Brasil: Suspeito de ebola internado no Rio de Janeiro está sem febre

{02549d31-458b-40ce-bf2b-421ddd1ac60e}_ebolaÉ considerado como estável o estado de saúde do paciente Soulaymane Bah, 47 anos, oriundo da Guiné, ele deu entrada no Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI), na Fiocruz, com suspeita de Ebola. De acordo com informações da assessoria do INI, publicadas pelo O Globo, ele apresenta temperatura corporal de 36,6 graus, não tem febre. As informações da assessoria do INI, publicadas pelo site ainda dão conta de que uma equipe de três pessoas está envolvida nos cuidados diretos com o paciente, sendo um médico, uma enfermeira e um funcionário de limpeza. Sessenta e quatro pessoas tiveram contato com o paciente em Cascavel (PR), de onde Bah foi transferido na manhã desta sexta-feira para o INI. O paciente chegou ao Brasil via Marrocos, e desembarcou no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, dia 19 de setembro. As informações foram dadas pelo ministro da Saúde, Arthur Chioro em entrevista coletiva.

Segundo O Globo, o ministro afirmou que esse é o primeiro caso suspeito de ebola no nosso país. Ele destacou que a situação está sob controle e que todos os procedimentos indicados no protocolo foram aplicados com muito êxito. Ministro Chioro ainda ressaltou que o paciente e todos que entraram em contato com ele a partir do dia 8 de outubro têm baixo risco de infecção.

Das 64 pessoas, 60 tiveram contato com o paciente no local de atendimento médico e, desses, apenas três tiveram contato direto com ele. Os outros quatro são dois casais que moravam na mesma residência de Bah. Todos serão monitorados a partir de agora nos próximos 21 dias do período de incubação do ebola: os que moravam com o paciente terão a temperatura monitorada uma vez por dia, assim como os outros 57 funcionários de saúde que tiveram algum contato. E os três médicos que entraram em contato direto terão a temperatura monitorada duas vezes por dia. Exame de sangue que vai confirmar a infecção pelo vírus já foi colhido e o resultado deve sair em até 24 horas; malária está descartada.

O Ministro da Saúde informou que o paciente saiu da Guiné em 18 de setembro, chegando ao aeroporto de Guarulhos no dia seguinte. Ele foi atendido nesta quinta-feira em uma UPA, na cidade de Cascavel, às 17h45m, relatando febre, tosse e dor de garganta iniciadas em 8 de outubro, o 20º dia após sua saída da Guiné.

Fonte: O Globo

COMPARTILHE