Assessor de Feliciano vai acompanhar caso de pastor morto em Feira de Santana
foto pasto mario sales(1)

O Pastor Mário Sales pode ter sido executado pela policia.

O chefe de gabinete do deputado federal e pastor Marco Feliciano, Talma Bauer, veio a Feira de Santana para acompanhar as investigações da morte do pastor Gilmário Sales, morto durante uma operação policial no município. O pastor é acusado de fazer parte de uma quadrilha de roubo de carros. Em nota, o deputado e presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Deputados, Marco Feliciano, informa que o caso também será apurado pela comissão. A nota diz ainda que existem “muitas discrepâncias no caso e um forte indício de execução por parte da polícia local”, mas que é preciso aguardar o esclarecimento do caso para se ter uma opinião. O assessor foi delegado de polícia por anos. Já em Feira, ele se reuniu nesta segunda-feira (21) com o delegado Ricardo Brito, coordenador de Polícia do Interior (1ª Coorpin). “Viemos colaborar com as autoridades na apuração do caso. Muita coisa estranha, no sentido do envolvimento de quem estava nos carros. Eu já sabia que ele estava no carro e nada me surpreendeu. A polícia está apurando com rigor e isenção, e viemos saber o que consta nos autos, a declaração da mãe e de parentes das outras vítimas”, explicou Bauer ao “Acorda Cidade”. “O fato de ele ser evangélico foi uma simples coincidência. Antes de vir para cá, apuramos a reputação dele em São Paulo e em Brasília. Ele é um pregador conhecido nacionalmente”, disse Bauer ao site. (Bocão News).

COMPARTILHE