Baleia Azul: Brasil registra casos de jogo que incentiva mutilações e suicídio

Um jogo viral macabro que tem causado preocupação em vários países do mundo parece, agora, ter chegado ao Brasil. Conhecido como “Baleia Azul” (Blue Whale, no inglês), o fenômeno desafia os adolescentes a completar diversas tarefas sinistras, como ficar doente e se auto mutilar, até chegar à etapa final: tirar a própria vida. O jogo surgiu na Rússia, de onde se espalhou rapidamente, e já foi associado a 130 casos de suicídio em todo o globo. O nome Baleia Azul é referência à uma crença popular que diz que a baleia azul seria capaz de se suicidar ao encalhar de propósito em praias. Funciona assim: ao todo, o participante precisa completar 50 desafios, sendo um por dia, que são distribuídos por um “mentor” em grupos fechados nas redes sociais. Diariamente, sempre às 4h20, o usuário recebe uma mensagem com o desafio daquele dia. Os objetivos iniciais do jogo são simples, como assistir a um filme de terror sozinho ou desenhar uma baleia numa folha, mas as tarefas ficam mais sérias e perigosas conforme mais atividades forem sendo completadas: desde subir no alto de um telhado ou edifício até tatuar uma baleia no braço com uma faca. O desafio de número 50, o último, é o suicídio. Por ter se espalhado com rapidez pela internet, autoridades de alguns países estão tomando providências para evitar que novos casos sejam registrados. Na França, Inglaterra e na Romênia, as escolas têm feito alertas às famílias de adolescentes que apareceram com cortes nos braços, queimaduras e outros sinais de mutilação pelo corpo.

COMPARTILHE