Brasil







COVID-19: BRASIL REGISTRA 1.156 MORTES NAS ÚLTIMAS 24 HORAS

Foto: Reprodução/Luiz Nogueira

O Ministério da Saúde apontou no boletim desta quinta-feira (28) que o Brasil soma 26.754 mortes pelo novo coronavírus. O número era de 25.598 na quarta-feira (27), o que mostra a inclusão de 1.156 registros de morte em 24 horas.

 O número de casos confirmados da Covid-19 no país é de 438.238 de acordo com o boletim. Eram 411.821 na quarta. Houve um acréscimo de 26.417 casos desde ontem.  A pasta destaca que 233.880 pacientes estão em acompanhamento (53,4% do total).

COMPARTILHE

PUBLICADA COM VETOS LEI SOBRE AJUDA FINANCEIRA A ESTADOS E MUNICÍPIOS

A lei que trata da ajuda financeira a estados, municípios e o Distrito Federal para o combate aos efeitos da pandemia do novo coronavírus foi sancionada com vetos pelo presidente Jair Bolsonaro. A Lei Complementar nº 173, de 27 de maio de 2020, está publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (28) e garante auxílio financeiro de até R$ 125 bilhões aos entes, em forma de envio direto de recursos, suspensão do pagamento de dívidas e renegociação com bancos e organismos internacionais.

O presidente vetou um trecho da lei que tratava dos salários de servidores públicos. Com o veto, esses trabalhadores ficarão sem reajuste salarial até o fim de 2021. Durante a tramitação no Congresso, parlamentares excluíram algumas categorias desse congelamento, como trabalhadores da educação, saúde e segurança pública, servidores de carreiras periciais, profissionais de limpeza urbana e de serviços funerários.

Ao vetar o trecho, Bolsonaro justificou que essas exceções violam o interesse público ao diminuir a economia estimada com a suspensão dos reajustes. “A título de exemplo, a manutenção do referido dispositivo retiraria quase dois terços do impacto esperado para a restrição de crescimento da despesa com pessoal”, diz a mensagem do presidente encaminhada do Congresso. Após a sanção, os parlamentares têm 30 dias para apreciar os vetos.

O controle de gastos é a contrapartida de governadores e prefeitos para receberem o auxílio. Além da suspensão dos reajustes, até o final de 2021 eles também não poderão realizar concursos públicos, exceto para reposição, ou criar despesa obrigatória de caráter continuado.

Também estão suspensos os prazos de validade dos concursos públicos federais homologados até 20 de março deste ano. A suspensão será mantida até o fim do estado de calamidade pública em vigor no país. Um dos trechos da lei previa que essa suspensão se estenderia a concursos estaduais, distritais e municipais. Bolsonaro, entretanto, vetou esse dispositivo, justificando que isso criaria obrigação aos entes federados, o que viola o pacto federativo e a autonomia desses entes.

RECURSOS DIRETOS

De acordo com o texto, a União entregará, na forma de auxílio financeiro, aos estados, ao Distrito Federal e aos municípios, em quatro parcelas mensais e iguais, R$ 60 bilhões para serem aplicados em ações de enfrentamento à covid-19 e a mitigação de seus efeitos financeiros. Desse valor, R$ 10 bilhões são exclusivamente para ações de saúde e assistência social. O projeto  ainda suspende as dívidas de estados e municípios com a União, inclusive os débitos previdenciários parcelados pelas prefeituras que venceriam este ano. Esse ponto pode gerar um impacto de R$ 60 bilhões à União.

Na utilização dos recursos, prefeitos e governadores darão preferência às microempresas e às empresas de pequeno porte em todas as aquisições de produtos e serviços, seja por contratação direta ou por exigência dos contratantes para subcontratação. Informações da Agência Brasil

COMPARTILHE

COVID-19: BRASIL TEM 1.086 MORTES EM 24 HORAS E CHEGA A 25.598

Foto: Reprodução

O Ministério da Saúde divulgou nesta quarta-feira (27) seu mais recente balanço de casos confirmados e mortes provocadas pela Covid-19. Os principais dados são: 25.598 mortes, eram 24.512 na terça-feira. Foram 1086 registros de morte incluídos em 24 horas; 411.821 casos confirmados, eram 391.222 na terça-feira; Foram incluídos 20.599 casos em 24 horas.  A Bahia registrou 15.070 casos confirmados de coronavírus até o fim da tarde desta quarta-feira (27).

O novo boletim da Secretaria da Saúde (Sesab) registrou ainda 36 novas mortes no estado, o total chegou a 531. A pasta destaca que os óbitos contabilizados no boletim epidemiológico referem-se a um período de 17 dias, e que as notificações tardias estão sendo apuradas pela Auditoria do Sistema Único de Saúde (SUS) e pela Corregedoria.

Um total de 263 municípios do estado registraram casos da doença causada pelo novo coronavírus. Do número total de pessoas que testaram positivo na Bahia, 9.390 permanecem monitoradas pela vigilância epidemiológica e com sintomas da Covid-19, o que são chamados de casos ativos. Com informações do Bahia Notícias

COMPARTILHE

BRASIL TEM 143 ÍNDIOS MORTOS PELO CORONAVÍRUS

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Dados da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil mostram que 143 indígenas morreram por coronavírus no Brasil, e 1256 foram contaminados, até terça-feira (26).

A informação é da coluna de Guilherme Amado, da revista Época. Segundo a publicação, o Ministério da Saúde tem cifras bem inferiores: até esta segunda-feira (25), registrou 40 mortes e 824 contaminações.

COMPARTILHE

COM 653 MORTES NAS ÚLTIMAS 24 HORAS, BRASIL CHEGA A 22.666 ÓBITOS POR CORONAVÍRUS

Foto: Reuters/Stefan Jeremiah

O Brasil tem 363.211 casos confirmados e 22.666 mortes por coronavírus. O país teve 15.813 testes positivos em um dia, e já é o segundo no mundo em número de casos, depois dos Estados Unidos.  Em 24 horas foram confirmadas também mais 653 vítimas.

Os domingos têm registrado um número menor de mortes, pois o Ministério da Saúde consolida os dados das secretarias estaduais de saúde e, aparentemente, há menor registro dos casos durante os fins de semana.

No sábado, 23, foram contabilizados 965 mortos. Na América Latina, o Brasil está em primeiro lugar em número de casos. Logo atrás estão Peru (115.754 infectados e 3.373 mortos) e Chile (65.393 infectados e 718 mortos), segundo dados da universidade americana John Hopkins. (Com informações do Coronavírus Brasil)

COMPARTILHE

ELENCO EM RECESSO DAS NOVELAS DA GLOBO TEM SALÁRIO MENOR DURANTE O ISOLAMENTO

Os atores e atrizes que estavam em gravação das novelas da Globo, mas precisam suspender o trabalho diante da necessidade de isolamento, em razão da pandemia do novo coronavírus, sofreram corte nos salários que chega 60% do rendimento.

De acordo com coluna do jornal Folha de S. Paulo, isso acontece obedecendo a previsão legal nos contratos com a emissora. O elenco fixo, que tem acordo por longa temporada e não só por obra, recebe cerca de 60% a mais quando está dando expediente, exatamente o valor máximo do desconto.

Conforme comunicado da Globo, a emissora não negou as reduções de praxe para atores em recesso e disse que não houve mudança nos contratos.

COMPARTILHE

BRASIL VAI A 21.048 MORTES E 330.890 MIL CASOS CONFIRMADOS DO NOVO CORONAVÍRUS

Fone: Marco Santos/Ag. Pará

O Brasil registrou pela terceira vez mais de mil mortes por coronavírus em 24h. Nesta sexta-feira (22) o número registrado pelo Ministério da Saúde foi de 1.001. O total de brasileiros que perderam a luta para a Covid-19 é de 21.048 mortes, o número era de 20.047 na quinta-feira (21).

Quanto aos casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus o boletim informa que são 330.890. Foram 20.803 novos casos incluídos no balanço em 24 horas.  Os dados também informam o número de paciente recuperados da Covid-19: 135.430.

Com esta atualização, o Brasil ultrapassou a Rússia (326.448) em número de confirmações e se tornou o segundo país com mais casos de coronavírus no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos (1.598.631), segundo o levantamento da Universidade Johns Hopkins.

COMPARTILHE

IRMÃS TÉCNICAS DE ENFERMAGEM MORREM NA MESMA SEMANA COM CORONAVÍRUS

Fotos: Reprodução/Redes Sociais

Duas irmãs que trabalhavam como técnicas de enfermagem morreram na mesma semana, na cidade de São Sebastião de Lagoa de Roça, no estado da Paraíba. As duas foram infectadas pelo coronavírus, segundo informações do portal T5. O primeiro óbito foi de Simone Calixto, de 43 anos, no último domingo (10).

Na quinta-feira (14), Ana Lúcia Calixto, 40, também faleceu. Segundo o irmão das vítimas, Janilson Calixto, as duas tiveram um quadro simples de gripe, cerca de 15 dias antes das mortes, mas o quadro de saúde se agravou. Elas ficaram internadas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) por sete dias.

COMPARTILHE

COVID-19: BRASIL REGISTRA 888 MORTES NAS ÚLTIMAS 24 HORAS; PAÍS JÁ TEM 18.859 MORTOS

Foto: Hermes de Paula / Agência O Globo

O Brasil chegou a 291.579 casos confirmados do novo coronavírus, nesta quarta-feira (20). Segundo boletim do Ministério da Saúde, o país somou 19.951 novos casos em 24 horas e totaliza 18.859 mortes. Segundo o ministério, foram 888 registros de morte incluídos no balanço em 24 horas.

O boletim também revelou que 156.037 pacientes estão em acompanhamento (53,5% do total) e 116.683 pacientes já foram recuperados da doença (40,0%). (Com informações do Ministério da Saúde)

COMPARTILHE

MÉDICOS DO CEARÁ DENUNCIAM PRESSÃO PARA ATESTAREM MORTES COMO COVID-19 E SINDICATO ACIONA O MP

Edmar Fernandes - Presidente do Sindicato.

Edmar Fernandes – Presidente do Sindicato.

Uma suposta pressão para médicos atestarem óbitos como coronavírus no Ceará levou o sindicato da categoria a acionar o Ministério Público estadual nesta quarta-feira (13). A denúncia aponta que exames mais precisos não estariam sendo realizados antes da definição da causa da morte.

“Diante da gravidade da situação, a entidade apresentou um Pedido de Providência, nesta quarta-feira (13), à Promotoria de Justiça da Saúde Pública do Ministério Público Estadual do Ceará, com objetivo de investigar as informações”, avisou o sindicato.

O deputado estadual André Fernandes (PSL) já tinha reclamando de uma suposta manipulação de dados no diagnóstico das mortes, que teria sido imposta pelo governo cearense para aumentar os números de óbitos. Como resposta, Fernandes foi acusado por outros deputados estaduais de disseminar notícias falsas. Os parlamentares ainda solicitaram o afastamento imediato do colega.

COMPARTILHE

PREFEITO DECRETA JEJUM E ORAÇÃO PARA COMBATER O CORONAVÍRUS

Foto: Reprodução

A prefeitura de Ladário, no Pantanal de Mato Grosso do Sul, publicou na sexta-feira (15) um decreto no “Diário Oficial” do município em que pede 21 dias de oração e um de jejum para combater a pandemia do novo coronavírus. As informações são do G1. O documento é assinado pelo prefeito Iranil de Lima Soares e prevê “que todos os cristãos façam orações diárias nos lares e nos locais de adoração”. O decreto pede ainda que sejam evitadas aglomerações.

“Nós resolvemos estimular a fé das pessoas, para que elas possam ter esperança, para que o momento de pânico não invada o coração, a mente delas. Para que elas possam se voltar um pouco para Deus e assim trazer essa esperança que esse momento irá passar e que logo tudo estará restabelecido”, afirmou o prefeito ao G1.

De acordo com Iranil, a oração não é obrigatória. “Nenhuma pessoa, nenhum ladarense é obrigado a fazer a oração ou o jejum. Aqueles que sentirem o desejo, a vontade, deve ser voluntariamente, de suas casas. Não devem sair de suas casas. Não deve ter aglomeração”, afirmou ao G1. Ainda segundo o G1, até agora a cidade tem 5 casos da infecção causada pelo novo coronavírus.

COMPARTILHE

DIRETOR DA OPAS DIZ QUE ‘NÃO HÁ EVIDÊNCIAS PARA RECOMENDAR CLOROQUINA E HIDROXICLOROQUINA CONTRA A COVID-19’

Foto : Marcelo Casal / Agência Brasil

O diretor do departamento de doenças comunicáveis da Opas, Marcos Espinal, afirmou hoje (19) que “não há evidências para recomendar cloroquina e hidroxicloroquina contra a Covid-19”. A entidade que é braço da OMS nas Américas foi questionada sobre o uso do medicamento para a doença durante uma coletiva de imprensa virtual. A informação foi divulgada pelo G1.

“Não há evidências para recomendar cloroquina e hidroxicloroquina contra a Covid-19”, afirmou. “Ainda não temos os resultados de testes clínicos que possam sugerir a eficácia desses dois medicamentos. Desde o começo, a Opas produziu uma revisão bastante sistemática. Acabamos de atualizar o documento, e não há evidência de que essas duas drogas sejam eficazes contra a Covid-19”.

Espinal disse que “é uma questão de cada país decidir” sobre usar as substâncias contra a Covid-19, mesmo sem evidências científicas, mas destacou que, além de não ter benefícios comprovados contra o novo coronavírus, os medicamentos têm efeitos colaterais. A Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) desaconselhou ontem (18), o uso das duas substâncias para tratar a Covid-19.

COMPARTILHE

COVID-19: BRASIL TEM 674 MORTES NAS ÚLTIMAS 24 HORAS; 254 MIL PESSOAS FORAM INFECTADAS

Foto: Reprodução

O Brasil confirmou mais 13.140 infecções por coronavírus nesta segunda-feira (18), segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde. No total, são 254.220 casos e 16.792 mortes causadas pela doença. Em 24 horas foram mais 674 vítimas. Pelo menos 95 mil pessoas já se recuperaram.

Com esta nova atualização, o Brasil passa o Reino Unido e agora é o terceiro país com mais casos no mundo. Em primeiro lugar está os Estados Unidos, com 1,5 milhão, seguido pela Rússia, com 290 mil, de acordo dados da Universidade Johns Hopkins, nos EUA.

COMPARTILHE

MANDETTA DIZ QUE AMPLIAÇÃO DO USO DA CLOROQUINA PODE PROVOCAR ALTA DE MORTES EM CASA

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta criticou a exigência do presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) pela ampliação do uso de cloroquina para pacientes diagnosticados com coronavírus. Na avaliação do ex-chefe da pasta, que é médico, pessoas infectadas pelo vírus e com quadro leve da Covid-19 que tomarem o remédio podem ocasionar uma alta na procura por vagas em centros de terapia intensiva. O uso acelerado do medicamento, segundo Mandetta, pode provocar mortes em casa por arritmia cardíaca.

“Começaram a testar pelos [quadros] graves que estão nos hospitais. Do que sei dos estudos que me informaram e não concluíram, 33% dos pacientes em hospital, monitorados com eletrocardiograma contínuo, tiveram que suspender o uso da cloroquina porque deu arritmia que poderia levar a parada [cardíaca]”, disse o ex-ministro, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo. “Se todos os velhinhos tiverem arritmia, vão lotar o CTI, porque tem muito mais casos de arritmia que complicação de Covid. E vou ter que arrumar CTI para isso, e pode ser que morra muita gente em casa com arritmia”, acrescentou.

Questionado sobre a pressão para utilização do medicamento, Mandetta afirmou que a classe política só está interessada na volta ao trabalho. O problema, segundo ele, não se resolve com a cloroquina. “A ideia de dar a cloroquina, na cabeça da classe política do mundo, é que, se tiver um remédio, as pessoas voltam ao trabalho. É uma coisa para tranquilizar, para fazer voltar sem tanto peso na consciência. Se tivesse lógica de assistência, isso teria partido das sociedades de especialidades [não do presidente].

Por isso não tem gente séria que defenda um medicamento agora como panaceia. O Donald Trump [presidente dos EUA] defendeu a cloroquina, mas voltou atrás e parou. Nos EUA, isso gera processo contra o Estado. Aqui no Brasil não, se morrer, morreu. Para mim foi isso que fez com que o Teich falasse: ‘Não vou assinar isso. Vai morrer gente e ficar na minha nota’”, afirmou Luiz Henrique Mandetta.

COMPARTILHE

CAIXA INICIA PAGAMENTO DA 2ª PARCELA DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

Foto: Jackson Cristiano

A Caixa Econômica Federal inicia nesta segunda-feira (18) o pagamento da 2ª parcela do auxílio emergencial de R$ 600. O suporte financeiro é uma das medidas do governo federal para o enfrentamento da Covid-19. Aproximadamente 50 milhões de pessoas estão inscritas no programa. O benefício é pago para trabalhadores informais e pessoas de baixa renda, inscritos do cadastro social do governo e no Bolsa Família.

O pagamento segue um cronograma. Nesta segunda (18) o dinheiro estará disponível apenas para beneficiários com Número de Identificação Social (NIS).  O dinheiro poderá ser sacado sem a necessidade de cartão em casas lotéricas e em caixas eletrônicos. Quem não quiser tirar a grana, poderá movimentar a quantia por meio do aplicativo Caixa Tem para pagamento de boletos. As transferências serão liberadas nas mesmas datas dos saques.

COMPARTILHE

COVID-19: BRASIL CHEGA A 16.118 MORTES E 241.080 CASOS CONFIRMADOS

O Brasil contabilizou até este domingo (17) 16.118 mortes por Covid-19, eram 15.633 mortes no sábado (16). Foram mais 485 novos registros de mortes nas últimas 24 horas. Em relação aos casos confirmados de infecção pelo vírus o número chegou a 241.080, eram 233.142 no sábado (16).

O que indica um casos incluídos no balanço em 24 horas. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Saúde (MS).

COMPARTILHE

COVID-19: BRASIL REGISTRA 816 MORTES E 14.919 NOVOS CASOS EM 24H

Foto: Fernando Vivas/GOVBA

O Ministério da Saúde divulgou hoje (16) novo balanço dos casos de novo coronavírus no Brasil. Nas últimas 24 horas, foram registradas 816 mortes e 14.919 novos casos.  O total de vítimas no país é de 15.633 e 233.142 pessoas contaminados pela doença.

São mais de 84 mil recuperados.  O estado de São Paulo ainda lidera o número de casos e mortes e, na tarde de hoje, superou a China no número de mortos, chegando a 4.688 óbitos registrados. (Com informações do Metro 1)

COMPARTILHE

MÉDICOS E PACIENTE COM CORONAVÍRUS MORREM EM ACIDENTE DE AVIÃO NO CEARÁ

Foto: Reprodução

Quatro pessoas morreram em um acidente com um avião de pequeno porte na noite desta sexta-feira (15) na Serra de São Benedito, município da Região da Ibiapaba, no Interior do Ceará. Segundo o jornal O Povo, a aeronave levava um paciente com coronavírus para Teresina, no Piauí.

Segundo o Corpo de Bombeiros de Sobral, as vítimas seriam o piloto, dois médicos e o paciente, identificado como Pedro Meneses. O prefeito de ibiapaba, Gadyel Gonçalves (PCdoB), confirmou a ocorrência do acidente.

COMPARTILHE

COVIDE-19: BRASIL REGISTRA 884 MORTOS NAS ÚLTIMAS 24 HORAS

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O Brasil tem 202.918 casos confirmados e 13.993 mortes por coronavírus, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde nesta quinta-feira, 14. Em 24 horas foi registrado o maior aumento no número de testes positivos até o momento, com 13.994. Em um dia foram mais 884 mortes.

O país está muito próximo de superar os números da pandemia na Itália, que registra mais de 223 mil pessoas com a covid-19, segundo levantamento feito pela Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. O Brasil ocupa a sexta posição entre os mais afetados pela doença.

COMPARTILHE

COM 881 ÓBITOS EM 24 HORAS, BRASIL CHEGA A 12.400 VÍTIMAS FATAIS

Foto: Marco Antônio Rezende/ Prefeitura do Rio de Janeiro

Após uma segunda-feira com relativamente menos mortes (396), o Brasil voltou a bater o recorde diário de óbitos nesta terça-feira (12). Houve 881 vítimas fatais confirmadas em 24 horas. O país tem agora 12.400 mortes causadas pelo novo coronavírus, de acordo com o Ministério da Saúde.

Do total de óbitos, 206 ocorreram nos últimos três dias mas só foram oficializadas nesta terça. O ministério confirmou ainda que o páis já confirmou 177.589 contaminados pelo Sars-CoV-2, o novo coronavírus. Somente nas últimas 24 horas houve 9.258 testes positivos. Somente em São Paulo são 9.258 doentes registrados e 3.949 mortes.

O secretário substituto de Vigilância em Saúde, Eduardo Macário relatou que foram identificados no sistema de informação do Ministério da Saúde 39 casos de Sindrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por covid-19 antes de 26 de fevereiro, data apontada como a do primeiro caso registrado no país. Estes casos vão ser investigados em conjunto com os estados onde cada situação ocorreu. Fonte: G1

COMPARTILHE

BOLSONARO INCLUI ACADEMIAS DE GINÁSTICA E SALÕES ENTRE SERVIÇOS ESSENCIAIS

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro, confirmou, nesta segunda-feira (11/5) à tarde, que assinou decreto ampliando os serviços considerados essenciais, ou seja, que não podem ser fechados durante a pandemia de novo coronavírus.

De acordo com Bolsonaro, foram incluídos no decreto as academias de ginástica, os salões de beleza e as barbearias. O presidente justificou dizendo que esses estabelecimentos têm relação com a saúde e a higiene e voltou a defender que “saúde é vida”.

“A questão da vida tem que ser tratada paralelamente à questão do emprego. Sem economia não tem vida”, disse. O presidente acrescentou ainda que esses setores representam cerca de 1 milhão de empregos.

Disse também que a possibilidade de frequentar a academia, seguindo as recomendações do Ministério da Saúde, ajudará a melhorar a saúde da população. “A pessoa fica em casa sendentária, aumenta colesterol, piora a saúde.” (Informações: MSN)

COMPARTILHE

COVID-19: BRASIL TEM 11.519 MORTES; TOTAL DE CASOS CHEGA A 168.331

Foto : Alex Pazuello

O Ministério da Saúde divulgou hoje (11) novo boletim sobre a Covid-19 no Brasil, o número de pessoas mortas subiu para 11.519, o total de pessoas diagnosticadas chega a 168.331. No último boletim da pasta, até ontem (10) eram 11.123 mortes e 162.699 casos da doença em todo país. Nas últimas 24 horas, foram registrados 396 óbitos e 5.632 casos novos da doença.

Na Bahia o número de mortes subiu para 214 na tarde de hoje (11), segundo o mais recente boletim da secretaria estadual de Saúde da Bahia (Sesab). Ao todo, 5.808 casos confirmados de Covid-19 foram registrados no estado.

COMPARTILHE

BRASIL PODE DOBRAR NÚMERO DE MORTES POR COVID-19 ATÉ 5 DE JUNHO, APONTAM PESQUISADORES

Foto: Reprodução/AFP

Foto: Reprodução/AFP

Um grupo de pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) fez simulações, com o objetivo de identificar quando o país atingirá o pico de infecções, que apontam que o número de mortes no país poderá dobrar nos próximos 20 dias e o de infectados alcançar aproximadamente 400 mil até 5 de junho, caso não sejam adotadas medidas de contenção da transmissão do coronavírus.

Neste domingo, 10, o Brasil atingiu a marca de mais de 10 mil mortos pela Covid-19. Em média, 185 pessoas perderam a vida por dia desde que o primeiro óbito foi registrado no país, em 17 de março. O cálculo da estimativa é do estatístico Carlos Alberto Bragança Pereira, especialista na área de aplicações médicas e biológicas, do grupo da USP, que também inclui professores da Faculdade de Economia e Administração (FEA) e da Faculdade de Saúde Pública.

Coordenados pelo diretor do Instituto de Matemática e Estatística da USP, Junior Barreira, eles se debruçam sobre os números da pandemia na tentativa de identificar quando o país atingirá o pico de infecções, a partir do qual as curvas de casos e óbitos entrarão em declínio, sinalizando para um possível afrouxamento das regras de isolamento social. (Informações: A Tarde)

COMPARTILHE

COVID-19: BRASIL REGISTRA 730 ÓBITOS NAS ÚLTIMAS 24 HORAS

Foto: Bruno Kelly/Reuters

O Brasil superou neste sábado (9), a marca de 10 mil pessoas mortas por coronavírus. Boletim do Ministério da Saúde aponta que o país registrou 730 óbitos nas últimas 24h, chegando a 10.627 mortes confirmadas pela Covid-19. No total, são 155.939 casos confirmados da doença em todo país.

Com números crescentes, o Brasil está apenas atrás dos EUA em número de mortes diárias. E o país passou a ser o sexto com mais mortes por causa da doença no mundo. A taxa de letalidade, calculada pela proporção de pessoas infectadas que acabam morrendo, está em 6,8%.

COMPARTILHE

COVID-19: PASSA DE 10 MIL O NÚMERO DE MORTOS NO BRASIL

O Brasil atingiu neste sábado (9) a marca de 10 mil mortos pelo novo coronavírus. Os dados são das secretarias estaduais de Saúde. Ao todo, são 146.894 o número de casos confirmados da doença. O número é maior do que o divulgado pelo Ministério da Saúde na noite da última sexta-feira (8). O balanço indicava o registro de 9.897 óbitos e 145.328 casos confirmados de Covid-19.

Segundo a pasta, em 24 horas foram confirmadas 751 mortes, o que representa um acréscimo de 6,8%. Conforme levantamento do G1, entre o último domingo (3) e a sexta (8), foram registradas 3.147 óbitos, 31% do total contabilizado em todo o período da pandemia.

Entre os estados com números mais críticos da doença, São Paulo se destaca com 41.830 casos confirmados e 3.416 óbitos. Rio de Janeiro vem em seguida, com 15.741 diagnósticos e 1.503 casos. Ceará chama a atenção com 14.956 casos e 966 óbitos, além de Pernambuco, que possui 11.587 pacientes com Covid-19 e 927 mortes decorrentes da doenla, e Amazonas, que acumula 10.7272 casos e 874 mortes.

COMPARTILHE