Joana, tendo na vice a ex-tesoureira Michele. Kaçulo vem pontuando muito bem nas pesquisas recentes que foram realizadas no município. (Jackson Cristiano/Ubaitaba Urgente).

COMPARTILHE

Gongogi: Inácio do Hospital lança pré-candidatura a vereador

IMG-20160616-WA0052_resized

O pré-candidato a vereador Inácio do Hospital está colocando seu nome à disposição novamente da população de Gongogi. Inácio do Hospital é bastante popular e pretende representar o povo na Câmara municipal. Inácio exerce a função de motorista do hospital de Gongogi há nove anos, e está sempre em contato como o povo carente. Através desse trabalho, Inácio tem acompanhado de perto as principais necessidades das famílias carentes em diversos bairros da cidade. “Nossa pré-candidatura não foi uma decisão minha, foi uma decisão da minha família, dos meus amigos, dos meus aliados e lideranças dos mais diversos segmentos que nos acompanham. Eu aceitei o desafio e vamos para cima”, disse Inácio do Hospital ao UBAITABA URGENTE. Nas últimas eleições municipais, Inácio perdeu por apenas 23 votos. (Jackson Cristiano/Ubaitaba Urgente)

COMPARTILHE

Gongogi: Prefeito “Sapão” vai responder por improbidade administrativa

sapao1

Prefeito Sapão é acusado de não implantar Portal da Transparência.

O prefeito da cidade de Gongogi, Sapão (PDT), vai responder por improbidade administrativa por não implantar o portal da transparência, para divulgar informações de sua gestão. Pela irregularidade, os procuradores da República Márcio Albuquerque de Castro e Flávio Pereira da Costa Matias recomendaram que a União suspenda as transferências de recursos a para a prefeitura de Gongogi até que haja a efetiva implementação do referido portal. No total, o MPF em Irecê, em Jequié e em Paulo Afonso ajuizaram desde o início de junho um total de 85 ações civis públicas contra municípios baianos para que regularizem a divulgação de informações nos respectivos portais da transparência. Segundo o Bahia Noticias, o MPF requer multa diária de R$10 mil em caso de as administrações municipais não corrigirem as irregularidades. Segundo o MPF, as ações resultam da segunda etapa de monitoramento do projeto nacional Ranking da Transparência que avalia o cumprimento, por governos estaduais e prefeituras, de normas quanto à publicidade de informações de gastos públicos e disponibilização de canal para pedidos de informação por meio dos sites oficiais ou portais de transparência. Entre os municípios que devem responder as ações estão às cidades de Ubatã e Ipiaú. (Jackson Cristiano/Ubaitaba Urgente)

COMPARTILHE

Gongogi: Familiares culpam “secretário de saúde” por morte de criança recém-nascida

IMG-20160614-WA0022_resized

O Secretário Municipal de Saúde da cidade de Gongogi, Vitor Morais, está sendo acusado de omissão de socorro por parte da família de uma criança que faleceu no dia 31 de maio no hospital Manoel Novais em Itabuna. Na manhã desta terça feira (14), a mãe da criança, Fernanda Evangelista dos Santos Santana, acompanhada pela a avó, Joanice Evangelista dos Santos Santana procuraram a redação do site UBAITABA URGENTE para denunciar o caso. Segundo denuncia feita no MP, Vitor Morais, negou liberar para a família da recém-nascida, Isah Evangelista dos Santos Matos, com 45 dias de nascida, uma ambulância da prefeitura para socorrer a criança até o hospital de Itabuna, já que o bebê estava com dificuldades para respirar e tinha acordado com palidez, vomitando muito e com a boca roxa. A mãe da criança conta que no dia anterior a menina foi levada ao hospital da cidade de Ubatã e diagnosticada com uma infecção no pulmão pelo médico Dr. Jonathas, já que o hospital de Gongogi vem faltando médico com frequência. Após o não do secretário de saúde em liberar a ambulância, Fernanda e sua mãe dona Joanice, foram com a criançinha até a sala de Vitor Morais para tentar sensibiliza-lo e ele foi taxativo e respondeu: “Eu deixei bem claro que a ambulância só sai daqui com autorização de um médico”.

Scan

A Família da criança procurou o MP em Ubaitaba

No momento o hospital de Gongogi estava sem médico plantonista. Foi ai que a mãe e a avo da menininha foram à prefeitura falar com a secretária Michele para tentar convencer o secretário de Saúde a líber a ambulância. Após duas horas de negociações a ambulância foi autorizada a levar a criança para Itabuna. Dona Joanice conta que 15 minutos após o bebê dar entrada na emergência no hospital Manoel Novais, foi a óbito.

003

Vitor Morais l Foro: Facebook

Em contato com o radialista Jackson Cristiano, por telefone, Vitor Morais disse que vai se manifestar após ouvir a entrevista feita pela familia na Ubaitaba FM e logo em seguida emitir uma nota com sua versão. (Jackson Cristiano/Ubaitaba Urgente).

Ouça entrevista com a família da criança:

COMPARTILHE

Gongogi: Acusado de estuprar filha de sua namorada é preso

gongogi

Operação conjunta realizada por volta das 21h desta terça-feira (07), em Gongogi, entre a Polícia Civil, sob a coordenação do delegado Adelino Loyola, e o 5° Pelotão da Polícia Militar, prendeu, em flagrante, Gilvan Boaventura dos Santos (38), mais conhecido como Kinho, acusado de abusar sexualmente da filha de sua namorada, uma menor de 12 anos. A menor foi ouvida pela Polícia e teria confirmado o estupro, fato também ratificado por testemunhas. Gilvan foi autuado em flagrante pelo crime de estupro de vulnerável e foi conduzido à Delegacia Territorial de Ubatã, onde permanece custodiado. Em tempo, este é o segundo caso de estupro de vulnerável registrado em Gongogi em menos de 10 dias. (Ubatã Notícias).

COMPARTILHE

Gongogi: Polícia prende idoso acusado de estuprar sobrinha de 12 anos

Elias Tibúrcio foi preso na zona rural (Foto: Divulgação)

Elias Tibúrcio foi preso na zona rural (Foto: Divulgação)

A Polícia Civil, sob a coordenação do delegado Adelino Loyola, em operação conjunta com o 5º Pelotão da Polícia Militar de Gongogi, prendeu, por volta das 14h:30min, na Fazenda Esperança, região rural gongogiense, o idoso Elias Tibúrcio dos Santos, de 84 anos, suspeito de abusar sexualmente de sua sobrinha, uma menor de apenas 12 anos. A prisão ocorreu em cumprimento a um mandado de prisão preventiva expedito pelo Juiz Renato Alves Cavichiolo, da Comarca de Ubaitaba. A denúncia contra o idoso partiu da própria vítima e também dos familiares. Segundo apuração da Polícia Civil, a menor era estuprada pelo idoso desde os 09 anos de idade. O suspeito, que está custodiado na Delegacia Territorial de Ubatã, responderá pelo crime de estupro de vulnerável. *Com informações do Ubatã Notícias

COMPARTILHE

Banco do Brasil de Gongogi é acionado pelo MPF por ‘conivência’ com desvio de recursos

sapoook

Em ação contra o atual prefeito de Gongogi, Altamirando Santos, e a ex-tesoureira, Ilka Nascimento, referente a desvio de verba pública e ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPF) em Jequié, o Banco do Brasil aparece como réu no processo, de forma inédita. Altamirando e Ilka são acusados pelo desvio de R$100 mil destinados à construção de uma creche (Proinfância), em 2012, mesmo ano em que o chefe do Executivo municipal foi reeleito. A instituição financeira é responsabilizada por permitir a transferência ilegal da quantia para a conta do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), da qual o valor foi retirado em três saques no mesmo dia. A movimentação dos recursos só poderia ocorrer com a identificação do responsável pela execução da obra, em cuja conta deveriam ser depositados. “Sem a conivência do Banco do Brasil, o desvio e apropriação dos recursos públicos no caso não teriam se concretizado”, avalia o MPF. A ação foi recebida pela Justiça Federal em março deste ano, mas solicitou o bloqueio de bens do prefeito e da ex-tesoureira desde abril do ano passado, além do pagamento de multa civil correspondente ao triplo do dano (R$ 391,230 mil). Os recursos desviados foram repassados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, por meio de um convênio firmado com o município em 2011, mas a construção da creche nunca foi concretizada. *Do Bahia Notícias

COMPARTILHE

Gongogi: Prefeito Sapão tem contas rejeitas pelo TCM-BA e terá que devolver R$ 1,6 milhão de reais

001

O Tribunal de Contas dos Municípios, na última quarta-feira (25), votou pela rejeição das contas do prefeito de Gongogi, Altamirando de Jesus Santos, mais conhecido como ‘Sapão’, relativas ao exercício de 2013, e determinou a formulação de representação ao Ministério Público Estadual, em razão das irregularidades verificadas. A Câmara de Vereadores não recebeu a contas da Prefeitura Municipal para apreciação pública e encaminhou voluntariamente ao TCM que obrigou a corte a designar auditores para a tomada de contas compulsória. Vale destacar que desde 2009 o prefeito ‘Sapão’ teve todas as suas contas rejeitadas pelo TCM por conta das irregularidades. O prefeito de Gongogi também será denunciado por crimes de improbidade administrativa. O tribunal aplicou multa de R$47.396,00 pelas falhas contidas no relatório técnico e determinou o ressarcimento aos cofres municipais da quantia de R$1.628.364,96, com recursos pessoais, em razão da saída de recursos das contas bancárias municipais sem comprovação da despesa e ausência de notas fiscais e processos de pagamentos. Pesam contra o prefeito irregularidades como abertura de crédito adicional suplementar sem prévia autorização legislativa, descumprimento dos índices mínimos de investimento em educação (23,67%), saúde (10,88%) e remuneração dos profissionais do magistério com recursos do Fundeb em percentual abaixo do mínimo exigido (63,99%) e não recolhimento de multas e ressarcimentos impostos pelo próprio TCM. (Alessandro Granda/Ubaitaba Urgente).

COMPARTILHE

Gongogi: Prefeito “Sapão” demite servidores concursados e revolta população

servidores_gongogi

O prefeito de Gongogi, Altamirando Santos (PDT), mais conhecido como “Sapão” vem despencando nos índices de popularidade devido a ações que vem desagradando o cidadão do município. Demonstrando total arbitrariedade o prefeito “Sapão” acaba de demitir 10 agentes comunitários de saúde e endemias devidamente concursados a mais de uma década. Apesar dos servidores públicos terem sido aprovados em concurso público realizado pelo governo do estado, a alegação é que não são reconhecidos como concursados. Cabe destacar que já tramita um processo na justiça de Ubaitaba onde pede para o juiz reconhecer o concurso, porém a prefeitura municipal já publicou edital para realização de novo concurso para repor as vagas dos servidores demitidos.

sapão_gongogi_jackson_cristiano_www.ubaitabaurgente.com_.br_-236x320

Sapão (PDT).

Os demitidos compareceram na noite desta terça-feira (26/04) na sessão da Câmara dos Vereadores no sentido de pedir ajuda para ter o seu direito respeitado, porém apenas quatro parlamentares estiveram presentes: Beto do sopão, Adriana Mendonça, Edvaldo Ribeiro e Nego. Nenhum vereador que compõem a base do prefeito estive presente. A estabilidade é um direito constitucional do servidor público que lhe garante a permanência no serviço público. O servidor público estável só perderá o cargo em virtude de sentença judicial transitada em julgado ou mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada ampla defesa, conforme artigo 41 da Constituição. (Alessandro Granda / Ubaitaba Urgente).

COMPARTILHE

Gongogi: Prefeito Sapão poderá apoiar “primeira- ministra” como pré-candidata a prefeita

IMG-20160327-WA0076_resized

Michele Santos.

O prefeito de Gongogi, Altamirando Santos (PDT), mais conhecido como Sapão, poderá apoiar a atual Secretária Municipal de Administração e Finança, Michele Santos, como pré-candidata a prefeita de Gongogi. Caso se confirme esse apoio será uma grande surpresa para a vice-prefeita, conhecida como Professora Joana, que há muito tempo almeja ser a candidata de preferência de Sapão. Com status de primeira ministra nos bastidores da política de Gongogi, Michele Santos não conquistou a simpatia na gestão municipal e principalmente dos vereadores e lideranças da oposição. Conhecida por sua gestão no mais belo estilo “mão de ferro”, Michele é acusada por alguns vereadores de rápido enriquecimento no município e não ser nada amistosa para quem precisa dela na prefeitura. Durante uma recente sessão na Câmara Municipal foi realizada uma série de denúncias de vereadores da oposição de supostas irregularidades cometidas pela Secretária Municipal de Administração e Finança, Michele Santos. (Ubaitaba Urgente).

Ouça áudio da sessão da Câmara Municipal:

Atenção! Voltaremos ao assunto em breve!!

COMPARTILHE

Gongogi: MPF acusa Sapão de desviar R$ 130 mil da educação, enquanto isso população fica sem creche

Construção está parada desde 2012.

Enquanto os homens públicos, eleitos para cuidar dos interesses do município, são motivo de investigações, a população sofre com a morosidade de obras públicas que não saem do papel. Esse é o caso da construção de uma creche que se encontra literalmente parada em Gongogi, cidade que fica situada a 75 quilômetros de Ubaitaba. Tudo começou quando o prefeito reeleito, Altamirando de Jesus, mais conhecido como “Sapão” e a ex-tesoureira, Ilka Juliana Gualberto Nascimento foram citados pelo Ministério Público Federal (MPF), em Jequié que moveu uma ação de improbidade administrativa, por suposto desvio de verbas destinados para educação em, em 2012. 

Cabe destacar que a pedido do próprio MPF, em abril do ano passado o gestor e a tesoureira do município tiveram mais de meio milhão de reais em bens bloqueados (R$521.640 mil), pela Justiça Federal, suspeitos por desvios de recursos em favor do prefeito R$130,410 mil, em valores atualizados, que deveriam ter sido utilizados na construção de uma creche. “A conclusão a que se chega é que os demandados, mediantes sucessivos expedientes realizados com a finalidade de não deixar rastro do desvio de dinheiro público, apropriaram-se de R$100.150,22 destinados à construção de uma creche, enriquecendo ilicitamente à custa de recursos voltados à Educação”, afirmou o MPF na ação. O prefeito e a ex-tesoureira estão sujeitos às penas previstas na Lei de Improbidade administrativa, que incluem a perda da função pública e dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio; ressarcimento ao erário; suspensão dos direitos políticos; pagamento de multa civil; proibição de contratar com o poder público e dele receber benefícios e incentivos ficais e creditícios. Enquanto isso a população carente sofre com a falta da creche no município. (Alessandro Granda / Ubaitaba Urgente)

COMPARTILHE

Gongogi: Moradores reclamam da ausência do Prefeito “Sapão” na cidade

sapão_gongogi_jackson_cristiano_www.ubaitabaurgente.com.br

Prefeito não é visto na prefeitura de Gongogi.

A administração do prefeito Altmairando de Jesus, mais conhecido como “Sapão”, vem recebendo duras críticas pela população de Gongogi, cidade que está localizada a 75 quilômetros da cidade de Ubaitaba. Um dos questionamentos feitos pelos moradores é a constante ausência do gestor no município. Apesar de estar em seu segundo mandato a rejeição popular está crescendo consideravelmente. É comum ouvir reclamações do cidadão gongogiense sobre a dificuldade de conversar com o prefeito, que raramente é encontrado na prefeitura. Além disso, o gestor municipal não frequenta as festas populares e também não aparece nos eventos públicos. Nos bastidores o que se comenta é que impera a lei da mordaça e os servidores públicos são proibidos de se comunicar com lideranças que façam oposição ao seu governo. Para completar o cenário o que circula entre os moradores é que a Secretária de Administração e Finanças, Michele dos Santos, é quem manda na cidade. (Ubaitaba Urgente).

COMPARTILHE

Gongogi: Prefeitura esclarece ausência de coveiro no cemitério

0016

Sapão, prefeito de Gongogi l Foto: Ubaitaba Urgente.

A Secretaria de Obras e Urbanismo do Município de Gongogi, através de seu Secretário, Givaldo dos Santos, vem esclarecer o fato noticiado por este “Blog” em 14 de dezembro de 2015, em matéria intitulada: Gongogi: Família enterra parente por falta de coveiro no cemitério. O lamentável fato ocorreu em virtude da família do “de cujus” não ter comunicado aos coveiros municipais o horário do sepultamento, tendo os referidos funcionários públicos municipais, na mesma data, realizado outros dois enterros. Contudo, ciente da ocorrência de três óbitos naquele mesmo dia no Município os coveiros providenciaram a abertura de todas as covas. Todavia como a família do último de falecido não comunicou a hora do sepultamento, os funcionários retiraram-se do cemitério para almoço retornando com brevidade quando infelizmente a família do “de cujus” já havia baixado o caixão e coberto a cova. A Secretaria de Obras e urbanismo de Gongogi aproveita, ainda, esta oportunidade para informar que mantém a disposição dos munícipes dois coveiros contratados e pede aos familiares que sempre informem com antecedência o horário em que desejam sepultar seus entes. 

COMPARTILHE

Gongogi: Família enterra parente por falta de coveiro no cemitério

001

Uma família do município de Gongogi, no Sul da Bahia, teve que realizar por conta própria o sepultamento de um parente, no cemitério da cidade, neste domingo (13). Segundo informações dos familiares, o coveiro não compareceu ao trabalho. De acordo com o site Notícias de Ipiaú, parentes e amigos foram ao cemitério, munidos de pás e enxadas. Além dos familiares estava o vereador Alberto Leite Santos (PCdoB). Todos ajudaram a abrir a cova para o sepultamento. “Tivemos que fazer o sepultamento. Nunca pensei que um dia teríamos que passar por isso. Gongogi está abandonada pelas autoridades.”, desabafou um familiar. O prefeito de Gongogi, Altamirando de Jesus Santos, ainda não tinha procurado a família para se desculpar pelo ocorrido.

COMPARTILHE

Gongogi: prefeito da cidade será interrogado por juiz criminal

001

O desembargador Jefferson Alves de Assis determinou uma Carta de Ordem para que o Juiz criminal competente da Comarca de Ubaitaba faça o interrogatório do prefeito de Gongogi, Altamirando Santos (PDT). De acordo com o site Políticos do Sul da Bahia, o desembargador também notificou a prefeitura para apresentar o processo de pagamento nº. 2263/2010, sob pena de busca e apreensão. O gestor é réu em uma ação Improbidade Administrativa e por ser prefeito, tem foro privilegiado e é julgado pelo Tribunal de Justiça. (Bocão).

COMPARTILHE

Gongogi: Coelba “corta energia” de duas escolas em Nova Palma

gg-e1440627801998

Prefeito Sapão (PDT).

Na última quinta-feira (15/10) por volta das 17hs o povoado de Nova Palma foi visitado pela equipe da Coelba onde coincidentemente a energia de duas escolas e do InforCentro foram interrompidas. Tudo indica que a energia elétrica das referidas escolas foram interrompidas por falta de pagamento por parte do governo do prefeito Sapão (PDT), que nos últimos tempos tem sofrido um grande desgaste. No município são poucas as coisas que funcionam como deveriam funcionar. Segundo o site do Jornal Tribuna da Região, recentemente o prefeito Sapão foi acusado de autorizar a implantação de uma torre para transmissão do sinal da telefonia móvel da Claro, em um local impróprio. A decisão do prefeito gerou polêmica na cidade já que ele não comunicou tal decisão à Câmara de Vereadores. De acordo com o vereador Betão do Sopão (PC do B), a Câmara pretende entrar com representação na Justiça para mudar o local onde está sendo implantada a torre. Ele alega que o lugar escolhido pelo prefeito é impróprio, pois cuja área é destinada à construção da feira livre, conforme convênio público.  Também o local é utilizado pelos jovens para prática de Fut-Volei. “Não queremos impedir o progresso, o município dispõe de outros locais apropriados” ressaltou o vereador. Já  o atleta Neto,  disse que o prefeito não tem  respeito pelos desportistas local. ” A única quadra que a gente tem ele quer destruir” finalizou.

COMPARTILHE

Gongogi: Prefeito e ex-tesoureira são acionados por desvio de verba da educação

26034-2

O prefeito de Gongogi, no sudoeste baiano, e a ex-tesoureira da prefeitura são acionados pelo Ministério Público Federal (MPF) em Jequié/BA por improbidade administrativa. Altamirando de Jesus Santos (PDT), o conhecido como “Sapão”, que se reelegeu prefeito em 2012, e a ex-tesoureira, Ilka Juliana Gualberto Nascimento, são acusados de desvio de recursos da Educação, em 2012. Em abril, a Justiça Federal bloqueou os bens dos gestores na ordem de R$ 521,6 mil por desviarem em proveito do prefeito R$130,410 mil, em valores atualizados, que deveriam ter sido utilizados na construção de uma creche, até hoje não concluída. Além deles, a agência do Banco do Brasil de Ubatã também responderá judicialmente por ter contribuído com o ato de improbidade. Na ação cautelar de bloqueio de bens, a Justiça Federal incluiu na indisponibilidade o valor da multa civil – de três vezes o valor do dano (R$391.230 mil). A creche deveria ter sido construída com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) por meio de um convênio firmado com o município em 2011. Ainda segundo o MPF, dos R$255,3 mil repassados pelo FNDE para a conta do convênio, R$100,125 mil foram transferidos ilegalmente para a conta do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e, a partir dela, retirados pelo prefeito e pela tesoureira em três saques em espécie, todos efetuados no mesmo dia (26.03.2012): R$17,4 mil; 49,5 mil e 33,2 mil. O prefeito e a ex-tesoureira estão sujeitos às penas previstas na Lei de Improbidade Administrativa, que incluem a perda da função pública e dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio; ressarcimento ao erário; suspensão dos direitos políticos; pagamento de multa civil; proibição de contratar com o poder público e dele receber benefícios e incentivos ficais e creditícios. Vale lembrar que o mesmo prefeito foi reconduzido ao executivo da cidade por uma liminar depois de ter sido cassado por abuso de poder econômico. (Bahia Noticias).

COMPARTILHE

Assista: Ambulância com “porta amarrada” é flagrada fazendo ultrapassagem em local proibido na BR 101

IMG_5606

Uma ambulância da Prefeitura de “Gongogi” foi flagrada em condições precárias e transportando um paciente para Itabuna, nesta quinta-feira (13/08). O veículo é o único disponibilizado para fazer o transporte de pessoas com baixa e média gravidade até os hospitais de Itabuna. Porém, para conseguir fechar a porta, por exemplo, o motorista precisou amarrá-la com um pedaço de corda. Leitores do UBAITABA URGENTE flagraram ainda o veículo fazendo ultrapassagem em local proibido. Durante toda a tarde a redação do site tentou contato com a prefeitura do município, mas não conseguiu falar com nenhum funcionário (Ubaitaba Urgente).

COMPARTILHE