Brasil







Crivella quer tirar ajuda da Prefeitura a escolas de samba do Rio em 2020

Crivella não descarta que escolas não tenham subvenção em 2020 Foto: Custódio Coimbra / Agência O Globo

O prefeito Marcelo Crivella disse ao GLOBO nesta terça-feira que não descarta a hipótese de as escolas de samba do Rio não terem qualquer subvenção em 2020. Segundo ele, caso a prefeitura consiga que patrocinadores arquem com 100% do que o município repassa, haverá uma ”transição sem traumas” no modelo de financiamento. Nos últimos dois anos, houve cortes na subvenção. No Grupo Especial, a verba caiu de R$ 2 milhões por escola em 2017 para R$ 1 milhão em 2018. Já em 2019, passou para R$ 500 mil por agremiação.  Nas divisões de acesso, os valores são ainda menores.  – Estamos trocando verba pública por privada. Se em 2020 conseguirmos patrocinadores para 100% das despesas do carnaval, o município não colocará recurso público. E assim teremos feito uma transição sem traumas. Exatamente como se desmama um bebê. Sem traumas – afirmou Crivella.

No desfile do grupo de acesso, na madrugada de sábado, a Acadêmicos do Sossego exibiu uma faixa com críticas contra Crivella devido aos cortes. Em rede social, o prefeito citou uma pesquisa do Instituto Paraná que revela que a maior parte da população brasileira é contra ajuda oficial aos desfiles. O prefeito também argumentou que precisa mobilizar mais recursos para Saúde e Educação. O presidente da Riotur, Marcelo Alves, defendeu que as escolas e a Liesa profissionalizem seus departamentos de marketing e se associem à prefeitura na tentativa de buscar parceiros para que o evento em 2020 seja feito só com recursos privados e sem subvenção do município. O presidente da Riotur acrescentou que o carnaval tem um custo direto da prefeitura que chega a R$ 57 milhões, investimento que será mantido mesmo se as escolas não tenham mais patrocínio público. Neste valor também estão incluídas despesas como apoio ao carnaval de rua. (Informações de O Globo)

COMPARTILHE

Escola de Samba Mangueira é vencedora do Carnaval do Rio 2019

Foto: Ricardo Moraes/Reuters

Foto: Ricardo Moraes/Reuters

A Mangueira é a segunda maior vencedora do Carnaval do Rio, com 19 conquistas, atrás apenas da Portela. A última delas havia sido em 2016, com o enredo sobre Maria Bethânia, do mesmo carnavalesco deste ano, Leandro Vieira. Foi difícil ver alguém sentado no sambódromo da Sapucaí durante a passagem da Mangueira no penúltimo desfile desta segunda (5). Foi fácil, porém, ver choro e olhos marejados ao som do refrão repetido em coro durante a cerca de uma hora de desfile. Comuns também foram as manifestações em broches e placas relembrando Marielle Franco, vereadora do PSOL assassinada há quase um ano. A última ala levou à avenida homens e mulheres favelados que superaram o preconceito e alcançaram notoriedade, tendo à frente a viúva de Marielle, Mônica Benício. Antes do desfile, ela disse à Folha que aceitou o convite não para celebrar, mas por um ato político. Atrás deles, vinham bandeirões com o rosto da parlamentar e de outros símbolos negros, como os sambistas Noel Rosa e Candeia, nas cores da escola, verde e rosa.  Ao final, o deputado federal Marcelo Freixo e o vereador do Rio Tarcísio Motta (PSOL) carregavam junto a membros da escola um bandeirão com os dizeres “Índios, negros e pobres”. A Mangueira desfilou caricaturas do que chamou de “heróis emoldurados”. Na comissão de frente, aristocratas andavam de joelhos, diminuídos ao lado de índios.

Mais à frente, Pedro Álvares Cabral foi retratado como “171”, com roupa de presidiário. Em outra ala, D. Pedro 1º surgiu em cima do cavalo, como eternizado no quadro “Brado do Ipiranga”, e depois jocoso, num burro. O Marechal Deodoro da Fonseca, que assumiu a República mas era monarquista, apareceu com o símbolo da república no peito e uma coroa na cabeça. Entre os personagens que a escola homenageou estão Cunhambebe, chefe indígena que comandou índios tamoios contra colonizadores portugueses no século 16, e Luísa Mahin, africana vendida no Brasil que articulou revoltas de escravos no século 19. Um carro trouxe “o sangue retinto por trás do herói emoldurado”, com uma versão do Monumento às Bandeiras manchado de vermelho. Outro recriou o quilombo dos Palmares, com o presidente de honra da escola, o músico Nelson Sargento, representando o líder Zumbi. Em uma das alegorias que retratavam a luta negra, porém, a maioria das desfilantes eram brancas. Em compensação, em um carro que trazia os dizeres “Ditadura assassina” e livros gigantes com imagens de Princesa Isabel, Duque de Caxias e outros, todas as empurradores eram mulheres negras -normalmente são homens. A Mangueira, que ficou em quinto lugar no ano passado mas já era um dos desfiles mais aguardados neste ano, saiu da avenida muito aplaudida, aos gritos de “é campeão”.

COMPARTILHE

Bolsonaro manda recado a Caetano e Daniela Mercury

Fátima Meira/Estadão Conteúdo

O presidente Jair Bolsonaro alfinetou nesta terça-feira (5) os cantores Caetano Veloso e Daniela Mercury no Twitter. Sem citar o nome de nenhum dos dois artistas, Bolsonaro escreveu que “dois famosos” acusam seu governo de querer acabar com o Carnaval. “Dois famosos acusam o governo Jair Bolsonaro de querer acabar com o Carnaval. A verdade é outra”, disse o presidente. “Esse tipo de ‘artista’ não mais se locupletará da Lei Rouanet”. A indireta feita a Bolsonaro aconteceu pouco mais de um mês depois que os dois artistas lançaram juntos a música “Proibido Carnaval”.

Junto com o texto, Bolsonaro postou uma marcinha. Logo no começo dela, o cantor dedica a música ao “nosso querido Caetano Veloso e a nossa querida Daniela Mercury”. A letra da música publicada por Bolsonaro fala que “tem gente ficando doida sem a tal Lei Rouanet”. E também que o Carnaval bancado com dinheiro público não será mais permitido. Estadão conteúdo

COMPARTILHE

Presidente Jair Bolsonaro deve viajar a EUA, Chile e Israel neste mês de março

O presidente Jair Bolsonaro terá uma agenda internacional intensa em março. Inicialmente, ele irá para os Estados Unidos, depois para o Chile e Israel. Bolsonaro deve ter reuniões com os presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e do Chile, Sebastián Piñera, e com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu. O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, antecipou a agenda do presidente após reunião com o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, quando conversaram sobre a reunião da comissão Brasil-China. Mourão coordena a reunião.

A viagem aos Estados Unidos deve ocorrer entre 18 a 22 de março, indo em seguida para o Chile, onde ficará até o dia 23. No fim do mês, o presidente vai para Israel. Os jornais israelenses noticiam que o Ministério das Relações Exteriores informou que a viagem de Bolsonaro ao país deve ocorrer entre 31 de março e 4 de abril. A visita do presidente aos Estados Unidos ocorre no momento em que lideram um movimento internacional para reconhecimento do autodeclarado presidente da Venezuela, Juan Guaidó, e da distribuição de ajuda humanitária para o povo venezuelano.

No Chile, Bolsonaro deve participar do fórum Prosur, organizado pelo presidente chileno, que se destina a propor ações e acordos para promoção do desenvolvimento na América do Sul. Segundo Piñera, o fórum será um órgão “sem ideologias ou burocracia”. A viagem do presidente a Israel é uma retribuição à visita, em dezembro, de Netanyahu ao Brasil e na cerimônia de posse. No mês passado, o primeiro-ministro israelense enviou um grupo de militares para ajudar nos resgates das vítimas do rompimento da barragem Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho. (Abr)

COMPARTILHE

Maconha com fotos de Bolsonaro é apreendida em Mogi Mirim

Jovem de 17 anos foi apreendido com porções de maconha contendo a foto do presidente Jair Bolsonaro, em Mogi Mirim, interior de São Paulo

Foto: Guarda Municipal de Mogi Mirim/Divulgação 

Porções de maconha com fotos do presidente Jair Bolsonaro foram apreendidas neste final de semana de carnaval em Mogi Mirim, no interior de São Paulo. As 37 porções da droga, acondicionadas em embalagens plásticas transparentes, estavam sendo vendidas por um menor de idade, na noite de sábado, 2. Além da maconha, os saquinhos continham uma foto do presidente com as inscrições “Bolso Bek” e “na primeira, legalizo”.

A droga estava com jovem de 17 anos. Ele foi apreendido pela Guarda Civil de Mogi Mirim e colocado à disposição da Justiça. Os guardas foram ao local, uma praça da Vila Dias, na zona leste da cidade, depois de receberem a informação de que havia ponto de venda de drogas instalado na praça. Além da maconha, o jovem tinha consigo 28 pinos de cocaína e R$ 7. No plantão da Polícia Civil, o caso foi registrado como ato infracional por tráfico de drogas, já que o traficante é menor de idade. O destino do rapaz será decidido pela Vara da Infância e da Juventude de Mogi Mirim. // Estadão Conteúdo

COMPARTILHE

Bolsonaro muda regra para dificultar pagamento de contribuição sindical

Reprodução

As contribuições financeiras de trabalhadores para seus sindicatos não poderão mais ser descontadas diretamente dos salários e terão, a partir de agora, que ser pagas exclusivamente por boleto bancário. Essa nova regra está prevista em uma medida provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, publicada em edição extra do “Diário Oficial da União” da sexta-feira (1º).

Uma medida provisória tem força de lei e passa a valer a partir de sua publicação. Entretanto, ela precisa ser aprovada pelo Congresso em até 120 dias, caso contrário perde validade e a regra antiga volta a vigorar. A contribuição sindical já havia deixado de ser obrigatória na reforma trabalhista proposta pelo governo do ex-presidente Michel Temer e aprovada pelo Congresso em 2017. Desde então, os trabalhadores são obrigados a expressar a vontade de contribuir para seu sindicato, mas o desconto continuava sendo feito diretamente do salário pelas empresas, como antes da reforma.

Em uma rede social, o secretário de Previdência e Trabalho do governo Bolsonaro, Rogério Marinho, disse que a decisão do governo de editar uma medida provisória para tratar do assunto se deve “ao ativismo judiciário que tem contraditado o legislativo e permitido cobrança” das contribuições sindicais. Marinho foi o relator da proposta da reforma trabalhista do governo Michel Temer. Desde o fim de 2017, sindicatos recorrem à Justiça para tentar manter a cobrança, mas a maioria das ações tem sido rejeitada no TST.

Em julho, o Supremo Tribunal Federal (STF) negou os pedidos para tornar novamente obrigatório o pagamento da contribuição sindical pelos trabalhadores. A Corte analisou 19 ações de entidades sindicais contra a regra da reforma trabalhista que tornou o repasse facultativo, em que cabe ao trabalhador autorizar o desconto na remuneração. A medida provisória pode dificultar o recolhimento das contribuições pelos sindicatos, que desde a reforma trabalhista perderam arrecadação. No ano passado, no acumulado até setembro, a arrecadação da contribuição sindical despencou 86% em relação ao mesmo período de 2017, passando de R$ 1,9 bilhão para R$ 276 milhões. Informações do G1

COMPARTILHE

Juíza do DF autoriza e Luiz Estevão vai para regime semiaberto

Foto: Divulgação

A juíza Leila Cury, da Vara de Execuções Penais (VEP) do Distrito Federal, autorizou nesta sexta-feira, 1.º, a progressão de pena do empresário Luiz Estevão para o regime semiaberto. A informação foi revelada pelo site “Metrópoles” e confirmada pelo Estado. A decisão da juíza ainda não está disponível no autos do processo, mas a reportagem teve acesso ao documento. A Lei de Execução Penal prevê a progressão quando o preso tiver cumprido ao menos um sexto da pena no regime anterior e ostentar bom comportamento carcerário, requisitos que foram atendidos por Estevão, de acordo com a magistrada. “No que tange ao requisito legalmente exigido para a progressão ao regime semiaberto, verifico que este foi devidamente preenchido pelo sentenciado. Com efeito, observo que foi cumprido, até a presente data, mais de um sexto da pena total imposta, considerando os dias trabalhados e estudados homologados por este juízo para remição da pena”, escreveu Leila Cury.

Estevão foi condenado a 26 anos de reclusão em 2006 por desvios de recursos públicos nas obras do Fórum Trabalhista de São Paulo. Ele cumpre pena em regime fechado desde março de 2016 no Complexo da Papuda, em Brasília. “Quanto ao requisito subjetivo, não vislumbro óbice à concessão da progressão, uma vez que não há infração disciplinar de natureza grave pendente de apreciação por esta VEP, não havendo notícia de ocorrência apta a macular o comportamento carcerário do sentenciado, conforme consulta ao prontuário registrado no Siapen”, escreveu a magistrada.

Na mesma decisão em que concedeu a progressão de pena, a juíza também autorizou que o ex-senador do MDB pelo DF trabalhe durante o dia e tenha direito a saídas temporárias ao longo do ano. Os horários de trabalho ainda terão de ser definidos pela VEP. Já o calendário de saídas temporárias de 2019 foi divulgado e prevê 11 saídas ao longo do ano. A próxima saída a que Estevão poderá ter direito será do dia 28 de março a 1.º de abril. O advogado Marcelo Bessa, que atua na defesa do empresário, disse que a decisão é técnica e corresponde às expectativas. “Porque (foi) baseada nos precedentes jurisprudenciais do Supremo e também no cumprimento efetivo de todos os requisitos objetivos e subjetivos”, disse. (Conteúdo Isto É)

COMPARTILHE

Após se despedir de neto falecido, Lula volta à prisão

Foto: AFP

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva retornou neste sábado (2) à prisão onde cumpre uma condenação por corrupção, após comparecer emocionado ao funeral de seu neto Arthur, em São Bernardo do Campo, com uma permissão para deixar por algumas horas a prisão sob uma forte escolta. O ex-presidente (2003-2010) voltou à sede da Polícia Federal, em Curitiba, por volta das 15h45, quase nove horas depois de iniciar a sua viagem para o cemitério de São Bernardo do Campo, onde se despediu de seu neto, que faleceu repentinamente devido a uma meningite aos sete anos. Com um gesto cansado, Lula chegou às 11h00 à cerimônia em um comboio de automóveis pretos, do qual desceu escoltado por agentes armados.

Usando um terno escuro e uma camisa clara, cumprimentou com muito sério os militantes que o aguardavam na porta aos gritos de “Lula, guerreiro do povo brasileiro”. Quase duas horas depois, deixou o local aplaudido por seus partidários. Apoiando a família do patriarca da esquerda também estiveram vários representantes de movimentos sociais e do Partido dos Trabalhadores, como a ex-presidente Dilma Rousseff e Fernando Haddad, candidato derrotado nas últimas eleições. Numerosos ramos de flores adornavam a sala onde ocorreu o velório, fechado à imprensa, incluindo uma coroa enviada pelo presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, informou o jornal Folha de São Paulo. Sem conseguir conter as lágrimas, o ex-líder sindical, de 73 anos, se dirigiu aos seus parentes durante a cerimônia que antecedeu a cremação do menino, pouco antes de ter que ir embora. “As palavras de Lula ao se despedir emocionaram a todos”, contou depois João Pedro Stedile, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), ao portal G1.

COMPARTILHE

Após quatro anos de prejuízos, Petrobras volta a ter lucro

Dig38569

A Petrobras fechou o ano de 2018 com um lucro de 25,8 bilhões de reais, segundo informou a estatal petrolífera nesta quarta-feira (27/02), em seu balanço anual. Esse foi o melhor resultado desde 2011 e o primeiro positivo desde 2013, após quatro anos consecutivos de prejuízos. “A performance da Petrobras, em 2018, foi indiscutivelmente a melhor em muitos anos, o que inclui a obtenção de alguns recordes históricos”, afirmou o presidente da empresa, Roberto Castello Branco, em carta enviada ao mercado. Segundo a estatal, o resultado de 2018 foi influenciado por fatores como o aumento de 50% no preço médio do petróleo, em reais, em relação a 2017, além de maiores margens nas vendas de derivados no Brasil e nas exportações de petróleo, acompanhando a valorização do dólar. As receitas somaram 349,8 bilhões de reais em 2018 – um crescimento de 23% ante 2017 -, impulsionadas pelos preços dos combustíveis 32% acima da média do ano anterior. O lucro operacional cresceu 77% em comparação com 2017, chegando a quase 63 bilhões de reais.

No ano passado, a Petrobras ainda arrecadou 20,2 bilhões de reais com venda de ativos, envolvendo, principalmente, fatias de projetos de produção de petróleo compradas pela americana Murphy Oil, a francesa Total e a norueguesa Equinor. Os valores foram utilizados para o pagamento de dívidas da estatal brasileira. Em 2018, o endividamento líquido sofreu uma queda de 4%, ficando em 268,8 bilhões. Com os resultados, a empresa informou que vai distribuir um total de 7,1 bilhões de reais em dividendos aos acionistas, considerando as antecipações feitas durante o ano. Também será paga participação nos resultados para os empregados. O lucro do ano passado foi possível mesmo com uma queda de 5% na produção de petróleo e gás, fechando 2018 com 2,628 milhões de barris de óleo equivalente por dia. “Esse desempenho reflete desinvestimentos realizados e o declínio natural de campos maduros”, disse a empresa.

“Outro destaque é a entrada em operação de seis novos sistemas de produção (até fevereiro de 2019), sendo cinco no pré-sal e um em Tartaruga Verde, na Bacia de Campos”, afirma a nota. “A entrada das novas plataformas nos dá confiança sobre nossa meta de crescimento da produção, de 5% ao ano até 2023”, completou Castello Branco. O último resultado positivo da Petrobras foi registrado em 2013, antes da revelação do escândalo de corrupção investigado pela Operação Lava Jato. O megaesquema acabou influenciando os resultados da companhia nos anos seguintes. Em 2017, o prejuízo foi de 446 milhões de reais e, em 2016, de 14,8 bilhões de reais. O de 2015 foi ainda maior: 34,8 bilhões de reais. Com Informações da DW

COMPARTILHE

Neto do ex-presidente Lula morre vítima de meningite em hospital de Santo André

Lucas deu entrada às 7h11 desta sexta-feira (1º) em hospital de Santo André.

Lucas deu entrada às 7h11 desta sexta-feira (1º) em hospital de Santo André.

O neto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Arthur Araújo Lula da Silva, de 7 anos, faleceu na manhã desta sexta-feira (1º) em Santo André, após dar entrada no Hospital Bartira com um quadro de febre alta. De acordo com informações do colunista Anselmo Góes, a criança foi diagnosticada com meningite meningocócica e não resistiu ao quadro infeccioso. Arthur é filho de Marlene Araújo Lula da Silva e Sandro Luis Lula da Silva, filho do ex-presidente e da ex-primeira-dama Marisa Letícia.

A criança é o sexto neto de Lula e nasceu na época em que o ex-presidente fazia tratamento contra o câncer. O petista está preso em Curitiba (PR) desde abril de 2018, cumprindo pena de 12 anos e um mês no processo do tríplex do Guarujá (SP). Por se tratar de um parente em primeiro grau, a defesa do ex-presidente deve pedir autorização para que Lula acompanhe o sepultamento do neto.

COMPARTILHE

Bolsonaro diz que esquerda gosta de pobres e os multiplica

Foto: Marcos Corrêa / PR

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira, em declaração ao lado do autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, que a esquerda gosta tanto de pobres que os multiplica. Após reunião com Guaidó no Palácio do Planalto, Bolsonaro disse que o Brasil apoia o restabelecimento da democracia no país vizinho e fez um “mea culpa” ao afirmar que dois ex-presidentes brasileiros colaboraram com a atual situação de crise vivida pela Venezuela, em aparente referência aos petistas Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. O presidente também afirmou que o Brasil caminhava para uma situação similar à que passa a Venezuela, mas que, segundo ele, o povo acordou, numa referência à sua vitória eleitoral no ano passado. Conteúdo reproduzido do Terra

COMPARTILHE

Ministério da Saúde anuncia mudança na compra de medicamentos

Foto : Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Foto : Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, anunciou hoje (27) uma mudança na pasta: será adotada a modalidade de compartilhamento de risco na compra de medicamentos. Com isso, o governo só vai custear o medicamento se houver melhora do paciente. Atualmente, o tratamento custa ao governo R$ 1,3 milhão por ano. O spiranza, utilizado no tratamento da doença rara Atrofia Muscular Espinhal, deve ser o primeiro a se encaixar na modalidade, em março.

COMPARTILHE

Enem 2019 será realizado nos dias 3 e 10 de novembro

Foto : André Nery / MEC

Foto : André Nery / MEC

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão do Ministério da Educação responsável pelo Enem, divulgou hoje (27) o cronograma de realização do exame neste ano. De acordo com a autarquia, a prova será aplicada nos dias 3 e 10 de novembro. Já as inscrições vão de 6 a 17 de maio. O edital do vai ser publicado em Março, conforme o Inep. O período de solicitação de isenção da taxa de inscrição pelos estudantes vai do dia 1º ao 10 de abril. No mesmo período, o Inep vai receber as justificativas dos que faltaram às provas em 2018.

COMPARTILHE

Maquinista morre após resgate dramático de 7 horas no Rio

Imagem: Isto É

O maquinista de um dos trens que bateram na manhã desta quarta-feira (27) em São Cristóvão, no Rio de Janeiro, morreu após mais de sete horas de resgate, de acordo com informações do G1. Segundo a reportagem, logo após ser retirado da composição, os bombeiros iniciaram procedimento de reanimação, com massagem cardíaca e o uso de desfibrilador que durou cerca de 40 minutos. O maquinista, que ficou preso às ferragens, foi mantido vivo por horas respirando com auxílio de um balão de oxigênio e com transfusão de sangue e aplicação de soro. Além do maquinista, outras oito pessoas ficaram feridas no acidente. Sete delas foram atendidas e já receberam alta, e uma das vítimas foi para o Salgado Filho, no Méier, onde segue internado, com quadro estável. (Conteúdo, Isto É)

COMPARTILHE

Lula é intimado pela Lava Jato a depor sobre delação de Palocci

Foto: Jornal do Brasil

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi intimado a depor no dia 22 de março em inquérito da Polícia Federal embasado nas delações premiadas do ex-ministro Antonio Palocci Filho e da empreiteira Odebrecht. Em delação, o homem forte de governos petistas afirmou ter feito entregas de dinheiro vivo ao ex-presidente. O delegado da Lava Jato em Curitiba Felipe Pace ainda quer informações que corroborem com o acordo da construtora e documentos do doleiro Álvaro José Novis sobre supostas entregas a codinomes inseridos na planilha Italiano – uma espécie de conta corrente de supostas propinas delatada pela Odebrecht em benefício do ex-presidente.

A Polícia Federal quer mais detalhes sobre repasses que constam na planilha da Odebrecht. Entre as senhas que os emissários teriam de utilizar para retirar os valores, que variam de R$ 500 mil a R$ 1,5 milhões, estão “espaguete”, “pasta”, “massa”, “pene” e bambino”. Para tanto, os investigadores querem ouvir o doleiro Álvaro José de Novis, que era contratado pela empreiteira para efetuar as entregas de dinheiro. “É imprescindível que as respostas sejam apresentadas com riqueza de detalhes a permitir, na medida do possível, a identificação do recebedor dos recursos, o efetivo endereço das entregas, o valor, as senhas e responsável (com dados qualificativos) pelas entregas dos valores”, diz o delegado. Até 8 de março, a PF quer que Marcelo Odebrecht e Benedicto Júnior, da Odebrecht, entreguem detalhes de e-mails que envolvam os repasses. (Estadão Conteúdo)

COMPARTILHE

Petrobras mantém preço médio da gasolina em R$ 1,65 nas refinarias

O óleo diesel também foi deixado a R$ 2,12 | | Foto : Rovena Rosa/Agência Brasil

O óleo diesel também foi deixado a R$ 2,12 | | Foto : Rovena Rosa/Agência Brasil

A Petrobras anunciou que manteve o preço médio do litro da gasolina em R$ 1,6538 nas refinarias, válido para amanhã (26). A estatal também decidiu deixar o preço do óleo diesel em R$ 2,1224. Em dezembro do ano passado, a Petrobras anunciou um mecanismo de proteção complementar que permitia que ela alterasse a frequência dos reajustes diários do preço do diesel no mercado interno.  Já para a gasolina, a medida permite que a empresa mantenha os valores estáveis nas refinarias por até 15 dias.

COMPARTILHE

Jornalista esportivo Roberto Avallone morre aos 72 anos em SP

Imagem: SporTV

O jornalista esportivo Roberto Avallone, de 72 anos, morreu na manhã desta segunda-feira (25), em São Paulo. A informação foi dada pelos jornalistas Milton Neves e Sandro Barboza, ambos do Grupo Bandeirantes de Comunicação. Atualmente, Avallone escrevia para o site UOL e fazia raras aparições no canal SporTV.

De acordo com as informações preliminares, Avallone teve uma parada cardíaca em sua residência, na capital paulista, durante a madrugada. Ele chegou a ser atendido por bombeiros, foi levado ao hospital, mas não resistiu e faleceu por volta das 9h da manhã, segundo o Hospital Santa Catarina.

Nascido em São Paulo, Avallone se formou em Ciências Sociais pela PUC-SP e começou no jornalismo nos anos 60, em publicações como o Jornal da Tarde, sempre na área de Esportes. Nos anos 80, foi para a TV Gazeta, onde comandou o programa Mesa Redonda e ganhou destaque entre os fãs de esporte, especialmente com seus bordões característicos. Também passou por RedeTV!, Bandeirantes e por diversas rádios paulistas. (IstoÉ)

COMPARTILHE

Agredido a socos por aluno de 14 anos, professor diz que não quer mais dar aula

Foto: Reprodução / G1 SP

Foto: Reprodução / G1 SP

Após 20 anos de magistério, o professor Paulo Rafael Procópio, de 62 anos, não quer mais lecionar. Ele tomou essa decisão depois de ter sido agredido por um aluno de 14 anos dentro da sala de aula, em uma escola estadual de Lins, cidade de São Paulo. “Estou horrorizado. A gente sempre ouvia falar em casos de violência dentro de salas de aula, mas confesso que nunca imaginei passar por isso. Já estava decepcionado com a falta de respeito dos alunos, mas essa agressão foi demais”, relatou ao G1 SP. O professor, que ainda se recupera da agressão, precisou levar seis pontos cirúrgicos no rosto e mais dois no supercílio para fechar os cortes provocados pelos socos desferidos pelo aluno e também pelo caderno que foi atirado durante o ataque. “Tem muitos professores que, até pela questão financeira, continuam trabalhando após se aposentar.

Mas agora vou me aposentar e procurar outra coisa pra fazer. Não quero mais dar aulas”, acrescentou. Procópio vai permanecer de licença médica até a próxima quarta-feira (27), mas ressalta que já tem tempo para se aposentar. Desses 20 anos de carreira, nos últimos três anos ele atua como professor de história e geografia na Escola Estadual Otacílio Sant’anna, localizada no Parque Alto de Fátima. De acordo com a publicação, a Polícia Civil disse que o caso de Procópio será enviado à Vara da Infância e Juventude nesta segunda-feira (25). Por meio do nota, a Secretaria Estadual de Educação disse que “realiza trabalho junto a crianças em situação de vulnerabilidade social para coibir situações de violência nas escolas”.

COMPARTILHE

Corpos achados em cova rasa são de casal desaparecido em Maceió (AL)

Walter e Teresa estavam desaparecidos desde o dia 08/02

Walter e Teresa estavam desaparecidos desde o dia 08/02 || Foto: Reprodução

Os corpos encontrados em uma cova rasa no bairro do Benedito Bentes, em Maceió, são do casal que estava desaparecido desde o dia 8 de fevereiro na Chã da Jaqueira. A informação foi confirmada na tarde desta sexta-feira (22) pelo Instituto de Identificação de Alagoas. Segundo o Instituto, os cadáveres são de Walter Gomes de Oliveira Neto, 25, natural de Maceió, e Teresa Raquel da Conceição, 21, natural de Santo André, estado de São Paulo.

Segundo o delegado Thiago Prado, os corpos estavam em avançado estado de decomposição e precisaram ser submetidos a exames de perícia. Os papiloscopistas Rogério Castro e Daniel Basto realizaram um exame chamado necropapiloscopia para identificar os mortos. Os profissionais explicam que o exame foi necessário diante do estado em que os corpos foram encontrados. As digitais foram recolhidas e comparadas com o arquivo civil do instituto. Com informações do G1

COMPARTILHE

Mãe é presa após filha de um ano ser encontrada carbonizada dentro de piscina

Mãe foi presa por suspeita de matar a filha e colocar fogo no local.

Mãe foi presa por suspeita de matar a filha e colocar fogo no local.

O corpo de um bebê de 1 ano foi encontrado carbonizado dentro de uma piscina de plástico na cidade de Goiânia nesta quinta-feira (21). Segundo informações do G1, a mãe foi presa por suspeita de matar a filha e colocar fogo no local.

O Conselho Tutelar informou que outro filho dela, de 12 anos, foi socorrido. Ele está estável, mas disse ter ficado pelo menos cinco dias sem comer. A Polícia Civil encontrou um machado com manchas de sangue e suspeita que a mãe tenha golpeado o bebê de um ano antes de carbonizá-lo.

COMPARTILHE

‘Estamos determinados a mudar os rumos do país’, diz Bolsonaro

presidente Jair Bolsonoro disse hoje (17), no Twitter, que o governo está determinado a mudar os rumos do país. “Assumimos um Brasil ainda em crise em todos os sentidos. Sabemos a dificuldade que é tentar consertar tudo isso. O sistema não desistirá, mas estamos determinados a mudar os rumos do país e fazer diferente dos anteriores, já que são eles os responsáveis pelo que estamos passando”, escreveu. Bolsonaro listou as ações de início de governo. “Estamos fiscalizando recursos, diminuindo gastos, propondo endurecimento penal, Previdência. Tudo isso em pouquíssimo tempo.” O presidente acrescentou que os objetivos são “claros”. “Resgatar nossa segurança, fazer a economia crescer novamente e servir a quem realmente manda no país: a população brasileira”. Com informações da Agência Brasil.

COMPARTILHE

Horário de verão termina neste domingo em 10 Estados e no DF

Motivo de alegria para uns e de tristeza para outros, o horário de verão termina à zero hora deste domingo (17). Com isso, os relógios terão que ser atrasados em uma hora (voltarão para 23h) nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.  O horário de verão de 2018 começou no dia de 4 novembro para moradores de 10 estados e do Distrito Federal. Até 2017, o horário de verão tinha início no terceiro domingo de outubro, mas atendendo um pedido do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o então presidente Michel Temer alterou o início do horário para que não coincidisse com o primeiro e o segundo turno da eleição.

VIAGENS

Com o fim do horário de verão, é comum a confusão nos primeiros dias, por isso, a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) emitiu um comunicado alertando passageiros para que fiquem atentos aos horários nos bilhetes aéreos. Vale o que está escrito no bilhete, pois eles são emitidos conforme a hora local vigente na data da viagem.

Segundo a entidade, a informação da partida se refere ao horário na cidade de origem e a da chegada ao horário da cidade de destino. Dessa forma, os bilhetes emitidos sempre consideram, além das diferenças de fuso, as diferenças resultantes do início ou fim do horário de verão. Em caso de dúvida, os passageiros devem buscar informações no site da companhia aérea ou por meio dos canais de atendimento telefônico.

CELULARES

As operadoras de telefonia alteram automaticamente os relógios dos aparelhos celulares. Mas o usuário deve ficar atento se a alteração foi de fato realizada. Fonte: EBC

COMPARTILHE

MEC instala lava jato da educação, diz Bolsonaro

Investigações no âmbito do Ministério da Educação envolvem várias áreas. / Esplanada dos Ministérios – Marcello Casal Jr.

O presidente Jair Bolsonaro defendeu hoje (15) a chamada lava jato da educação, batizada com este nome pelo ministro da área, Ricardo Vélez Rodríguez, sobre as investigações de medidas adotadas em gestões anteriores. A afirmação ocorre um dia depois da assinatura de um protocolo de intenções para apurar indícios de irregularidades no âmbito do Ministério da Educação.

“Muito além de investir, devemos garantir que investimentos sejam bem aplicados e gerem resultados. Partindo dessa determinação, o ministro professor Ricardo Vélez apurou vários indícios de corrupção no âmbito do MEC em gestões passadas. Daremos início à ‘Lava Jato da Educação’”, disse o presidente na sua conta pessoal no Twitter.

Ontem (14), os ministros da Educação, da Justiça, Sergio Moro, e da Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário, além do advogado-geral da União, André Mendonça, assinaram um protocolo de intenções que tem como objetivo apurar indícios de corrupção, desvios e outros tipos de atos lesivos à administração pública no âmbito do MEC e autarquias nas gestões anteriores.

Indícios

Segundo nota do MEC enviada à imprensa, a pasta já identificou favorecimentos indevidos no Programa Universidade para Todos (ProUni), desvios no Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), envolvendo o sistema S, concessão ilegal de bolsas de ensino a distância e irregularidades em universidades federais. O diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, também participou da reunião. A investigação é uma das principais metas do Ministério da Educação dentro do plano de ações dos 100 primeiros dias do governo. Trata-se ainda do cumprimento de uma orientação de Bolsonaro dada, de acordo com a pasta, para todos os ministérios e instituições federais. Conteúdo reproduzido da Agencia Brasil

COMPARTILHE

Incêndio destrói fábrica de pneus recauchutados em Sorocaba

Bombeiros passaram a madrugada fazendo o rescaldo na empresa em Sorocaba

Foto: Eduardo Rodrigues/TV TEM

Um incêndio destruiu o estoque de uma fábrica de pneus recauchutados em Sorocaba nesta sexta-feira (15). O Corpo de Bombeiros passou a madrugada controlando as chamas e fazendo o rescaldo no prédio no bairro Brigadeiro Tobias. De acordo com os bombeiros, o fogo começou por volta da meia-noite na Rua Joaquim Roque de Oliveira, na empresa Reicar. Ninguém ficou ferido.  Por conta do trabalho dos bombeiros, a via foi interditada na frente da empresa. Agentes de trânsito da Urbes estão no local orientando os motoristas a desviarem por ruas paralelas. Ainda conforme os bombeiros, a borracha dos pneus resfria devagar, por isso o trabalho é intenso no local. Moradores informaram à TV TEM que a fábrica existe há 20 anos. Os bombeiros divulgaram que há três caldeiras na fábrica e existe a suspeita de que o fogo tenha começado em uma delas. Por conta do vento e da fumaça, alguns moradores da rua também foram orientados a sair de casa. Informações do G1/SP

COMPARTILHE

Oito funcionários da Vale são presos em investigação sobre rompimento da barragem de Brumadinho

Entre os detidos está Alexandre de Paula Campanha, que, segundo depoimento à polícia, teria pressionado funcionários da TÜV SÜD a assinar laudo de estabilidade da barragem.

Oito funcionários da Vale foram presos, na manhã desta sexta-feira (15), em investigação sobre o rompimento da barragem de Brumadinho, na Grande Belo Horizonte. A operação ocorre em Minas Gerais, em São Paulo e no Rio de Janeiro. Segundo o Ministério Público, a ação visa “apurar responsabilidade criminal pelo rompimento de barragens existentes na Mina Córrego do Feijão, mantida pela empresa Vale, na cidade de Brumadinho.”  Segundo o MP, os oito presos são funcionários da mineradora, sendo quatro gerentes (dois deles, executivos) e quatro integrantes de áreas técnicas. São eles: Joaquim Pedro de Toledo, Renzo Albieri Guimarães Carvalho, Cristina Heloíza da Silva Malheiros, Artur Bastos Ribeiro, Alexandre de Paula Campanha, Marilene Christina Oliveira Lopes de Assis Araújo, Hélio Márcio Lopes da Cerqueira e Felipe Figueiredo Rocha.

Um dos alvos da operação, Alexandre de Paula Campanha, foi preso em casa, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Em depoimento à polícia, o engenheiro Makoto Namba , que trabalha para a TÜV SÜD, disse que se sentiu pressionado por Campanha a assinar o laudo de estabilidade da barragem de Brumadinho. “A TÜV SÜD vai assinar ou não a declaração de estabilidade?”, teria dito Campanha. Namba disse à PF ter respondido que a empresa assinaria o laudo se a Vale adotasse as recomendações indicadas na revisão periódica de junho de 2018, mas assinou o documento. Ainda segundo Namba, que chegou a ser preso com outro funcionário da empresa e três da Vale em 29 de janeiro, “apesar de ter dado esta resposta para Alexandre Campanha, o declarante sentiu a frase proferida pelo mesmo e descrita neste termo como uma maneira de pressionar o declarante e a TÜV SÜD a assinar a declaração de condição de estabilidade sob o risco de perderem o contrato”.  A Vale foi procurada pela reportagem, mas até a última atualização desta reportagem, não tinha se posicionado.

PRISÕES

As primeiras informações são de que 12 mandados de busca e apreensão e oito de prisão estão sendo cumpridos. Os mandados seriam para oito funcionários da Vale. Campanha foi citado em um dos depoimentos dos engenheiros da empresa alemã TÜV SÜD contratados pela Vale. Segundo as investigações, ele teria pressionado os engenheiros para assinar o laudo que atestava estabilidade da barragem, que se rompeu em Brumadinho, sob o risco de perder o contrato. Conteúdo reproduzido do G1

COMPARTILHE