Bahia: Geddel fica mudo e evita “ti-ti-ti” sobre candidatura de Souto

340x255_1348026

A ausência na inauguração do Plano Inclinado Gonçalves foi justificada. Este é o argumento de Geddel Vieira Lima (PMDB), que, afônico, evitou comentar as declarações de que Paulo Souto aceitou ser candidato ao governo da Bahia em 2014. “Não tenho nada a declarar. Esse assunto está sob a condução do prefeito ACM Neto e não é o momento para falar. Na hora certa, eu falarei”, afirmou o peemedebista. Segundo ele, não faz parte do perfil político dele “alimentar ‘ti-ti-ti'”. A reação veio após o bombardeio da imprensa, que busca informações sobre a construção da aliança entre PMDB, PSDB e DEM. Num primeiro momento, quando a discussão sobre as eleições 2014 ainda eram incipientes, Geddel chegou a apontar que renunciaria à pré-candidatura caso Souto aceitasse a postulação. Ao longo do processo, entretanto, o discurso mudou, e, nos últimos meses, a postura de aguardar uma definição do ex-governador foi abandonada. Geddel, até então, nunca aceitou tentar outro cargo senão o Palácio de Ondina. (Fernando Duarte I A Tarde).

COMPARTILHE