Brasil: Mulher assassinada presenteou o marido antes de morrer, diz irmã
Barbarena confessou morte da esposa e da filha

Barbarena confessou morte da esposa e da filha

Horas antes de ser assassinada pelo marido, na madrugada de 23 de agosto no litoral do Ceará, Adriana Pessoa chegou a presenteá-lo. Marcelo Barbarena completou 37 anos no dia 22 e a família foi até a casa de veraneio em Paracuru para comemorar o aniversário. Além de matar Adriana, Marcelo também assassinou a filha Jade, de apenas oito meses. As duas foram mortas a tiros. “Ela já tinha comprado os presentes e deu no aniversário dele. Estavam assinados (os presentes) ‘Adriana, Pietra e Jade’”, disse a irmã da vítima, Ana Paula Pessoa, mostrando as sacolas para a imprensa.  Adriana comprou para o marido uma bermuda, uma blusa e uma sunga. Barbarena chegou a receber os presentes da esposa. Ele confessou a autoria do crime um dia depois, após inicialmente afirmar que a casa teria sido invadida. “Ele destruiu nossa família. Acabou com nossos sonhos”, disse Ana Paula, lamentando a morte da irmã e da sobrinha.  Ela foi ouvida na delegacia na quinta-feira. A mãe de Adriana não conseguiu depor, bastante abalada com tudo. “Ela ainda está sem reação, é muita dor misturada com indignação. Nesse momento, nós apelamos para a justiça divina e dos homens para que ele tenha a punição que merece”, diz Ana Paula. A cunhada disse que tinha pouco contato com Barbarena, mas que ele não demonstrava ser uma pessoa violenta. “Nós tínhamos contato com ele por uma relação familiar, mas nunca tivemos amizade. Ele nunca aparentou ser violento, apenas muito frio, por isso, a gente nunca imaginou que ele fosse capaz de algo tão bárbaro”, afirma. Testemunhas ouvidas esta semana disseram à delegada Socorro Portela que viram Barbarena agredindo a mulher antes do crime. “Segundo uma testemunha, o casal brigou antes de anoitecer e Marcelo chegou até a agredir Adriana. Ontem, ele confessou novamente os crimes na presença do advogado e disse que houve realmente uma discussão entre eles. O avanço que consideramos foi porque ele apresentou a mesma versão na presença do advogado”, disse a delegada.(Correio).

COMPARTILHE