Manicure perde os três filhos para o tráfico; caçula foi morto na terça

RTEmagicC_Claudijane_MAN.jpg

A manicure Claudijane Miranda estava no hospital após uma cirurgia quando recebeu a notícia que o seu caçula, Renê, 18 anos, estava morto. Arrancou o tubo de soro do braço e, desesperada, foi ao encontro do corpo do rapaz na Estrada do CIA. Por volta das 17h30, homens armados invadiram a casa da família, na Rua Santa Tereza, em Águas Claras, e raptaram Renê. Junto com ele estava um amigo, identificado como Ricardo Santos Santana, 24 anos, que foi levado junto. Os corpos dos jovens, executados a tiros, foram encontrados próximo à Estrada do CIA, em Simões Filho, ao lado de um matagal, ontem pela manhã. Ambos estavam envolvidos por uma corda – Ricardo tinha os braços atados por um lacre plástico, usado como algema. O Departamento de Polícia Técnica (DPT) encontrou 13 estojos de calibre .308 e .45 ao redor das vítimas.Durante a espera pela chegada dos agentes do DPT, a mulher precisou ser amparada por amigos enquanto lamentava aos gritos pela morte do caçula. “Ele prometeu que ia cuidar de mim depois que os irmãos dele morreram. Se soubesse que isso ia acontecer, tinha ficado em casa para que aqueles miseráveis me matassem com o meu menino”, gritou.Além de enfrentar pela terceira vez o drama de enterrar um filho, Claudijane conta que prevê mais dificuldades financeiras daqui pra frente, já que o filho ajudava nas despesas de casa. Ela  admite procurar ajuda para pagar o sepultamento do filho. Informações do Correio.

COMPARTILHE