Dono de tradicional reduto do samba no RJ morre no sábado de Carnaval

Foto: Divulgação

Morreu na tarde deste sábado (2/3), aos 75 anos, Alfredo Jacinto Melo, o Alfredinho. Ele era dono de um dos mais tradicionais redutos do samba no Rio de Janeiro, o Bip Bip. Alfredinho faleceu em casa, em Copacabana. Não foram divulgadas as causas da morte nem informações sobre o sepultamento, que deve ser realizado neste domingo (3). O Bip Bip surgiu em 13 de dezembro de 1968, mesma data da decretação do Ato Institucional nº 5, o AI-5, que intensificou a repressão no período militar. Alfredinho frequentava o local desde a inauguração, mas se tornou dono em 1984.

O bar, de apenas 18 metros quadrados, fica Rua Almirante Gonçalves, em Copacabana, Zona Sul do Rio. No local, Alfredinho promovia desde que assumiu a administração rodas de samba que contam com a participação de artistas consagrados do país, estrelas do samba e pagode, cantores das agremiações carnavalescas cariocas, atores, celebridades e estudantes. A maioria dos frequentadores é alinhada politicamente com a esquerda.

Para não incomodar a vizinhança, Alfredinho pedia aos convidados para estalarem os dedos, em vez de aplaudir ao fim de cada música. O atendimento também é informal: cada um pega a cerveja na geladeira e o dono anotava tudo. Mesmo quem passa a noite na rua, antes de ir embora vai ao balcão e acerta sua conta. Na noite deste sábado de Carnaval, os amigos celebração a vida de Alfredinho com homenagens nos 18 metros quadrados do Bip Bip e no meio da rua, como era comum nas noites de samba da Almirante Gonçalves. Informações do Metropoles

Comente pelo Facebook
COMPARTILHE