Brasil: Dilma diz que quer divulgação ‘ampla, geral e irrestrita’ do caso de corrupção na Petrobras
Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

A presidente Dilma Rousseff afirmou neste sábado (11) que defende a divulgação total de informações sobre a apuração que investiga o desvio de recursos da Petrobras. A declaração vem depois de a presidente afirmar que a oposição usa as investigações para dar um “golpe” no país. “Ou não se manipula esse processo e se abre todas as informações ou se usa com grande prejuízo da democracia brasileira esse processo”, afirmou em entrevista na cidade mineira de Contagem (Grande Belo Horizonte). O ex-diretor de Abastecimento da estatal, Paulo Roberto Costa, e o doleiro Alberto Youssef fecharam acordos de delação premiada com o Ministério Público Federal em troca de benefícios na acusação. Nos depoimentos, eles afirmaram que PT, PMDB e PP foram beneficiados com os repasses ilegais, e indicam o uso do dinheiro desviado de contratos das estatais para a campanha eleitoral de 2010. Para a presidente, há “vazamentos seletivos” com propósitos políticos eleitorais. “O que considero incorreto é que as provas e as denúncias não estão sendo encaminhados direito nessa fase. Para se divulgar, divulga-se tudo. Nós vamos ver todos os envolvidos, para que logo depois da eleição a gente não tenha surpresa de ver que denunciantes da véspera eleitoral são parte da denúncia”, afirmou Dilma. Informações da Folha. De acordo com a Justiça Federal no Paraná, que negou o “vazamento”, os depoimentos divulgados até agora se referem a apenas a uma das ações penais do caso, que tramita sem sigilo. O governo Dilma e a CPI da Petrobras, pediram ao Supremo Tribunal Federal (STF) acesso aos depoimentos de Costa, mas o ministro Teori Zavascki negou as solicitações nesta semana. Informações da Folha.

COMPARTILHE