Brasil







BRASIL ULTRAPASSA A MARCA DE 1,1 MILHÃO DE CASOS E 51,2 MIL MORTES

Foto: PMRJ

O Brasil registrou 654 novas mortes por Covid-19 registradas nas últimas 24h, de acordo com atualização do Ministério da Saúde divulgada nesta segunda-feira (22). Com esse acréscimo às estatísticas, o país chegou a 51.217 óbitos em função da pandemia do novo coronavírus. A atualização diária traz um aumento de 1,1% no número de óbitos em relação a domingo (21), quando o total estava em 50.617.

O balanço também teve 21.432 novos casos registrados, totalizando 1.106.470. O acréscimo de pessoas infectadas marcou uma variação de 1,9% sobre o número de ontem, quando os dados do ministério registravam 1,085 milhão de pessoas infectadas. Do total, 483.550 pacientes estão em observação, 571.649 foram recuperados e 3.912 mortes estão em investigação.

A taxa de letalidade (número de mortes pelo total de casos) ficou em 4,6%. A mortalidade (falecimentos por 100.000 habitantes) foi de 24,4. Já incidência (casos confirmados por 100.000 habitantes) ficou em 526,5. Os estados com maior número de óbitos são São Paulo (12.634), Rio de Janeiro (8.933), Ceará (5.604), Pará (4.605) e Pernambuco (4.252).

Também apresentam altos índices de vítimas da pandemia os estados do Amazonas (2.671), Maranhão (1.760), Bahia (1.441), Espírito Santo (1.362), Alagoas (903) e Paraíba (784). Os estados com mais casos confirmados da doença são São Paulo (221.973), Rio de Janeiro (97.572), Ceará (94.158), Pará (86.020) e Maranhão (70.689).

COMPARTILHE

BRASIL CHEGA A MARCA DE UM MILHÃO DE PESSOAS INFECTADAS PELO CORONAVÍRUS

Foto: Agência Petrobrás

O Brasil superou, na manhã desta sexta-feira (19), a marca de um milhão de pessoas infectadas com o novo coronavírus desde o início da pandemia. A informação foi divulgada pelo jornal Estadão. De acordo com o levantamento do projeto de transparência de dados Brasil.io, a Covid-19 já chegou em 85% dos municípios do país, o que representa 98% da população brasileira que já contraíram ou que estão com o vírus. Desde o dia 26 de fevereiro, quando foi confirmado o primeiro caso, o país registrou 1.009.699 pessoas que foram infectadas com o vírus.

Deste total, 48.427 morreram. Só em São Paulo, foram confirmadas 200 mil casos. Porém, de acordo com um estudo epidemiológico organizado pela Universidade Federal de Pelotas, este número é inferior ao real de pessoas contaminadas em todo o Brasil. Os pesquisadores apontam após uma investigação sobre a prevalência do novo coronavírus nas cidades brasileiras com testes sorológicos, foi observado que a ocorrência é de 6 pessoas infectadas para cada uma oficialmente identificada.

O dado é válido para as 133 cidade onde foi feita a pesquisa. De acordo com os dados do Estadão, a curva de casos do país evoluiu de modo lento desde o início da pandemia, mas perdeu o controle logo após a saída do ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, do carno no dia 16 de abril. Mandetta era um forte defensor das medidas de isolamento social para o controle da propagação da doença.

Além do Brasil, apenas os Estados Unidos ultrapassam essa marca, onde teve a sua evolução muito mais rápida do que aqui. O primeiro caso foi registrado nos EUA no dia 21 de janeiro. No dia 28 de abril alcançaram 1 milhão de infectados e nesta sexta chegaram a 2,185 milhões e 118 mil mortes.

COMPARTILHE

PETROBRAS ANUNCIA REAJUSTE DA GASOLINA E DO DIESEL NAS REFINARIAS

Foto: Divulgação

A Petrobras PETR4.SA anunciou reajuste médio de 8% para o diesel vendido em suas refinarias a partir da sexta-feira, enquanto a gasolina terá elevação de 5%, informou a companhia nesta quinta-feira, por meio da assessoria de imprensa. O movimento é o primeiro reajuste neste mês para o diesel, combustível mais utilizado do Brasil, e o segundo para a gasolina, que havia sofrido aumento de 10% em 9 de junho.

(Full Story). Com a elevação, o preço médio do diesel nas refinarias da estatal passa a ser de 1,5111 real por litro, maior nível desde meados de abril, segundo dados compilados pela Reuters, enquanto o valor médio da gasolina passa a 1,5328 real/litro, mais alto nível desde o final de fevereiro.

Mesmo com segundo reajuste consecutivo para cima, o preço do diesel ainda acumula queda de 35,5% neste ano, impactado pelo choque de demanda resultante da pandemia de coronavírus. No entanto, tem avanço de 15,5% frente às mínimas do ano, verificadas entre o final de abril e meados de março.

As sucessivas elevações ocorrem em meio a uma recuperação nas cotações do petróleo no mercado internacional a partir de abril, após acordo entre Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados para cortes recordes de oferta.

COMPARTILHE

COVID-19: BRASIL CONTABILIZA 1.269 MORTES E MAIS DE 32 MIL NOVOS CASOS, NAS ÚLTIMAS 24 HORAS

Foto: Altemar Alcantara/Semcom

O balanço mais recente do Ministério da Saúde divulgado na noite desta quarta-feira (17) mostra que, nas últimas 24 horas, o Brasil teve 1.269 mortes e 32.188 novos casos de coronavírus, elevando os números totais para 46.510 óbitos e 955.377 infectados desde o início da pandemia, podendo alcançar a marca de 1 milhão de pessoas diagnosticadas com a doença até o final desta semana.

Os dados atualizados indicam que o país ultrapassou em mais de 10 vezes o número de mortes da China — país onde a pandemia começou e que tem 4.645 óbitos, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). A atualização diária traz um aumento de 2,8% no número de óbitos em relação a ontem(16), quando o total estava em 45.241.

Já o acréscimo de casos confirmados marcou uma variação de 3,4% sobre o número de ontem, quando os dados do Ministério da Saúde registravam 923.189 pessoas infectadas. Ainda segundo o balanço do Ministério, do total de casos confirmados de Covid-19 no Brasil, 445.393 pacientes estão em observação e 463.474 foram recuperados. Há ainda 4.033 mortes em investigação.

A taxa de letalidade (número de mortes pelo total de casos) ficou em 4,9%. A mortalidade (falecimentos por 100.000 habitantes) foi de 22,1. Já incidência (casos confirmados por 100.000 habitantes) ficou em 454,6. Os estados com maior número de óbitos são São Paulo (11.521), Rio de Janeiro (8.138), Ceará (5.282), Pará (4.350) e Pernambuco (4.009).

Ainda figuram entres os estados com altos índices de vítimas fatais em função da pandemia: Amazonas (2.579 – foto), Maranhão (1.570), Bahia (1.222), Espírito Santo (1.169), Alagoas (811) e Paraíba (696). Os estados com maior número de casos confirmados de Covid-19 são São Paulo (191.517), Rio de Janeiro (86.963), Ceará (84.967), Pará (74.192) e Maranhão (64.735).

COMPARTILHE

INSCRIÇÃO PARA O SISU É ADIADA E VAI DE 7 A 10 DE JULHO

Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

As inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do segundo semestre de 2020, previstas para 16 a 19 de junho, foram prorrogadas para 7 a 10 de julho. O anúncio foi feito pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, no Twitter. O edital será publicado nos próximos dias no Diário Oficial da União.

Segundo o ministro, até o momento, as instituições públicas já disponibilizaram 51 mil vagas e o número pode subir. Weintraub destacou que pela primeira vez haverá oferta de vagas na modalidade de ensino a distância (EaD).

O processo seletivo do programa, para vagas em cursos de graduação, usa as notas do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) como critério de classificação. Os estudantes interessados em concorrer a uma vaga em uma universidade ou instituto público poderão consultar os cursos e o número de vagas que serão disponibilizados por cada instituição participante.

COMPARTILHE

PREFEITO DO RIO COMEMORA REDUÇÃO DO NÚMERO DE SEPULTAMENTOS DIÁRIOS

Foto:Reprodução

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, comemorou neste sábado (13) a queda no número de sepultamentos na cidade. De acordo com ele, a taxa de óbitos diários está voltando ao normal e atualmente é metade da alcançada em meados de maio.“É uma boa notícia. Anteontem, no dia 11, nós sepultamos no Rio de Janeiro 197 pessoas.

Se você for no dia 11 de junho de 2019, nós sepultamos 201, portanto quatro sepultamentos a menos”, afirmou o prefeito. De acordo com Crivella, em maio, o Rio registrou máxima de até 380 sepultamentos em um único dia. O Rio de Janeiro já registrou 77 mil casos de Covid-19 e tem 7.417 mortes confirmadas de coronavírus. Com informações do Bahia Notícias

COMPARTILHE

COVID-19: BRASIL REGISTRA 25.982 NOVOS CASOS E 909 ÓBITOS NA ÚLTIMAS 24H

Foto: Reprodução/Cesar Schaeffer

O Brasil registrou 25.982 novos casos de Covid-19 e 909 mortes, segundo boletim divulgado pelo Ministério da Saúde nesta sexta-feira (12). Com o número, o país chega ao total de 828.810 casos confirmados e 41.828 óbitos.

Os dados desta sexta-feira (12) tiveram uma queda em relação aos números do boletim da quinta (11), no qual foram registrados 30.412 casos e 1.239 mortes.  Apesar desta diminuição, o Brasil ultrapassa o Reino Unido em número de mortes pelo novo coronavírus.

Segundo de levantamento da Universidade Johns Hopkins, o país europeu tem 41.566. Os Estados Unidos seguem liderando com mais óbitos, 114.357.

COMPARTILHE

MINISTÉRIO DA SAÚDE DISPONIBILIZA NOVA PLATAFORMA PARA ACOMPANHAMENTO DO CORONAVÍRUS

Foto: Reprodução/Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde disponibilizou hoje (12) nova página para acompanhamento dos casos do novo coronavírus (Covid-19) em todo o país. Em destaque, estão o número de casos de pacientes recuperados e daqueles que estão em acompanhamento, além de gráficos que mostram a evolução de óbitos diários pela doença.

Pela nova plataforma (veja aqui), o usuário tem acesso ao número de habitantes no país e ao número de mortes a cada 100 mil pessoas, fatores que são levados em conta pra avaliar o grau de contágio do novo coronavírus. A busca de casos por municípios também está disponível. A fonte dos dados são informações repassadas pelas secretarias estaduais de Saúde.

De acordo com o balanço mais recente da doença, divulgado ontem (11), houve 1.239 novas mortes e 30.412 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas. Com esses acréscimos às estatísticas, o país chegou a 40.919 falecimentos em função da pandemia do novo coronavírus e 802.828 pessoas infectadas. O país conta ainda com 416.314 pessoas em observação e 345.595 estão recuperados.

COMPARTILHE

EDIR MACEDO CONFIRMA QUE TEVE COVID-19 E DIZ QUE SE CUROU COM CLOROQUINA

Foto: Alan Santos/Estadão Conteúdo

O bispo Edir Macedo afirmou em uma entrevista para o portal R7, nesta sexta-feira (12), que foi contaminado com o novo coronavírus, mas já está melhor. De acordo com o líder da Igreja Universal do Reino de Deus e dono do grupo Record, que entre os remédios que lhe foram receitados estava a hidroxicloroquina.

“Tomei todos os medicamentos indicados pelos médicos, entre eles a hidroxicloroquina, e estou bem”, disse o líder religioso, que foi atendido por equipe coordenada pelos médicos Leandro Echenique e Ricardo Teixeira. O bispo foi internado no último dia 8 de junho e recebeu alta nesta sexta.

No mês de março, Edir Macedo fez uma live no Facebook pedindo que os fiéis de sua igreja não deveriam se preocupar com a propagação da doença. Segundo a declaração do bispo, a tensão que o mundo estava vivendo na época era uma “tática de Satanás” e da imprensa.

“Meu amigo e minha amiga, não se preocupe com o coronavírus. Porque essa é a tática, ou mais uma tática, de Satanás. Satanás trabalha com o medo, o pavor. Trabalha com a dúvida. E quando as pessoas ficam apavoradas, com medo, em dúvida, as pessoas ficam fracas, débeis e suscetíveis. Qualquer ventinho que tiver é uma pneumonia para elas”, disse na ocasião.

COMPARTILHE

BRASIL ULTRAPASSA 40 MIL MORTES E CONFIRMA 802.828 CASOS DE COVID-19

Foto: Bruno Kelly/ REUTERS

O Brasil ultrapassou a marca das 40 mil mortes e confirmou 802.828 casos de Covid-19, em boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, no fim da tarde desta quinta-feira (11). De acordo com os dados oficiais, foram contabilizados 30.412 casos nas últimas 24h.

Quanto aos óbitos, foram 1.239, no mesmo período, somando um total de 40.919 mortes pelo novo coronavírus no país. O Nordeste é a região que concentra o maior número de casos da Covid-19, com 284.127 confirmados,  seguido de Sudeste (280.972), Norte (166.042), Centro-Oeste (36.109) e Sul (35.578).

COMPARTILHE

EM 24 HORAS, BRASIL REGISTRA 1.274 MORTES E 32.913 NOVOS CASOS

Foto: Ingrid Anne/Fotos Públicas

Balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, nesta quarta-feira (10), mostra que o Brasil tem mais 32.913 pessoas infectadas pelo novo coronavírus, totalizando 772.416 pessoas, um acréscimo de 4,2% em relação a ontem (9), quando o número de pessoas infectadas estava em 739.503. A atualização do Ministério da Saúde registrou 1.274 novas mortes, chegando a 39.680.

O resultado representou um aumento de 3,2% em relação a ontem, quando foram contabilizados 38.406 falecimentos por Covid-19. Do total de casos confirmados, 407.341 estão em acompanhamento e 325.395 foram recuperados. Há ainda 3.608 investigação de óbitos para identificar se a causa foi Covid-19. São Paulo se mantém como epicentro da pandemia no país, concentrando o maior número de mortes (9.862).

O estado é seguido pelo Rio de Janeiro (7.138), Ceará (4.480), Pará (3.027) e Pernambuco (3.531). Já em número de casos confirmados, o ranking tem São Paulo (156.316), Rio de Janeiro (74.373), Ceará (71.402), Pará (62.095) e Maranhão (53.508). Entre as unidades da federação com mais pessoas infectadas estão ainda Amazonas (52.849), Pernambuco (41.935), Bahia (32.685), Paraíba (24.032) e Espírito Santo (23.344).

COMPARTILHE

MINISTÉRIO VOLTA A DISPONIBILIZAR INFORMAÇÕES COMPLETAS E INFORMA 1.272 NOVAS MORTES

Foto: Paula Fróes/GOVBA

Após dias de “apagão” nos dados totais e determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), o Ministério da Saúde voltou a publicar informações completas. No boletim desta terça-feira (9), conta a informação de que o país registrou 1.272 novas mortes e com isso chegou a 38.406 óbitos acumulados.

Nas informações divulgadas pelo Ministério na segunda-feira (8) eram 37.134 mortes. A pasta informa que casos novos nas últimas 24 horas foram 32.091 e o acumulado de diagnósticos positivos da Covid-19 no país chegou a 739.503. Até segunda eram 707.412 casos. O boletim destaca que 311.064 pessoas se recuperaram da doença no país, e outras 390.033 seguem em acompanhamento.

COMPARTILHE

BANCOS EM TODO O PAÍS NÃO ABRIRÃO NO FERIADO DE CORPUS CHRISTI

Foto: Ubaitaba Urgente

Foto: Ubaitaba Urgente

Os bancos não abrirão em todo o país na próxima quinta-feira (11), feriado de Corpus Christi, mesmo nos municípios que anteciparam o feriado em virtude do combate à pandemia da Covid-19. “Essa situação será observada em todos os municípios brasileiros, inclusive naqueles que eventualmente implementaram alguma forma de antecipação desse feriado em virtude do combate à pandemia”, disse a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), em nota.

Desta forma, as agências permanecerão fechadas, sem atividades nos sistemas de transferência de reservas (STR), sistema especial de liquidação e de Custódia (Selic) e taxas de câmbio.

Com as agências bancárias fechadas no dia 11, estarão prorrogados para o primeiro dia útil subsequente todos vencimentos de contas, incluindo boletos e contas de concessionárias, agendamento de pagamentos e envios de transferências. Os terminais de autoatendimento, aplicativos de celular e internet permanecerão provendo os serviços de forma usual, como já ocorre em feriados bancários.

COMPARTILHE

COVID-19: BRASIL CHEGA A 37.134 MORTES E TEM 679 NOVOS ÓBITOS NAS ÚLTIMAS 24 HORAS

Foto: Reprodução/Yan Boechat

O Brasil chegou a 37.134 mortes provocadas pela Covid-19 nesta segunda-feira (8). O país registrou 679 novos óbitos nas últimas 24 horas em razão da doença.

Os novos registros de casos somaram 15.654, de acordo com o boletim informativo divulgado pelo ministério da saúde. Em relação ao total de casos, o Brasil atingiu 707.412 casos confirmados. Já os recuperados são 6.088.

COMPARTILHE

COM 34.021 MORTES, BRASIL ULTRAPASSA A ITÁLIA A CHEGA A 3º NO RANKING DE ÓBITOS

Foto: Reprodução/Globo News

O Brasil somou 1.473 mortes confirmadas em 24 horas e chegou a 34.021 no total, de acordo com boletim do Ministério da Saúde divulgados na noite de quinta-feira (4). Os dados apontam, pelo terceiro dia consecutivo, o maior número contabilizado no período —na quarta (3), foram registrados 1.349 óbitos.

Os números atualizados também apontam para uma estatística sombria: o Brasil é agora a país a terceira nação do mundo que mais perdeu vidas para a Covid-19 nesta pandemia. A escalada da doença fez o país ultrapassar a Itália, que registra 33.689 mortes, e agora está atrás apenas de Reino Unido (39.904) e Estados Unidos (110.144), segundo os dados oficiais de cada país. A divulgação do boletim de quinta-feira saiu apenas às 22h e, segundo o governo, o atraso foi motivado por problemas técnicos.

Mesmo divulgados com atraso de três horas, os dados federais estavam defasados em relação aos estados: eram 32.548 mortes por Covid-19 no Brasil, enquanto as Secretarias de Saúde no mesmo dia apontavam 106 óbitos a mais. Com informações do portal UOL

COMPARTILHE

VACINA BRASILEIRA CONTRA A COVID-19 COMEÇA A SER TESTADA EM ANIMAIS

Foto: Filippo Bacci/Getty Images

Pesquisadores do Instituto do Coração (InCor) e da Faculdade Medicina da Universidade de São Paulo (FM-USP), anunciaram que começaram a testar em camundongos uma potencial vacina contra a Covid-19.

A imunização segue um modelo diferente do empregado em outros países. A estratégia utilizada para desenvolver a vacina é baseada no uso de partículas semelhantes a vírus. Essa fase do estudo é chamada “pré-clínicos”. Após essa etapa, os pesquisadores poderão começar a testar a vacina em voluntários humanos.

“Já conseguimos desenvolver três formulações de vacinas que estão sendo testadas em animais. Em paralelo, estamos formulando diversas outras para identificar a melhor candidata”, disse Gustavo Cabral, pesquisador responsável pelo projeto à agência Fapesp.

COMPARTILHE

BRASIL REGISTRA NOVO RECORDE E TEM 1.349 MORTES PELA COVID-19 EM 24 HORAS

O Brasil chegou a marca de 32.548 mortes provocadas pela Covid-19 nesta quarta-feira (3). Nas últimas 24 horas houve um aumento de 1.349 mortes em razão da doença, de acordo com o boletim informativo divulgado pelo ministério da saúde.

Em relação ao total de casos, o Brasil atingiu 584.016 casos confirmados da doença em todo o país, com um aumento de 28.633 novos casos nas últias 24 horas.

COMPARTILHE

COVID-19: BRASIL TEM QUASE 1.300 MORTOS NAS ÚLTIMAS 24 HORAS

Foto: Reprodução/Amazônia Real

O Ministério da Saúde divulgou hoje (2) o balanço com dados sobre a Covid-19 no Brasil, o número de pessoas diagnosticadas com a doença subiu para 555.383 e o total de mortes chega a 31.199. Foram registrados 28.936 novos casos nas últimas 24 horas, além de 1.262 óbitos.

Do total de mortes notificadas de ontem para hoje, 367 ocorreram nos últimos três dias. Há ainda 4.312 óbitos em investigação. No último balanço do governo, ontem (1º), o total de infectados chegava a 526.447 e 29.937 mortes confirmadas.

Os cinco estados com o maior número de casos confirmados da doença são: São Paulo (118.295), Rio de Janeiro (56.732), Ceará (53.073), Amazonas (43.195) e Pará (41.207). A Bahia registrou hoje (2) 736 mortes por Covid-19 e 21.430 casos confirmados da doença em todo o estado, segundo boletim divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesab). 

COMPARTILHE

EQUIPE DA FIOCRUZ MG TRABALHA EM VACINA BRASILEIRA PARA COVID-19

Foto : Jefferson Peixoto/Secom

Em todo o mundo, cerca de 200 grupos de cientistas trabalham intensamente no desenvolvimento de uma vacina segura e eficaz contra a covid-19. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), pelo menos oito delas já iniciaram a fase clínica, de testes em pessoas. As informações são da Agência Brasil.

A equipe brasileira, composta por 15 pessoas, é liderada pelo pesquisador Alexandre Vieira Machado, da Fiocruz em Minas Gerais, em parceria com outras instituições, como a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o Instituto Butantã, a Universidade de São Paulo (USP) e a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto.

Segundo Machado, o Instituto do Coração (Incor) de São Paulo também trabalha no desenvolvimento da vacina, liderado pelo médico Jorge Kalil, e há troca de informações entre as duas equipes. “Esperamos que nós possamos utilizar a deles junto com a nossa em alguns testes”, diz Machado.

COMPARTILHE

BRASIL ULTRAPASSA 500 MIL CASOS DE COVID-19 COM 29.314 MIL MORTES

Foto: Gabriel Monteiro / Agência O Globo

Foto: Gabriel Monteiro / Agência O Globo

Segundo o mais recente balanço do Ministério da Saúde, o Brasil ultrapassou neste domingo (31) a marca de 500 mil casos confirmados de infectados por Covid-19, chegando ao exato número de 514.849. Foram 480 registros de morte incluídos em 24 horas, totalizando 29.314 óbitos.  

De acordo com o G1, desde 22 de maio, o País é o segundo com mais casos confirmados do novo coronavírus no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, que registravam mais de 1,7 milhão de casos neste domingo, segundo balanço global feito pela universidade norte-americana Johns Hopkins às 19h40.

COMPARTILHE

MÃES MENORES DE IDADE JÁ PODEM PEDIR AUXÍLIO EMERGENCIAL

Foto: Ilustrativa

Foto: Ilustrativa

As mães com menos de 18 anos já podem pedir o auxílio emergencial de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras). A novidade está disponível na 16ª versão do aplicativo Caixa Auxílio Emergencial, que foi liberada ontem pela Caixa Econômica Federal. As informações são da Agência Brasil.

Incluída pelo Congresso durante a tramitação da medida provisória que instituiu o benefício, a extensão do auxílio emergencial para mães menores de idade havia sido sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro no último dia 15. O cadastro no auxílio emergencial pode ser pedido até 3 de junho.

A vice-presidente de Tecnologia da Caixa, Tatiana Thomé, explicou como funcionará a novidade em entrevista coletiva na tarde deste sábado. A mãe menor de idade precisa cadastrar pelo menos dois membros da família (ela própria mais um filho, no mínimo). Caso a adolescente pertença a uma família maior, com algum membro que tenha se cadastrado no auxílio emergencial, precisará fazer o cadastro compatível com o do outro membro da família.

Mães grávidas não poderão fazer o cadastro porque o aplicativo pedirá o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) do filho. O processo se dará de forma igual ao dos demais cadastramentos. Ao entrar no aplicativo, a mãe digitará nome completo, número do CPF, nome da mãe e data de nascimento, conforme constam nos cadastros da Receita Federal. O aplicativo oferece a opção “mãe desconhecida”, caso a requerente não conheça a mãe.

Finalizado o cadastro, os dados serão enviados à Dataprev, empresa estatal de tecnologia, que comparará as informações prestadas com as 17 bases de dados disponíveis para ver se o requerente cumpre as condições da lei para receber o auxílio emergencial. A usuária poderá acompanhar, no próprio aplicativo, se o benefício foi aprovado, negado ou se o cadastro foi considerado inconclusivo (quando as informações prestadas não conferem com os bancos de dados do governo).

COMPARTILHE

BRASIL ULTRAPASSA NÚMERO DE MORTES DA FRANÇA POR COVID-19 COM MAIS DE 28,8 MIL REGISTROS

Foto: Diego Vara/Agência Brasil

O Brasil ultrapassou a França em número de mortos por Covid-19. Um balanço do Ministério da Saúde, divulgado neste sábado (30), revela que já são 28.834 mortes por Covid-19 no país. Nesta sexta-feira (29), o número registrado era de 27.878. Com isso, neste período, foram registrados 956 óbitos. 

O Brasil é o quarto país no mundo em mortes pelo coronavírus. Já são quase 500 mil casos confirmados da doença no país. Neste sábado, a pasta registrou 498.440 casos confirmados. Nesta sexta, o número era de 465.166. Ainda divulgou que há 268.714 pacientes em acompanhamento.  

COMPARTILHE

RITA CADILLAC REVELA QUE RECEBEU AUXÍLIO EMERGENCIAL: “VEIO EM BOA HORA”

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Alvo de inúmeras críticas na web por ter solicitado auxílio emergencial do Governo Federal, no valor de R$ 600, Rita Cadilac abriu o jogo sobre o que tem feito com o dinheiro. Em entrevista ao jornal Extra, a cantora falou sobre os ataques que recebeu desde que a notícia se espalhou.

“Quem pediu o benefício foi a cidadã Rita de Cássia. Porque a Rita Cadillac está dormindo desde que começou a pandemia e só vai acordar quando ela puder voltar a fazer shows, o que eu sempre fiz na minha vida. Se eu estivesse trabalhando, eu jamais pediria”, disse.

Aos 65 anos e sem casa própria, a ex-dançarina revela que conta apenas uma reserva de dinheiro, que só seria o suficiente para se manter, sem trabalhar, até o fim do ano. “Foi aceito porque eu cumpri tudo. Preenchi todo o cadastro, mandei tudo o que eles pediram, foi analisado e me deram. O dinheiro ajudou a pagar luz, uma parte do condomínio e outras contas”, explicou.

Sobre os ataques de que foi alvo nas redes sociais por ter recebido o auxílio, ela opinou: “Até agora estou sem entender o porquê disso. As pessoas imaginam que todos os artistas são milionários e moram em mansões. Tem muito artista que não. Eu não sou assalariada, não tenho contrato com ninguém”.

COMPARTILHE

BRASIL TEM SEMANA COM MAIS ÓBITOS DESDE O INÍCIO DA PANDEMIA; FORAM 6.821 MORTES EM 7 DIAS

Covas abertas no cemitério de SP I Foto: Reprodução/GloboNews

O Brasil registrou, entre 23 e 29 de maio, a semana com o maior número de óbitos reportados em razão do novo coronavírus. Ao todo, foram notificadas 6.821 mortes nos últimos sete dias. Esta também foi a semana em que o número de óbitos ficou acima de mil por quatro dias consecutivos.

Somente entre quinta (28) e sexta-feira (29), o boletim  epidemiológico do Ministério da Saúde contabilizou que 1.124 perderam a vida. O recorde anterior ocorreu na semana passada, quando foram contabilizados, em um único dia, 1.188 óbitos por Covid-19.

Até agora, o país acumula o total de 27.878 mortes, o que o fez ultrapassar a Espanha, tornando-se o quinto país do mundo em número de óbitos, segundo ranking da Universidade Johns Hopkins.

A SEGUIR, OS NÚMEROS DOS ÚLTIMOS SETE DIAS:

29 de maio: 1.124 mortes

28 de maio: 1.156 mortes

27 de maio: 1.086 mortes

26 de maio: 1.039 mortes

25 de maio: 807 mortes

24 de maio: 653 mortes

23 de maio: 956 mortes

COMPARTILHE

BOLSONARO DIZ QUE AUXÍLIO EMERGENCIAL DEVERÁ TER QUARTA PARCELA

Live da Semana com Presidente Jair Bolsonaro – 28/05/2020

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (28), que o governo deve propor uma quarta parcela do auxílio emergencial, atualmente em R$ 600, mas que o valor ainda está em estudo pelo governo, que poderá reduzi-lo. O presidente realizou a conhecida live em suas redes sociais.

“Nós já estudamos uma quarta parcela com o Paulo Guedes. Está definindo o valor, para ter uma transição gradativa e que a gente espera que a economia volte a funcionar”, afirmou Bolsonaro. O auxílio emergencial prevê o pagamento de três parcelas de R$ 600 para trabalhadores informais, integrantes do Bolsa Família e pessoas de baixa renda.

De acordo com a Caixa Econômica Federal, cerca de 59 milhões de pessoas já receberam o benefício. Cada parcela do auxílio emergencial custa aos cofres públicas cerca de R$ 48 bilhões, de acordo com a Agência Brasil.

COMPARTILHE