DELITOS COMETIDOS POR MOTOQUEIROS CRIMINOSOS ASSUSTA BAIANOS

O cobrador de kombi Rogério dos Santos foi executado ontem na Liberdade por dois homens numa moto. Ele foi a última vítima dos motocidas em Salvador

Bairros nobres, periféricos, centro. Nada tem escapado da ação de bandidos a bordo de motos. Só em julho, dez crimes com baleados ou mortos foram registrados em Salvador e Região Metropolitana, entre latrocínios, homicídios e tentativas de homicídio.

Na madrugada de ontem, mais uma vítima dos  motocidas na Liberdade. O cobrador de kombi Rogério Santana dos Santos, 24 anos, foi morto a tiros por dois homens numa moto. Eles fugiram em disparada. Segundo testemunhas, ele teria sido morto por traficantes da região, num “acerto de contas”. O caso está sendo investigados por policiais do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Rogério bebia com amigos, no Largo do Tanque, e retirava a cerveja de um isopor instalado em um ponto de ônibus. Após tomar três latinhas, um desconhecido se aproximou e iniciaram uma discussão. Ele seguiu a pé para a casa da avó, na Rua Santo Antônio, e foi seguido por dois homens numa moto. Rogério acelerou o passo, mas foi alcançado e baleado quatro vezes na cabeça.

Vizinhos disseram que a vítima era usuária de drogas e que já havia sido alvo de traficantes duas vezes. Há seis meses, Rogério teve a vida poupada, mas não deixou de ser punido por  dois homens, que lhe deixaram duas cicatrizes: uma no rosto e outra nas costas. Na ocasião, os bandidos usaram um estilete. Três meses depois, ele foi baleado na boca no mesmo bairro.

Os números específicos de delitos sobre duas rodas não são contabilizados pela Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP) com esse recorte, mas a alarmante quantidade de crimes cometidos por motociclistas, em julho, assusta.

Precariedade
Na terça, o músico Paulo César Perrone foi baleado na cabeça por dois homens em uma moto, e agora segue em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do HGE. Na tarde de ontem, dois suspeitos de terem cometido a suposta saidinha bancária.

Na semana passada, a enfermeira Priscila Ferraz, 24 anos,  também foi abordada por dois homens numa moto, na entrada do Shopping Barra. Ela havia sacado R$ 5,6 mil em uma agência da Caixa Econômica, dentro do campus da Ufba, em Ondina, e foi seguida até o local.

No domingo, Alisson Araújo Nascimento, 19 anos, foi baleado no braço por motocidas quando andava de bicicleta nas proximidades do Salvador Shopping. Ele não reagiu ao assalto, mas foi baleado na fuga dos bandidos. No dia 7, o corretor de imóveis Carlos Antonio Vasconcelos Moreira, 34 anos, foi morto na porta de casa, na Barra.

As facilidades do uso da moto para fugas, aliada à dificuldade de reconhecimento dos criminosos devido ao uso do capacete, estão entre as razões pelas quais grande parte desses crimes continuam sem solução.

Diante da visível evolução da situação, a Polícia Militar tem se mobilizado no combate preventivo dos motocidas. “Estamos treinando a destreza dos policiais em motocicletas, focando especialmente em situações de  perseguição”, disse o comandante do Esquadrão Águia, major Paulo Coutinho. “Estamos começando a formar, com outras unidades, uma espécie de cinturão de segurança para esse crime”.

Para o presidente da Associação dos Motociclistas do Estado da Bahia (AMO-BA), Ruiter Franco, o uso do veículo para o crime acontece, mas não deve ser atrelada ao motociclista. “Pessoas que não têm relação com isso são afetadas até pelo comportamento defensivo dos motoristas e da polícia. O que falta é fiscalização adequada pra coibir abusos com motos”.

DEZ CRIMES SOBRE DUAS RODAS

Crimes em motos
1 Cobrador executado
 Na madrugada de ontem, o cobrador Rogério Santana dos Santos, 24 anos, foi executado com quatro tiros por dois motocidas. A polícia suspeita de envolvimento com o tráfico de drogas, mas ainda não tem pista dos criminosos.

2 Empresário em Feira  O empresário Alci Marques Mascarenhas foi morto na varanda de casa, em Feira de Santana, na manhã de quarta-feira, por dois homens que chegaram à porta da residência e o chamaram. A polícia suspeita que ele tenha sido executado por moradores do bairro.

3 Músico baleado  Na tarde de terça-feita, o baterista da banda Estakazero, Paulo César Perrone, foi atingido com um tiro na cabeça, dentro do carro, no Caminho das Árvores. Ontem, a polícia de Portão, em Lauro de Freitas, prendeu dois suspeitos do crime.

4 Enfermeira  assaltada  A vida da enfermeira Priscila Ferraz, 24 anos, foi salva por uma falha no gatilho do homem que estava na garupa da moto. Ela foi assaltada na   entrada do Shopping Barra, no dia 14 de julho, quando havia acabado de sacar R$ 5,6 mil.

5 Corretor morto na Barra   O corretor de imóveis Carlos Antonio Moreira, 34 anos, foi executado a tiros em frente ao prédio onde morava, na Barra, por dois motocidas. A vítima respondia a processos por tráfico de drogas e era envolvida com estelionato, segundo a polícia.

Blitz  prioriza motociclistas
Ontem pela manhã, policiais da 14ª Companhia fecharam o cerco no Subúrbio – uma das regiões mais violentas de Salvador. Entre as 10h e 11h30, PMs realizaram uma blitz na Baixa do Fiscal, principal acesso à região. A operação priorizou a abordagem de motociclistas, devido ao índice de crimes cometidos sobre duas rodas. Não houve prisão.

Todos os condutores, abordados aleatoriamente, foram obrigados a retirar os capacetes, saírem das motos e, em seguida, submetidos a uma revista pessoal. “As buscas são importantes para detectar se há transporte de arma ou entorpecentes”, declarou um tenente responsável pela operação.

Segundo o capitão Marcelo Pitta, durante uma abordagem é importante que os motociclistas atendam às orientações dos policiais. “Ele ditará todos os procedimentos. O correto é manter a mão sobre o guidão, em vez de mexer na mochila ou tirar o capacete, por exemplo”. Diariamente, 56 blitze são realizadas pela Polícia Militar na capital.

Topografia da cidade e trânsito  facilitam fuga de motocidas
Parentes e amigos no enterro do soldado Marcos Vinícius Santos
O crime sobre duas rodas é uma verdadeira “chaga“ das grandes cidade. A opinião é do comandante do Esquadrão Águia, Major Paulo Coutinho,  que explica: “O problema é que em Salvador a topografia e o trânsito são favoráveis ao criminoso. A quantidade de vielas e transversais faz com que a motocicleta desapareça rapidamente”, diz.

Presos suspeitos de atirar em bateristaDois homens presos ontem em flagrante, após uma tentativa de saidinha bancária, em Lauro de Freitas, são suspeitos de terem atirado contra o baterista da banda Estakazero Paulo César Perrone, 32 anos. O músico foi baleado na cabeça, no Caminho das Árvores, na tarde de terça-feira, durante uma suposta saidinha bancária.

Os ex-detentos José Hilton Santos, o Neguinho, 28 anos, e Fabrício dos Santos Lemos, 27, negaram envolvimento no atentado. “Mas as características físicas deles coincidem com as informações dadas por testemunhas. Um porteiro de um prédio no local reconheceu um dos capacetes apreendidos com a dupla, além da cicatriz no braço esquerdo de Hilton”, disse o delegado Cláudio Meirelles, da 34ª Delegacia, em Portão, onde eles estão presos.

Segundo a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), Paulo Perrone permanece na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Geral do Estado (HGE), em estado grave. Durante a operação que resultou na prisão dos suspeitos, três comparsas que davam cobertura em um Fiat Uno conseguiram fugir. De acordo com o delegado, a dupla faz parte de uma quadrilha que vinha sendo investigada há quatro meses e que tem uma média de três saidinhas bancárias por dia.

José Hilton e Fabrício foram presos em frente ao Shopping Litoral Norte, na Estrada do Coco. Eles eram monitorados por agentes da 34ª DP e, quando pretendiam abordar uma mulher que acabava de sair de uma agência bancária do shopping, foram impedidos pelos policiais.

Com eles foram apreendidos uma pistola ponto 380 e um revólver calibre 38. Na delegacia, uma outra vítima, que havia sido roubada por eles no mesmo dia, entrou em estado de choque ao deparar-se com os ladrões. Eles haviam levado R$ 4 mil dela, na avenida Luiz Tarquínio.

Ontem, o vocalista da Estakazero, Leo Macedo, falou sobre a situação do amigo. “A gente tá realmente consternado, muito triste. Perrone não merecia de forma alguma isso que aconteceu”, disse. “O estado dele ainda é muito incerto, mas temos esperança. A lesão foi grave e o fato de ele estar vivo já é um milagre”.

Com informações do IBahia

COMPARTILHE